CONVERSANDO SOBRE GÊNERO E SEXUALIDADE COM ADOLESCENTES

Autores

  • Luiza Andrade Pereira Ferrer Silva Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Marla Ariana Silva Universidade Federal de São João del-Rei
  • Alexandre Coutinho de Melo Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Eduarda Pampolin Miessi Luchini Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Camila Souza de Almeida Universidade do Estado de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2318-2326.2021.20069

Palavras-chave:

Adolescente, Identidade de Gênero, Sexualidade

Resumo

A adolescência, ao longo da história, tem sido analisada de diversas formas, dependendo do contexto sociocultural em que o adolescente está inserido. Em alguns contextos, o período da adolescência não é considerado, já em outros, ele é conturbado e conflituoso. Tem como objetivo compreender quais as visões dos adolescentes acerca do assunto e promover o debate e suscitar dúvidas sobre as regras empregadas socialmente. Trata-se de um relato de experiência do projeto de extensão intitulado “Debatendo questões de gênero e sexualidade na escola”, em que foram realizados grupos operativos com adolescentes de 13 a 15 anos de idade, em uma escola estadual de uma cidade do interior de Minas Gerais. O público alcançado foi de 16 adolescentes, com média de idade de 14 anos. Sugere-se a realização de educação permanente voltada aos professores das diversas disciplinas, pois, como educadores, esses influenciam a formação dos jovens pelo que falam e representam.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Andrade Pereira Ferrer Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduanda em Psicologia

Marla Ariana Silva, Universidade Federal de São João del-Rei

Enfermeira. Mestranda em Ciências

Alexandre Coutinho de Melo, Universidade do Estado de Minas Gerais

Enfermeiro

Eduarda Pampolin Miessi Luchini, Universidade do Estado de Minas Gerais

Psicóloga

Camila Souza de Almeida, Universidade do Estado de Minas Gerais

Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde. Docente de Enfermagem

Referências

Brasil. Ministério da Educação e Cultura. (1998). Parâmetros curriculares nacionais: temas transversais. Brasília: MEC/SEF.

Brêtas, J. R. S., et al. (2015). Corpo, gênero e sexualidade: práticas de extensão universitária. Revista Ciência em Extensão, 11(1), 100–115.

Butler, J. (2018). Problemas de gênero, feminismo e subversão da identidade. 16 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Campos, H. M., et al. (2018, jul./set.). Diálogos com adolescentes sobre direitos sexuais na escola pública: intervenções educativas emancipatórias! Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, 13(3), 1–16.

Cerqueira, D. C., et al. (2018). Atlas da Violência, 2018.

Domingues, E., et al. (2018, jul./set). Oficinas com adolescentes do MST: sexualidade, diversidade sexual e gênero. Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, 13(3), 1–15.

Gomes, C. de M. (2013, jan./mar.). Vivência em grupo: sexualidade, gênero, adolescência e espaço escolar. Revista de APS, 16(1), 103-111.

Lopes, G. T. (2014). Percepções de adolescentes sobre uso/dependência de drogas: o teatro como estratégia pedagógica. Escola Anna Nery – Revista de Enfermagem, 18(2), 202–208. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20140029.

Mantovani, T. M., & Martelli, A. C. (2016). Sexualidade e adolescência: conversas sobre diversidade sexual e de gênero na escola. Cadernos PDE, 2, 1-64.

Marcon, A. N., Prudêncio, L. E. V., & Gesser, M. (2016, mai./ago.). Políticas públicas relacionadas à diversidade sexual na escola. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, 20(2), 291–302. http://dx.10.1590/2175-3539/2015/0202968.

Martins, S. T. F. (2003, jan./jun.). Processo grupal e a questão do poder em Martín-Baró. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, 15(1), 201-217. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822003000100011.

Morais, S. P., Da Silva Brêtas, J. R., & De Souza Vitalle, M. S. (2020). Educação escolar, sexualidade e adolescência: uma revisão sistemática. Journal of Health Sciences,20(3), 221–230. http://dx.doi.org/10.17921/2447-8938.2018v20n3p221-230.

Nogueira, M. J., et al. (2011). Criação compartilhada de um jogo: um instrumento para o diálogo sobre sexualidade desenvolvido com adolescentes. Ciência & Educação (Bauru), 17(4), 941–956. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132011000400011.

Pichon-Rivièri, E. (1998). Teoria do Vínculo. São Paulo: Martins Fontes.

Trifoni, D. N. (2013). Análise da Determinação Social da Saúde: olhares e vozes de adolescentes do Itapoã – DF, 147f. [Dissertação, Mestrado em Ciências da Saúde, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília]. http://ecos.unb.br/wpcontent/uploads/2015/11/2013_DayanaNataliaTrifoni.pdf.

Publicado

2021-07-14

Como Citar

SILVA, L. A. P. F.; SILVA, M. A. .; MELO, A. C. de; LUCHINI, E. P. M. .; ALMEIDA, C. S. de. CONVERSANDO SOBRE GÊNERO E SEXUALIDADE COM ADOLESCENTES. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 223–250, 2021. DOI: 10.35699/2318-2326.2021.20069. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/20069. Acesso em: 30 jul. 2021.

Edição

Seção

Artigos