PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR

REVISÃO E PERSPECTIVAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.25729

Palavras-chave:

Precarização do Trabalho, Trabalho, Reestruturação produtiva, Saúde, Saúde do Trabalhador

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a literatura sobre a precarização do trabalho e a saúde do trabalhador, vislumbrando as perspectivas de investigação/intervenção. Para tanto, foi realizada uma busca por artigos na Biblioteca Virtual da Saúde (BVS), seguida de uma análise crítica. Definidos os critérios de busca e seleção, foram selecionados 22 artigos para análise. A literatura consultada traz importantes contribuições sobre a relação entre a precarização do trabalho e a saúde do trabalhador, sobretudo para os trabalhadores da saúde, ratificando a amplificação desse fenômeno ante a reestruturação produtiva. Destacaram-se produções das áreas da Psicologia, Enfermagem e Saúde Coletiva, mas com substancial incorporação de categorias teóricas da Sociologia do Trabalho. Por outro lado, categorias teóricas de clássicos da Saúde do Trabalhador e Saúde Coletiva de base marxista podem, ainda, ser recuperadas com maior ênfase, a fim de elucidar os efeitos específicos do mundo do trabalho na saúde. As investigações daqui em diante devem focalizar na questão da uberização, mas sem isolar esse fenômeno da dinâmica geral de reprodução do capital. Faz-se necessário o fortalecimento de caminhos investigativos em uma perspectiva crítica, vislumbrando a transformação do processo de degradação da saúde, desde as suas raízes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivens Bruno Vieira Cabral, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Discente de Enfermagem e membro do Grupo de Estudo Trabalho, Ser Social e Enfermagem (GETSSE)/Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Pedro Henrique Nobre da Silva, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Discente de Enfermagem e membro do Grupo de Estudo Trabalho, Ser Social e Enfermagem (GETSSE)/Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Diego de Oliveira Souza, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutor em Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Especialista em Saúde do Trabalhador pela Fatec Internacional, Graduação em Enfermagem pela UFAL. Professor do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Formação Profissional e da Graduação em Enfermagem da UFAL.

Referências

AFFONSO, P. H. B.; BERNARDO, M. H. A vivência de profissionais do acolhimento em unidades básicas de saúde: uma acolhida desamparada. Trabalho, Educação e Saúde, v. 13, n. suppl 1, p. 23 - 43, 2015.

ALVES, G. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. 2 ed. Londrina: Praxis; Bauru: Canal 6, 2007.

ANTUNES, A. A uberização leva à intensificação do trabalho e da competição entre os trabalhadores. EPSJV/Fiocruz. 2016.

ARCE, V. A. R.; ARAÚJO, M. V. R. Precarização do trabalho no teleatendimento e a saúde dos trabalhadores: uma contribuição crítica ao trabalho do fonoaudiólogo. Revista Distúrbios da Comunicação, v. 29, n. 3, p. 596 - 604, 2017.

ARNAUD, F. I. M.; GOMES, V. L. B. Novas formas de gestão da força de trabalho do serviço público brasileiro e suas repercussões para o adoecimento: um estudo sobre os servidores de uma instituição judiciária. Barbarói (Revista do Departamento de Ciências Humanas da UNISC), v. 48, p. 106 - 134, 2016.

BERNARDO, M. H.; NOGUEIRA, F. R. C.; BÜLL, S. Trabalho e saúde mental: repercussões das formas de precariedade objetiva e subjetiva. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 63, p. 83 - 93, 2011.

BERNARDO, M. H.; VERDE, F. F.; PINZÓN, J. G. Vivências de trabalhadores com diferentes vínculos empregatícios em um laboratório público. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 16, n. 1, p. 119 - 133, 2013.

BREILH, J. La determinación social de la salud como herramienta de transformación hacia una nueva salud pública (salud colectiva). Revista Facultad Nacional de Salud Pública, v. 31, supl. 1, p: 13-27, 2013.

CARVALHO, S. M.; PAES, G. O.; LEITE, J. L. Trabalho, educação e saúde na perspectiva das concepções de enfermeiros em atividade docente. Trabalho, Educação e Saúde, v. 8, n. 1, p. 123 - 136, 2010.

CHESNAIS, F. Mundialização: o capital financeiro no comando. Revista Outubro, v. 5, p. 7-28, 2001.

DIAS, M. O.; SOUZA, N. V. D. O.; PENNA, L. H. G.; GALLASCH, C. H. Percepção das lideranças de enfermagem sobre a luta contra a precarização das condições de trabalho. Revista da Escola de Enfermagem da USP, p. 1 - 8, 2019.

FONTES, V. Capitalismo em tempos de uberização: do emprego ao trabalho. Marx e o Marxismo – Revista do NIEP- Marx, v. 5, n. 8, p. 45 - 67, 2017.

FRANCO, T.; DRUCK, G.; SELIGMANN-SILVA, E. As novas relações de trabalho, o desgaste mental do trabalhador e os transtornos mentais no trabalho precarizado. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 35, n. 122, p. 229 - 248, 2010.

FRIZZO, G.; BOPSIN, A. Saúde docente e a precarização do trabalho no curso de educação física na rede privada de ensino superior. Movimento (Revista de educação física da UFRGS), v. 23, n. 4, p. 1271-1282, 2017.

GONÇALVES, F. G. A.; SOUZA, N. V. D. O.; PIRES, A.S.; SANTOS, D. M.; D’OLIVEIRA, C. A. F. B.; RIBEIRO, L.V. Modelo neoliberal e suas implicações para a saúde do trabalhador de enfermagem. Revista Enfermagem UERJ, v. 22, n. 4, p. 519 - 525, 2014.

LAURELL, A. C., NORIEGA, M. Processo de produção e saúde: trabalho e desgaste operário. São Paulo: Hucitec; 1989.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: Livro primeiro: o processo de produção do capital: tomo 2. São Paulo: Nova Cultural, 1996. ISBN 85-351-0831-9.

MELO, A. I. S. C. Contracena de diferentes: a saúde do trabalhador como prática social e a percepção dos trabalhadores. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Rio de Janeiro, 1993.

MÉSZÁROS, I. Para além do Capital: rumo a uma teoria da transição. 1ª ed. 3ª reimp. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

PÉREZ JÚNIOR, E. F.; DAVID, H. M. S. L. Trabalho de enfermagem e precarização: uma revisão integrativa. Enfermagem em Foco, v. 9, n. 4, p. 71 - 76, 2018.

PIMENTA, G. F.; PÉREZ JÚNIOR, E. F.; PIRES, A. S.; GOMES, H. F.; THIENGO, P. C. S; PAULA, V. G. Influência da precarização no processo de trabalho e na saúde do trabalhador de enfermagem. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 8, n. 4, p. 758-768, 2018.

PRAUN, L. A solidão dos trabalhadores: sociabilidade contemporânea e degradação do trabalho. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 19, n. 2, p. 147–160, 2016.

PROGIANTI, J. M.; MOREIRA, N. J. P.; PRATA, J. A.; VIEIRA, M. L. C.; ALMEIDA, T. A.; VARGENS, O. M. C. Precarização do trabalho da enfermeira obstétrica. Revista Enfermagem UERJ, v. 26, p. 1 - 7, 2018.

SILVA, J. A. R. O. A flexibilização da jornada de trabalho e seus reflexos na saúde do trabalhador. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15a Região, n. 42 jan./jun., p. 127 - 156, 2013.

SILVA, N. M.; MUNIZ, H. P. Vivências de trabalhadores em contexto de precarização: um estudo de caso em serviço de emergência de hospital universitário. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 11, n. 3, p. 821-840, 2011.

SILVA, P. M. C.; SOUZA, K. R.; TEIXEIRA, L. R. Política de desprecarização do trabalho em saúde em uma instituição federal de C&T: a experiência de professores e pesquisadores. Trabalho, Educação e Saúde, v. 15, n. 1, p. 95 - 116, 2017.

SOUZA, D. O. Saúde do(s) trabalhador(es): análise ontológica da “questão” e do “campo”. Maceió: Edufal, 2019.

SOUZA, D. O.; MELO, A.I.S.C.; VASCONCELLOS, L.C.F. A saúde dos trabalhadores em “questão”: anotações para uma abordagem histórico-ontológica. O Social em Questão, Rio de Janeiro, ano 18, n. 34, 2015.

SOUZA, D. O.; MELO, A. I. S. C.; VASCONCELLOS, L. C. F. Saúde do(s) trabalhador(es): do 'campo' à 'questão' ou do sujeito sanitário ao sujeito revolucionário. Saúde em debate, v. 41, n. 113, p. 591-604, 2017.

SOUZA, M. M. T.; PASSOS, J. P.; TAVARES, C. M. M. Sofrimento e precarização do trabalho em enfermagem. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 7, n. 1, p. 2072 - 2082, 2015.

SOUZA, N. V. D. O.; SANTOS, D. M.; RAMOS, E. L.; ANUNCIAÇÃO, C. T.; THIENGO, P. C. S.; FERNANDES, M. C. Repercussões psicofísicas na saúde dos enfermeiros da adaptação e improvisação de materiais hospitalares. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 14, n. 2, p. 236 - 243, 2010.

SOUZA, T. S.; SALDANHA, J. H. S.; MELLO, I. M. As relações de trabalho dos fisioterapeutas na cidade de Salvador, Bahia. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 4, p. 1301 - 1315, 2014.

TAKAHASHI, M. A. B. C.; SILVA, R. C.; LACORTE, L. E. C.; CEVERNY, G. C. O.; VILELA, R. A. G. Precarização do trabalho e risco de acidentes na construção civil: um estudo com base na análise coletiva do trabalho (ACT). Saúde e Sociedade, v. 21, n. 4, p. 976 - 988, 2012.

TRAESEL, E. S.; MERLO, Á. R. C. “Somos sobreviventes”: vivências de servidores públicos de uma instituição de seguridade social diante dos novos modos de gestão e a precarização do trabalho na reforma gerencial do serviço público. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 17, n. 2, p. 224 - 238, 2014.

VIEIRA, M. L. C.; OLIVEIRA, E. B.; SOUZA, N. V. D. O.; LISBOA, M. T. L.; XAVIER, T.; ROSSONE, F. O. Precarização do trabalho em hospital de ensino e presenteísmo na enfermagem. Revista Enfermagem UERJ, v. 24, n. 4, p. 1 - 6, 2016.

Downloads

Publicado

2022-02-03

Como Citar

VIEIRA CABRAL, I. B.; NOBRE DA SILVA, P. H.; DE OLIVEIRA SOUZA, D. PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR: REVISÃO E PERSPECTIVAS . Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 3, p. 51–65, 2022. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.25729. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/25729. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS