IMPACTO DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM NEUROCIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DO ESTUDANTE

PERCEPÇÃO DO EXTENSIONISTA

Autores

  • Larissa Mita
  • Larissa Izabela Ferreira
  • Elaine Dias Franco
  • Maira de Castro Lima Universidade Federal de São João Del-Rei

Palavras-chave:

Relações Comunidade-Instituição; Capacitação Profissional; Percepção Social, Neurociências.

Resumo

Os projetos de extensão oferecem oportunidade de transformação para a universidade, a comunidade e o universitário. Diante da importância de conhecer mais a fundo os ganhos e os benefícios oriundos dessa ação, deve-se levar em consideração a perspectiva dos extensionistas. O objetivo deste artigo foi analisar de que forma a integração ensino-extensão tem repercutido na formação dos extensionistas. Uma pesquisa de cunho qualitativo descritivo foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, nas quais 10 extensionistas foram entrevistados. Para o tratamento dos dados, aplicou-se a análise de conteúdo. Os resultados obtidos demonstram que, ao se participar de um projeto de extensão, é possível se contribuir para a mudança social da comunidade em que se está inserido e, ao mesmo tempo, se desenvolver habilidades que irão contribuir positivamente para a formação social e profissional do extensionista. Conclui-se que a extensão universitária proporciona saberes necessários ao desenvolvimento e à formação profissional de um cidadão escolarizado consciente do seu papel social na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Anna, J. S. (2020). Para além dos muros da universidade: prática docente na extensão universitária. Interfaces - Revista de Extensão Da UFMG, 8(1), 226–246. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/19525/1754

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Bastos, I. G., Santana, A. A. S., & Bastos, R. G. (2017). Interdisciplinaridade na Saúde: um instrumento para o sucesso. Revista Brasileira De Ciências Em Saúde - Brazilian Journal of Health Sciences, 1(1), 40-44. Recuperado de https://periodicos.uesc.br/index.php/rebracisa/article/view/1426/pdf

Bauer, M. W., & Gaskell, G. (2004). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Editora Vozes. Recuperado de https://tecnologiamidiaeinteracao.files.wordpress.com/2017/10/pesquisa-qualitativa-com-texto-imagem-e-som-bauer-gaskell.pdf

Brasil (2001). Plano Nacional de Extensão Universitária Edição Atualizada. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras e SESu/MEC. Recuperado de https://www.uemg.br/downloads/plano_nacional_de_extensao_universitaria.pdf

Castilho, R. M., & Melo, F. V. C. B. (2015). Jovens Construindo Pontes: Vivências Inscritas em um Projeto Extensionista de Inclusão Digital. Revista UFG, 17, 97–114. Recuperado de https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/694/o/06_17.pdf

Constituição da República Federativa do Brasil (1988): texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008, (2016).

Farias, E. M. B., Netto, P. F. L., Pilletti, C. P., & Alves, E. C. M. (2014). A Importância dos Programas de Extensão no Ensino e Prática de Programação e Desenvolvimento de Protótipos. III Congresso Brasileiro de Informática Na Educação (CBIE 2014); XXV Simpósio Brasileiro de Informática Na Educação (SBIE 2014), 16–20. Recuperado de https://doi.org/http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2014.16

Filipin, G. E., Casarotto, F. D., Maroneze, B. M., & Mello-Carpes, P. B. (2015). POPNEURO: RELATO DE UM PROGRAMA DE EXTENSÃO QUE BUSCA DIVULGAR E POPULARIZAR A NEUROCIÊNCIA JUNTO A ESCOLARES. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 6(2), 87–95. Recuperado de https://doi.org/10.36661/2358-0399.2015v6i2.3066

Filipin, G. E., Sperluk, J. P., Vargas, L. da S. de, Carpes, P. B. M., Ferreira, R. R., & Silva, V. F. da. (2017). Conhecimento Científico X Prática Extensionista: percepção de estudantes da graduação. Revista Extensão & Sociedade, 6(1), 13–22. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/extensaoesociedade/article/view/11596

FORPROEX. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras. (1987). I ENCONTRO DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS.

Franco, E. C. D., Bahia, F. C. S., Silveira, E. A. A. da, & Carvalho, G. D. (2020). Repercussões do programa de extensão ACOLHER na formação de estudantes extensionistas. Research, Society and Development, 9(10). Recuperado de https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8676

Freire, P. (2018). Autonomia da pedagogia: Saberes necessários prática educativa (25th ed.). Paz e Terra. Recuperado de https://nepegeo.paginas.ufsc.br/files/2018/11/Pedagogia-da-Autonomia-Paulo-Freire.pdf

Gil, A. C. (2019). Métodos e técnicas de pesquisa social (7th ed., p. 230). Atlas.

Grossi, M. G. R., Lopes, A. M., & Couto, P. A. (2014). A Neurociência na Formação de Professores: um estudo da realidade brasileira. Revista Da FAEEBA - Educação E Contemporaneidade, 23(41), 27–40. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/821/579

Habermas, J. (2012). Teoria do agir comunicativo. WMF Martins Fontes.

Herting, M. M., & Chu, X. (2017). Exercise, cognition, and the adolescent brain. Birth Defects Research, 109(20), 1672–1679. Recuperado de https://doi.org/10.1002/bdr2.1178

INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2019). Pisa 2018 revela baixo desempenho escolar em leitura, matemática e ciências no Brasil - Artigo - INEP. Portal.inep.gov.br. Recuperado de http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/pisa-2018-revela-baixo-desempenho-escolar-em-leitura-matematica-e-ciencias-no-brasil/21206.

Lima, S. M. de. (2003). APRENDER PARA ENSINAR, ENSINAR PARA APRENDER: um estudo do processo de aprendizagem profissional da docência de alunos-já-professores (p. 324). Recuperado de https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2322

Menezes, J. P. C. (2020). Contribuição da extensão universitária na formação inicial docente em Ciências Biológicas. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, 8(1), 74–85. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/19548

Minayo, M. C. (2011). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde (11th ed., p. 270). Hucitec.

Nunes, D. S. P., & Estevam, D. de O. (2006). A Formação Superior como Instrumento de Ascensão Social: Um Estudo de Caso dos Egressos do Curso de Economia da UNESC. VI Colóquio Internacional Sobre Gestão Universitária Na América Do Sul. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/74640

Panhoca, L., Dozsa, D., Schüssler D’ Arroz, M., Zech, D. L., Mendes, S. M., Betti, P., Nardelli, M. A., Camargo, A., Kava, A., Cabral, A. S., Silva, B. V., Caldeira, C., Sillvestre, G. F., Pereira, I. B. F., Silva, L. S., Roman, M. T., Jarek, M. A., Soares, N. R., Souza, R. T. F., & Papile, R. (2014). “VIVÊNCIAS”: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Seminário de Extensão Universitária da Região Sul. Recuperado de http://www.itcp.ufpr.br/wp-content/uploads/2014/12/Artigo-ITCPUFPR-SEURS20141.pdf

Pinheiro, S. J., Lucas, F. E. Q., Barreto, L. de F., Cruz, M. R. C. M., Pereira, F. G. F., & Barbosa, A. L. (2016). Concepções das práticas de educação em saúde no contexto da formação em Enfermagem. Revista Da Rede de Enfermagem Do Nordeste, 17(4), 545–552. Recuperado de https://doi.org/10.15253/2175-6783.2016000400015

Rodrigues, A. L. L., Prata, M. S., Batalha, T. B. S., Costa, C. L. N. do A., & Neto, I. de F. P. (2013). Contribuições da Extensão Universitária na Sociedade. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas E Sociais, 1(16), 141–148. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/494

Santos, A. P. S., Nunes, C., Yamaguchi, C. K., & Souza, A. C. (2014). Compartilhamento de Conhecimento nas Atividades do Grupo de Extensão. XIV Colóquio Internacional de Gestão Universitária – CIGU. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/132030

Schüssler D’Aroz, M. S., Panhoca, L., Dozsa, D., Souza, R. T., & Reis, T. (2014). Impactos da experiência de bolsistas egressos de um programa de extensão universitária. Recuperado de http://www.itcp.ufpr.br/wp-content/uploads/2014/12/Artigo-1-REDESITCPS-Salvador2.pdf

Serrano, R. M. S. M. (2010). Conceitos de extensão universitária: um diálogo com Paulo Freire.

Stefansdottir, R., Gundersen, H., Rognvaldsdottir, V., Lundervold, A. S., Gestsdottir, S., Gudmundsdottir, S. L., Chen, K. Y., Brychta, R. J., & Johannsson, E. (2020). Association between free-living sleep and memory and attention in healthy adolescents. Scientific Reports, 10(1). Recuperado de https://doi.org/10.1038/s41598-020-73774-x

Tan, B. L., & Norhaizan, M. E. (2019). Effect of High-Fat Diets on Oxidative Stress, Cellular Inflammatory Response and Cognitive Function. Nutrients, 11(11), 2579. Recuperado de https://doi.org/10.3390/nu11112579

Zamboni, L. M. S. (2001). Cientistas, jornalistas e a divulgação científica: subjetividade e heterogeneidade no discurso da divulgação científica. Autores Associados. Editora Autores Associados.

Publicado

2023-07-22

Como Citar

MITA, L.; FERREIRA, L. I. .; DIAS FRANCO, E.; DE CASTRO LIMA, M. IMPACTO DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM NEUROCIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DO ESTUDANTE: PERCEPÇÃO DO EXTENSIONISTA. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], 2023. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/35580. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos