SAÚDE OBSTÉTRICA DURANTE A PANDEMIA COVID-19

VÍDEOS EM SALA DE ESPERA

Autores

Palavras-chave:

Obstetrícia, Ensino à Distância, Pandemia por COVID-19

Resumo

Diante da pandemia de COVID-19, foi necessário aprimorar formas virtuais de comunicação para atender às
medidas de isolamento social e manter práticas de promoção à saúde. Nesse contexto, foi desenvolvido o
projeto de extensão “Educação em Saúde: Exposição de Vídeos em Sala de Espera no Serviço de Pré-natal”
pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com o objetivo de produzir conhecimento durante a espera ao atendimento pré-natal no Instituto Jenny de Andrade Faria. Foram elaborados vídeos didáticos com informações teóricas e vivências das pacientes, aproximando teoria e realidade seguindo pilares freireanos. O material foi desenvolvido de maneira predominantemente remota de novembro de 2020 a dezembro de 2021 e abordou temas como: direitos da gestante e processo de amamentação. Os impactos foram avaliados através de questionários de satisfação usando a escala de Likert e a análise estatística feita através do programa MINITAB-14. Os resultados mostram importante desinformação sobre o conhecimento dos direitos da gestante. Quanto à temática da amamentação, o projeto foi capaz de obter impacto educacional positivo. Percebe-se, portanto, a capacidade da comunidade acadêmica em promover saúde, de forma remota, através da extensão universitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Gonçalves Teixeira, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994), mestrado em Programa Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina da UFMG (2006), doutorado em Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina da UFMG (2011). Atualmente é membro de comitê da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia de Minas Gerais e professora da Universidade Federal de Minas Gerais.

Marina Ribeiro Bartholo, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduanda do 11 período do curso de medicina na Universidade Federal de Minas Gerais, monitora bolsista do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da UFMG.

Adriane De Carvalho Oliveira , Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em ENFERMAGEM (1994) e especialização em Obstetrícia e Estomaterapia pela Universidade Federal de Minas Gerais e especialização em Preceptoria em Saúde pela UFRN. Mestre em Educação em Diabetes pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte. Atualmente é enfermeira obstetra do Hospital das Clínicas da UFMG, atuando no Ambulatório Jenny de Andrade Faria, no setor de Pré-natal de alto risco.

Leydiane Andrade Ferreira, Universidade Federal de Minas Gerais

Título de Bacharel em Enfermagem em (2011) pela Faculdade Estácio de Sá de Belo Horizonte. Especialista em Enfermagem Obstétrica em (2013) (UFMG) Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Oncologia Clínica em 2018 pela Faculdade CGESP.

Eura Martins Lage, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Medicina pela UFMG (1997), Mestrado e Doutorado em Medicina (Obstetrícia e Ginecologia) pela UFMG e Especialização em Estatística pela UFMG (2008). De 05/2005 a 04/2006, integrou o Programa Recém-doutor da FAPEMIG, na Faculdade de Medicina da UFMG. É Professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG desde 08/2010, sendo Professora Associada desde 06/2019. É Coordenadora do Colegiado do Curso de Medicina da UFMG desde 18/02/2021.

Referências

A experiência brasileira em sistemas de informação em saúde. (2009). Biblioteca Virtual em Saúde MS. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/experiencia_brasileira_sistemas_saude_volume1.pdf

Atenção básica cadernos de atenção ao pré-natal de baixo risco. (2012). Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_32_prenatal.pdf

Associados, P. A. (2016, 22 de fevereiro). Gestante: Saiba quais são os seus direitos. Jusbrasil. https://posocco.jusbrasil.com.br/noticias/307355310/gestante-saiba-quais-saos-os-seus-direitos#:~:text=%2D%20Fazer%20exames%20gratuitos%20de%20sangue,acompanhante%20na%20sala%20de%20parto.

Berlinguer, G. (1999). Globalização e saúde global. Estudos Avançados, 13(35), 21–38. https://doi.org/10.1590/s0103-40141999000100003

Brasil está entre os cinco países do mundo que mais usam internet. (2021, 26 de abril). Governo do Brasil. https://www.gov.br/pt-br/noticias/transito-e-transportes/2021/04/brasil-esta-entre-os-cinco-paises-do-mundo-que-mais-usam-internet#:~:text=Brasil%20est%C3%A1%20entre%20os%20cinco%20pa%C3%ADses%20do%20mundo%20que%20mais%20usam%20internet,-Pa%C3%ADs%20participou%20de&text=Com%2078%2C3%25%20de%20brasileiros,no%20uso%20di%C3%A1rio%20de%20internet.

Buss, P. M. (2000). Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência & Saúde Coletiva, 5(1), 163–177. https://doi.org/10.1590/s1413-81232000000100014

Durante a pandemia, consumo de internet dobra no Brasil. (2021). Olhar Digital. https://olhardigital.com.br/2021/05/13/coronavirus/durante-a-pandemia-consumo-de-internet-dobra-no-brasil/

Fernandes, M. C., Silva, L. M. S. d., Machado, A. L. G., & Moreira, T. M. M. (2012). Universidade e a extensão universitária: a visão dos moradores das comunidades circunvizinhas. Educação em Revista, 28(4), 169–194. https://doi.org/10.1590/s0102-46982012000400007

Gabriel, G. L., & Silva, J. H. d. (2020). Editorial (Lançamento da revista). Revista Educação, Pesquisa e Inclusão, 1(1), 4. https://doi.org/10.18227/2675-3294repi.v1i1.6398

Junqueira, A. R. d. S., & Souza, J. C. M. d. (2021). Contemporaneidade de Paulo Freire na educação de jovens e adultos no Brasil: um estudo bibliográfico. Revista Prática Docente, 6(2), Artigo e038. https://doi.org/10.23926/rpd.2021.v6.n2.e038.id1088

Marques, E. S., Cotta, R. M. M., & Priore, S. E. (2011). Mitos e crenças sobre o aleitamento materno. Ciência & Saúde Coletiva, 16(5), 2461–2468. https://doi.org/10.1590/s1413-81232011000500015

Medeiros, S. M. de, & Rocha, S. M. M. (2004). Considerações sobre a terceira revolução industrial e a força de trabalho em saúde em Natal. Ciência & Saúde Coletiva, 9(2), 399–409. https://doi.org/10.1590/S1413-81232004000200016

Pesquisa mostra que 82,7% dos domicílios brasileiros têm acesso à internet. (2021, 14 de abril). Governo do Brasil. https://www.gov.br/casacivil/pt-br/assuntos/noticias/2021/abril/mais-de-82-dos-domicilios-brasileiros-tem-acesso-a-internet#:~:text=A%20Pesquisa%20Nacional%20por%20Amostra,percentuais%20em%20rela%C3%A7%C3%A3o%20a%202018.

Pordeus Léon, L. (2021, 23 de agosto). Brasil tem 152 milhões de pessoas com acesso internet. Agência Brasil. https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2021-08/brasil-tem-152-milhoes-de-pessoas-com-acesso-internet#:~:text=No%20Brasil%2C%20tem%20crescido%2C%20ano,a%20pandemia%20acelerou%20esse%20processo.&text=Pesquisa%20promovida%20pelo%20Comit%C3%AA%20Gestor,7%25%20em%20rela%C3%A7%C3%A3o%20a%202019.

Recomendações da OMS sobre atendimento pré-natal para uma experiência gestacional positiva: Resumo. (2016). Maternal and Child Survival Program. https://www.mcsprogram.org/wp-content/uploads/2018/07/ANCOverviewBrieferA4PG.pdf

Downloads

Publicado

2023-07-22

Como Citar

GONÇALVES TEIXEIRA, P.; RIBEIRO BARTHOLO, M.; DE CARVALHO OLIVEIRA , A. .; ANDRADE FERREIRA, L. .; MARTINS LAGE, E. SAÚDE OBSTÉTRICA DURANTE A PANDEMIA COVID-19: VÍDEOS EM SALA DE ESPERA. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], 2023. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/38434. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos