O PROGRAMA DE TERAPIA OCUPACIONAL EM GERONTOLOGIA E AS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO DA PANDEMIA DA COVID-19

Autores

Palavras-chave:

Geriatria, Educação em Saúde, Telemonitoramento

Resumo

O objetivo do presente trabalho é descrever as ações extensionistas do PRO-GERONTO no município de PelotasRS e os principais resultados obtidos por meio dessas frente à pandemia da COVID-19. Foi escolhida como metodologia para o desenvolvimento do trabalho uma pesquisa documental, cujas informações são oriundas do banco de dados do PRO-GERONTO. A análise qualitativa dos dados fundamentou-se na abordagem nomotética e o método de codificação foi utilizado para organização das informações. Compuseram essa análise 05 idosos de ambos os sexos, com média de idade de 71,8 anos. Os códigos extraídos foram referentes a orientações fornecidas aos idosos, prescrições de atividades e observações do aluno atendente, do período de março a outubro de 2020. Códigos definitivos: autocuidado, saúde mental, rede de apoio, COVID-19, atividade física, plantação, receitas online, desânimo, restrições da rotina, compreensão das restrições de rotina, família e alteração cognitiva. Constatou-se que a COVID-19 impactou na vida ocupacional dos idosos

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zayanna Christine Lopes Lindôso, Universidade Federal de Pelotas

Pós-doutorado pela Universidade de Lisboa (Instituto de Ciências Sociais / Observatório do Envelhecimento), Portugal. Mestrado e Doutorado em Gerontologia Biomédica pela PUCRS, Graduação em Terapia Ocupacional, professora adjunta do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas- Rio Grande do Sul-Brasil

Franciele Costa Berni, Universidade Federal de Pelotas

Grduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), professora substituta do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas- Rio Grande do Sul-Brasil

Maitê Peres de Carvalho, Universidade Federal de Pelotas

Pós-doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Mestrado e Doutorado em Ciências da Saúde pela FURG, Especialização na área de Fisioterapia em Geriatria e Gerontologia pelo Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos, Graduação em Fisioterapia pela UCPel e Discente do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas-Rio Grande do Sul- Brasil.

Lauren Alves da Cunha, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas- Rio Grande do Sul-Brasil
Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional

Raillane de Oliveira Marques, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas- Rio Grande do Sul-Brasil
Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional

Aline Krüger, Universidade Federal de Pelotas

Universidade Federal de Pelotas (UFPel)- Pelotas- Rio Grande do Sul-Brasil
Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional

Referências

Amorim, D. D. S., Gattás, M. L. B. (2007). Modelo de Prática Interdisciplinar em Área na Saúde. Medicina, Ribeirão Preto, 40(1), 82-84. Jan. doi: https://doi.org/10.11606/issn.21767262.v40,i1.,p.82-84.

Armitage, R., Nellums, L. (2020). COVID-19 and the consequences of isolating the elderly. The Lancet Public Health, Atlanta, 5(5). Mar. doi: https://doi.org/10.1016/S2468-2667(20)30061-X.

Baère, T. D. D., Faustino, A. M., Miranda, A. F. (2017). A Importância da Prática Interdisciplinar da Equipe de Saúde nos Cuidados Paliativos. Revista Portal, Brasília, 1(53), 5-19. Jul. https://revistalongeviver.com.br/index.php/revistaportal/article/viewFile/673/742.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre pesquisa e testes em seres humanos. Diário Oficial da União: Brasília. https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Camacho, A. C. L. F. A. (2002). Gerontologia e a Interdisciplinaridade: Aspectos Relevantes para a Enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem, São Paulo, 10(2), 229-233. Mar. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-11692002000200016.

Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS. (2020). Painel de análise do excesso de mortalidade por causas naturais no Brasil em 2020. https://www.conass.org.br/indicadores-de-obitos-por-causas-naturais/.

Corrêa, S. E. S., Silva, D. B. (2009). Abordagem cognitiva na intervenção terapêutica ocupacional com indivíduos com Doença de Alzheimer. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro, 12(3), 463-474. Set. doi: https://doi.org/10.1590/18099823.2009.00012.

Costa, A. F. et al. (2020). COVID-19: seus impactos clínicos e psicológicos na população idosa. Braz. J. of Develop., Curitiba, 6(7), 49811-49824. Jul. doi:10.34117/bjdv6n7-580.

Diário Oficial da União. (2020). Lei nº 14.023 de 8 de julho de 2020. https://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jspjornal=515&pagina=1&data=09/07/2020.

Duarte, M. Q., Santo, M. A. S., Lima, C. P., Giordani, J. P., Trentini, C. M. (2020). COVID-19 e os impactos na saúde mental: uma amostra do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 25(9), 3401-3411. Set. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232020259.16472020.

Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. (2020). Coronavírus e saúde mental. Tire suas dúvidas aqui. https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/coronavirus-e-saudemental-tire-suas-duvidas-aqui/.

Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. (2020). Saúde mental e atenção psicossocial na pandemia COVID-19 - recomendações aos trabalhadores e cuidadores de idosos. https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/04/cartilha_idoso.pdf.

Gibbs, G. (2009). Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed. Hammerschmidt, K. S. A., Santana, R. F. (2020). Saúde do Idoso em tempos de pandemia COVID-19. Cogitare Enferm. Curitiba, 25, e72849. doi: biblio-1095404.

Kramer, D. G., Silva, M. J. L., Junior, G. B. C., Sousa, A. M. (2020). Extensão universitária e ações de educação em saúde para a prevenção ao COVID-19. Anuário Pesquisa e Extensão, 5, e24329. Jun. doi: https://doi.org/10.1590/1413-1232020259.16472020.

Lindôso, Z. C. L., Ferreira, E. E., Schwanke, C. H. A. (2012). A importância da Terapia Ocupacional na reabilitação das atividades de vida diária e instrumentais do idoso. In: Schwanke, C. H. A., De Carli, G. A., Gomes, I., Lindôso, Z. C. L. Atualizações em geriatria e gerontologia IV: aspectos demográficos, biopsicossociais e clínicos do envelhecimento. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Lindôso, Z. C. L. et al. (2020). O Programa de Terapia Ocupacional em Gerontologia (PRO-GERONTO) como espaço para o cuidado do idoso na comunidade. In: Michelon, F., Bandeira, A. A extensão universitária nos 50 anos da Universidade Federal de Pelotas. 1 ed. Pelotas: Ed. da UFPel.

Moura, E. C. C., Lopez, V., Soares, S. F. (2020). Informações epidemiológicas sobre a COVID-19: influência da cibercultura no engajamento popular às medidas de controle. Cogitare Enferm. Curitiba, v.25, e74566. doi: biblio-1103891.

Nunes, D. P., Brito, T. R. P., Giacomin, K. C., Duarte, Y. A. O., Lebrão, M. L. (2018). Padrão do desempenho nas atividades de vida diária em idosos no município de São Paulo, nos anos 2000, 2006 e 2010. Revista Brasileira de Epidemiologia. 21(2). doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720180019.supl.2.

Opas/OMS Brasil. (2020). Folha informativa – COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus).https://www.paho.org/bra/index.phpoption=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875.

Opas/OMS Brasil. (2020). OMS afirma que COVID-19 é agora caracterizada como pandemia. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&-view=article&id=6120:oms-afirma-que-covid-19-e-agora-caracterizada-como-pandemia&Itemid=812.

Radomski, M. V., Davis, E. S. (2005). Otimização das capacidades cognitivas. In: Radomski, M. V., Trombly, C. A. Terapia ocupacional para disfunções físicas (pp. 609-627). São Paulo: Santos Livraria.

Silva, R. S., Fedosse, E., Pascotini, F. S., Riehs, E. B. (2019). Condições de saúde de idosos institucionalizados: contribuições para ação interdisciplinar e promotora de saúde. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. São Carlos, 27(2), 345-356. Jun. doi: https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoao1590.

Sguissardi, V. As missões da Universidade, entre as quais a extensão universitária ou a terceira missão, em face dos desafios da mercadização/mercantilização. (2019). Teoria e Prática da Educação, 22(3), 38-56. Out. doi: https://doi.org/10.4025/tpe. v22i3.51381.

United Nations. (2020). Policy Brief: The Impact of COVID-19 on older persons.

https://www.un.org/development/desa/ageing/wp-content/uploads/

sites/24/2020/05/COVID-Older-persons.pdf.

Vasconcelos, C. S. S., Feitosa, I. O., Plácido, L. R. M., Brito, A. P. B. (2020). O novo coronavírus e os impactos psicológicos na quarentena. Revista Desafios. 7 (Supl. COVID-19). Abr. doi: http://dx.doi.org/10.20873/uftsuple2020-8816

World Federation of Occupational Therapists [WFOT]. (2019). Declaração de Posição: A Terapia Ocupacional e a Saúde Mental. https://wfot.org/assets/resources/Occupational-Therapy-and-Mental-Health-Portuguese.pdf

World Federation of Occupational Therapists [WFOT]. (2020). Declaração de Posição Telessaúde. Tradução: Omura, K. M., Carreteiro, G. Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional. Rio de Janeiro, suplemento, 4(3), 416-421. doi: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34165.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

CHRISTINE LOPES LINDÔSO, Z.; COSTA BERNI, F. .; PERES DE CARVALHO, M. .; ALVES DA CUNHA, L. .; DE OLIVEIRA MARQUES, R. .; KRÜGER, A. . O PROGRAMA DE TERAPIA OCUPACIONAL EM GERONTOLOGIA E AS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO DA PANDEMIA DA COVID-19. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 9, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/26048. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos