FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM DIÁLOGO COM AGRICULTURA FAMILIAR MEDIADA PELA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Autores

  • José Ribeiro da Silva Instituto Federal de Alagoas - IFAL

DOI:

https://doi.org/10.35699/2318-2326.2021.25153

Palavras-chave:

Economia solidária, Agroecologia, Desenvolvimento rural, Sustentabilidade

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar os impactos da extensão universitária na formação profissional de estudantes envolvidos no contexto da agricultura familiar. Foi utilizado como caso de análise um projeto desenvolvido pelo Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria que aproxima estudantes do contexto da agricultura familiar na região central do Rio Grande do Sul. Os participantes do projeto passaram a interagir com a realidade dos agricultores, identificando suas limitações e potencialidades e construindo estratégias de produção sustentável, possibilitando maior qualidade em seus produtos e acesso aos mercados locais. O método utilizado para a coleta de dados foi o grupo focal, envolvendo três estudantes e dois servidores participantes do projeto. Como resultado, foi percebido que, a partir do contato com os agricultores, estes alunos passaram a ter mais segurança na aplicação de conhecimentos técnicos e, com isso, passaram a adequar tecnologias aprendidas em sala de aula à realidade dos agricultores. Além disso, desenvolveram habilidades de comunicação e mobilização voltadas para a resolução de problemas enfrentados pela agricultura familiar. O projeto despertou nesses alunos comportamentos como cooperação, empatia, solidariedade e justiça. Concluiu-se que a aproximação entre estudantes e agricultores familiares, mediada pela extensão universitária, vem contribuindo para a formação de profissionais qualificados para o mundo do trabalho e sensíveis aos contextos sociais e econômicos que envolvem a agricultura familiar da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Ribeiro da Silva, Instituto Federal de Alagoas - IFAL

Graduado em Zootecnia; Especialista em Docência na Educação Profissional e Tecnológica; Mestre em Extensão Rural e Desenvolvimento Local; Doutorando em Extensão Rural. Atuou como Coordenador de Pesquisa e Extensão no IFAL (2015-2019), é Professor de Ensino Básica Técnico e Tecnológico do IFAL (desde 2013).

Referências

Almeida, L. P. (2015). A extensão universitária no Brasil: processos de aprendizagem a partir da experiência e do sentido. Revista Diversités Recherches et Terrains: Les universités latino-américaines aujourd’hui: expressions locales, DIRE, 7(1), 56–67. https://www.unilim.fr/dire/645http://epublications.unilim.fr/revues/dire.

Costa, A. A. C..; Baiotto, C. R.; & Garcez, S. B. B. (2013). Aprendizagem: o olhar da extensão. In Síveres, L. (org.). Extensão Universitária como princípio de aprendizagem. Brasília: Liber Livro, 61–80.

Fórum de Pró-Reitores das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras. (2012). Política nacional de extensão universitária. Manaus, 66 p.

Gadotti, M. (2017). Extensão Universitária: para quê? São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2017, 1–18. https://www.paulofreire.org/noticias/557-extensao-universitaria-para-que.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas. ed. 4. 175p.

Mussoi, E. M.; Lenzi, L. H. C. (2015). Extensão Universitária: entre o continuísmo e a utopia. Revista Extensio. Florianópolis, 12(20), 103–122.

Universidade Federal de Santa Maria; Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria. (2017). Projeto Polifeira do Agricultor na Universidade Federal de Santa Maria.

Publicado

2021-07-14

Como Citar

SILVA, J. R. da. FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM DIÁLOGO COM AGRICULTURA FAMILIAR MEDIADA PELA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 173–198, 2021. DOI: 10.35699/2318-2326.2021.25153. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/25153. Acesso em: 30 jul. 2021.

Edição

Seção

Artigos