A CONTEXTUALIZAÇÃO PELO TRABALHO E A POSSIBILIDADE DE APRENDIZAGEM DE CONCEITOS CIENTÍFICOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2020.19823

Palavras-chave:

Contextualização pelo trabalho, Educação de Jovens e Adultos, Ensino de Química

Resumo

Este trabalho enfatiza a importância da relação entre a educação pelo trabalho e a contextualização no processo de aprendizagem de conceitos científicos. Tem como princípio selecionar estratégias que facilitem a interação dos conceitos químicos com o cotidiano dos alunos, enfocando os aspectos sociais e econômicos pertinentes à sua realidade. Este trabalho foi desenvolvido em uma escola pública de uma cidade-satélite do Distrito Federal, com alunos da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Inicialmente, os alunos do 1º Ano do Ensino Médio preencheram um questionário referente às aulas de Química. Os resultados iniciais sugerem uma falta de contextualização na abordagem dos conteúdos, o que se reflete em um baixo interesse pela disciplina. Após a realização de atividades práticas (oficinas), os alunos foram submetidos a um novo questionário. A partir da contextualização com aspectos relacionados à realidade do aluno, verificou-se uma significativa mudança com relação à aprendizagem dos conceitos científicos e ao interesse demonstrado em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Barcellos Razuck, Secretaria de Educação do Distrito Federal

Doutor em Educação pela Universidade de Brasília. Professor de Química da Secretaria de Educação do Distrito Federal e Analista em Ciência e Tecnologia do Instituto de Radioproteção e Dosimetria

Renata Cardoso de Sá Ribeiro Razuck, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutora em Educação pela Universidade de Brasília. Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. Boitempo: São Paulo, 2003.

SILVA, R. R. da; RAZUCK, R. C. S. R.; TUNES, E. Desafios da escola atual: a educação pelo trabalho. Química Nova, v. 31, n. 2, 452-461, 2008.

FRIGOTTO, G. Concepções e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (Org.). Ensino Médio Integrado: Concepção e contradição. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

GONÇALVES, T. V. O. Educação em Ciências e Comunidade: Investigando a construção de saberes em ensaios de professores na Amazônia brasileira, acerca de uma prática docente diferenciada. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Porto Alegre, v. 4, n. 2, p. 53-62, 2004. Disponível em: http://www.fc.unesp.br/abrapec/revistav4n2.htm. Acesso em: 13 mar. 2019.

LIMA, M. R. O solo no ensino de ciências no nível Fundamental. Ciência e Educação (UNESP), Bauru (SP), v. 11, n. 3, p. 191-212, 2005. Disponível em: http://www.fc.unesp.br/pos/revista/vol11num3.htm. Acesso em: 14 jan. 2019.

LIMA, N. T. Juventude e o ensino médio: de costas para o futuro? Ensino Médio: ciência, cultura e trabalho. Brasília, MEC, SEMTEC, 2004.

PEIXOTO, Décio Pinheiro. Ensino de Química e Cotidiano. 2004. Disponível em: http://www.moderna.com.br/moderna/didaticos/em/artigos/2004/0031.htm. Acesso em: 13 maio 2019.

RAZUCK, F.B.; RAZUCK, R. C. S. R. Gripe A: a escola no processo informativo. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 3, p. 3615-3623, 2010a.

RAZUCK, F.B.; RAZUCK, R. C. S. R. Saúde escolar: a discussão da obesidade na escola. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 3, p. 281-290, 2010b.

RAZUCK, F.B.; RAZUCK, R. C. S. R. O combate ao tabaco na escola – a interferência da indústria tabagista. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 5, p. 1-12, 2012.

RAZUCK, F.B.; RAZUCK, R. C. S. R. As Armas não Letais como Abordagem temática para o Ensino de Química. Ensenanza de Las Ciencias, v. Extra, p. 1159-1164, 2017.

RIBEIRO, E. M. G.; PINTO, N. M. A.; BARBOSA, R. M. N. Papel da experimentação em sala de aula com diferentes abordagens. 2004. Disponível em: http://www.moderna.com.br/moderna/didaticos/em-/artigos/2004/0037.htm. Acesso em: 12 maio 2019.

SANTOS, V. T.; ALMEIDA, M. Â. V. de; CAMPOS, Â. F. Concepções de professores de química do ensino médio sobre a resolução de situações-problema. Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, v. 7, n. 1, p. 1-12, 2005. Disponível em: http://www.fc.unesp.br/abrapec/revistav5n3.htm. Acesso em: 13 jan. 2019.

SANTOS, W. L. P.; MORTIMER, E. F. Uma Análise de Pressupostos Teóricos da Abordagem C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no Contexto da Educação Brasileira. Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, p. 133-162, 2002.

SAVIANI, D. Sobre a Concepção de Politecnia. 1. ed. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, v. 1. 50 p., 1989.

TEIXEIRA, P. M. A educação científica sob a perspectiva da pedagogia histórico-crítica e do movimento C.T.S. no ensino de ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, ABRAPEC: Porto Alegre, v. 3 (1), n. 1, p. 88-102, 2003. Disponível em: http://www.fc.unesp.br/pos/revista/vol9num2.htm. Acesso em: 14 jan. 2019.

VERA, A. Jovens Alquimistas. 1999. Disponível em: http://novaescola.abril.com.br/ed/127_nov99-/html/ciencias.htm. Acesso em: 12 maio 2019.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Downloads

Publicado

2020-09-04

Como Citar

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. de S. R. A CONTEXTUALIZAÇÃO PELO TRABALHO E A POSSIBILIDADE DE APRENDIZAGEM DE CONCEITOS CIENTÍFICOS. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 121–132, 2020. DOI: 10.35699/2238-037X.2020.19823. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/19823. Acesso em: 28 nov. 2020.

Edição

Seção

ARTIGOS