OS LEONARDIANOS: DEBATES ACERCA DA IMPORTÂNCIA HISTÓRICA DA ARTE LOMBARDA RENASCENTISTA EM MILÃO NO SÉCULO XVI*

Autores

  • Sara Jesus ufmg

Palavras-chave:

lombardos, milao, leonardo da vinci

Resumo

RESUMO

 Pretende-se analisar a trajetória artística de um grupo de pintores que tiveram suas obras inspiradas por Leonardo Da Vinci (1452-1519), sendo alguns deles: Giovanni Ambrogio de Predis (1455-1508), Francesco Melzi (1491-1570), Salaí (1480-1524), Bernado Luini (1482-1532), Marco d’Oggiono (1470-1549), Giovanni Boltraffio (1467-1516), Bernardo Zenale (1455-1530). Para que assim, possamos problematizar o percurso artístico desses pintores para com sua produção, tendo Leonardo Da Vinci como parâmetro estético e conceitual, porém, verificando em suas produções as diversas interpretações de cada artista para aquilo que ele entendia, compreendia e pensava do que era a arte no contexto da época. Tendo em vista que, muitos desses artistas viveram a sombra de Leonardo, e somente foram atribuídos a eles obras que foram consideradas como: “copias” e “plágios”, surgiu a necessidade, de compreender e problematizar o fazer artístico. Assim como, vislumbrar e repensar as inúmeras releituras que podem ser feitas de um mesmo ponto. Não obstante, acreditamos que o Leonardismo milanês foi muito mais que um movimento artístico copista, devido a sua relevância histórica, tendo em vista que o ambiente milanês, reagiu às propostas introduzidas e desenvolvidas pelos artistas lombardos com grande intensidade, “que transformou o Leonardismo no fenômeno mais representativo da cultura artística milanesa das primeiras décadas do século XVI”[1]

PALAVRAS-CHAVES: Lombardos, Leonardo Da Vinci, Milão.

 

THE LEONARDIANS: DEBATES ABOUT THE HISTORICAL IMPORTANCE OF LOMBARDIAN RENAISSANCE ART IN MILAN IN THE 16TH CENTURY

 ABSTRACT

 It is intended to analyze the artistic trajectory of a group of painters whose works were inspired by Leonardo Da Vinci (1452-1519), some of them being: Giovanni Ambrogio de Predis (1455-1508), Francesco Melzi (1491-1570), Salaí (1480-1524), Bernardo Luini (1482-1532), Marco d'Oggiono (1470-1549), Giovanni Boltraffio (1467-1516), Bernardo Zenale (1455-1530). So that we can problematize the artistic path of these painters towards their production, having Leonardo Da Vinci as an aesthetic and conceptual parameter, however, verifying in their productions the different interpretations of each artist for what he understood, understood and thought of what he was. art in the context of the time. Considering that many of these artists lived in Leonardo's shadow, and only works that were considered as: "copies" and "plagiarism" were attributed to them, the need arose to understand and problematize the artistic making. As well as, glimpse and rethink the countless re-readings that can be made from the same point. Nevertheless, we believe that Milanese Leonardism was much more than a copyist artistic movement, due to its historical relevance, given that the Milanese environment reacted to the proposals introduced and developed by Lombard artists with great intensity, “which transformed Leonardism into the most representative phenomenon of Milanese artistic culture of the first decades of the 16th century”.

KEYWORDS: Lombards, Leonardo Da Vinci, Milan.

[1] BATTTAGLIA, Roberta. Da Vinci. Ed. Abril Coleções; tradução de José Ruy Gandra. São Paulo. 2011, p. 36

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

REFERENCIA:

BURCKHARDT, Jacob. A Cultura do Renascimento na Itália. Ed. Companhia do Bolso. SP. 2009

BURKE, Peter. El Renacimiento. Ed. Novagrafik. Ltd. Barcelona. 1993

BATTTAGLIA, Roberta. Da Vinci. Ed. Abril Coleções; tradução de José Ruy Gandra. São Paulo. 2011

CALDERARI, Lara. QUATTRINI, Cristina. Novità per Bernardino Luinie l’opera sua a

Lugano. Archivio Storico Ticinese. p. 62-89. 2012

CAUQUELIN, Anne. Teoria da Arte. Ed. Martins. SP. Julho 2005

CCBB. Mestres do Renascimento: Obras-Primas Italianas. 1. Ed. S.A. SP. 2013

DELUMEAU. Jean. A Civilização do Renascimento. V. 1. Ed Estampa. Lisboa. 1983

GARIN, Eugenio. O Homem Renascentista. 1. Ed. Presença. Lisboa. 1991

GINZBURG, Carlo. O Queijo e os Vermes. Ed. Companhia do Bolso. SP. 2016

GINZBURG, Carlo. A micro História e outras Analises. Ed. Bertrand Brasil, S.A. RJ. 1991

GINZBURG, Carlo. Mitos Emblemas e Sinais: Morfologia e Sinais. Ed. Schwarcz. SP. 1989

GOMBRICH, E.H. Os Usos das Imagens: Estudos sobre a Função Social da Arte e da

Comunicação Visual. RS. 2012

GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Ed. LTC. SP. 1 Ed. 1995

GOMBRICH, E.H. Arte e Ilusão: Um Estudo da Psicologia da Representação Pictórica.

Pocket. 16ª Ed. 1995.

GARIN, Eugenio. Ciência e Vida Civil no Renascimento Italiano. Ed. UNESP. SP. 1993

HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. Martins Fontes. 2ª Ed. 2010

HALE, John R. Dicionário do Renascimento Italiano. Tradução: Álvaro Cabral. Ed. LTDA. RJ. 1988

MAQUIAVEL. História de Florença. Ed. Martins Fontes. SP. 2007

MIDLEJ, Dilson Rodrigues. Apropriação de Imagens nas Artes Visuais no Brasil e na Bahia. Curso de Doutorado em Artes Visuais. Linha de pesquisa: História e Teoria da Arte Salvador. 2017

PANOFSKY, Erwin. Renascimento e Renascimentos na Arte Ocidental. Ed. Presença.

Lisboa.1952

REIS, José Carlos. História e Teoria: Historicismo, Modernidade, Temporalidade e Verdade. Ed. FGV. 2003

RANGEL, Valeska Bernardo. Releitura não é Cópia: Refletindo uma das Possibilidades do Fazer Artístico. CEFETST. ST. 1999

STEWART, Pamela A. V. Devotion to the Passion in Milanese Confraternities, 1500- 1630: Image, Ritual, Performance. In University of Michigan. 2015

VENTURI, Lionello. História da Crítica de Arte. Ed. 70. Lisboa, Portugal. 2007

WALTER, Isaacson. Leonardo Da Vinci. 1. Ed. Rio de Janeiro. 2017

Downloads

Publicado

2022-06-18

Como Citar

Jesus, S. (2022). OS LEONARDIANOS: DEBATES ACERCA DA IMPORTÂNCIA HISTÓRICA DA ARTE LOMBARDA RENASCENTISTA EM MILÃO NO SÉCULO XVI*. Perspectiva Pictorum, 1(1), 46–64. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistaperspectivapictorum/article/view/37785