DO ATIVISMO SOCIAL A REVITALIZAÇÃO DO SINDICATO DOS METALÚRGICOS DO POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE/RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.29524

Palavras-chave:

Ativismo social, Revitalização sindical, Polo naval

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em reconstituir o processo de revitalização sindical, ocorrido entre 2012 e 2017, devido à ampliação intensa e veloz da categoria de metalúrgicos no Polo Naval e Offshore de Rio Grande. O referido processo foi marcado por intensas lutas entre os trabalhadores e o sindicato, devido à existência anterior de um ativismo social por parte dos trabalhadores. A metodologia utilizada consistiu na realização de entrevistas com dirigentes sindicais, trabalhadores, a consulta ao material disponibilizado pelo sindicato e revisão bibliográfica atinente ao recorte proposto. Através da abordagem teórica da construção de classe enquanto um “fazer-se” na experiência compartilhada, seguimos os principais momentos da revitalização sindical e os conflitos com a sua base, que obliteravam, em parte a sua representação legítima em torno do sindicato institucionalizado. Depreendemos que a consciência de classe, nos termos aqui tratados, conciliou-se com o sindicalismo de movimento já no começo da crise do Polo, mesmo assim esse momento foi importante para a legitimação de pautas em torno do desemprego. Contudo, diante do desmonte da indústria naval, o sindicato viu sua base erodir e, a partir de então, tem atuado com empresas de pequeno porte, as quais garantem um patamar mínimo de experiência adquirida de organização sindical para futuros ou prováveis empreendimentos no município.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula D'Avila, Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Realiza Pós-Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Referências

BRASIL. Decreto nº 4.925 de 19 de dezembro de 2003. Institui o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural – PROMINP, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4925.htm Acesso em: 10 fev. 2017.

BRIDI, Maria Aparecida; MOTIM, Benilde; M. L.; ARAÚJO, Silvia Maria de. O sindicato e sua representatividade em questão. In: X Encontro Nacional da Abet 2007, Salvador. Anais [...] Salvador: ABET, 2007. v. 1 CD. p. 1-18.

CAMPOS NETO, Carlos Alvares da Silva. Investimentos e financiamentos na indústria naval brasileira 2000-2013. In: CAMPOS NETO, Carlos Alvares da Silva; POMPERMAYER, Fabiano Mezadre (Ed.). Ressurgimento da Indústria Naval no Brasil (2000-2013). Brasília: IPEA, 2014.

D’AVILA, Ana Paula F.; BRIDI, Maria Aparecida. Indústria naval brasileira e a crise recente: o caso do Polo Naval e Offshore de Rio Grande (RS). Cadernos Metrópole. v. 19, n. 38, jan./abr., p. 249-268, 2017.

DE LA ROCHA, Ique. Trabalhadores reconhecem importância do STIMMMERG na defesa de seus interesses. O metalúrgico – Jornal do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Rio Grande. Rio Grande, maio-jun. 2014.

DE LA ROCHA, Ique. Trabalhadores unidos mudaram os rumos do sindicato: A revolução de 2011. Revista do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Rio Grande, ano 1. n. 1, dez. 2015.

DIÁRIO POPULAR. Metalúrgicos do Polo Naval seguem negociação sem necessidade de greve. Diário Popular, Pelotas, 7 out. 2013. Disponível em: https://www.diariopopular.com.br/geral/metalurgicos-do-polo-naval-seguem-negociacao-sem-necessidade-de-greve-74725/?. Acesso em: 24 out. 2021.

ESTANQUE, Elísio. Sindicalismo e movimentos sociais: ação coletiva e regulação social no contexto europeu e português. Lutas Sociais, São Paulo, n. 23, p. 55-67, 2.º sem. 2009. Disponível em: http://www4.pucsp.br/neils/downloads/05-elisio.pdf. Acesso em: 15 de mar. 2016.

GALVÃO, Andréia. A contribuição do debate sobre a revitalização sindical para a análise do sindicalismo brasileiro. Crítica Marxista, n. 38, p. 103-117, 2014.

GOMBATA, Marsílea. Você sabe como funciona o pré-sal?. Carta Capital. São Paulo, 21 set. 2015. Especiais: infraestrutura, geologia. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/especiais/infraestrutura/voce-sabe-como-funciona-o-pre-sal-8856.html. Acesso em: 21 de maio 2017.

LONER, Beatriz Ana. Construção de classe: operários de Pelotas e Rio Grande (1888-1930). Pelotas: Rede Unitrabalho, 2001.

RBS TV. Operários de estaleiro do RS fazem nova manifestação em Rio Grande. G1, Rio Grande do Sul, 22 set. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2016/09/operarios-de-estaleiro-do-rs-fazem-nova-manifestacao-em-rio-grande.html. Acesso em: 25 set. 2016.

RIO GRANDE. Lei Municipal n.º 6.058, de 11 de fevereiro de 2005. Institui o programa de incentivos para operacionalizar a instalação do estaleiro Rio Grande LTDA. Rio Grande: Câmara Municipal, [2005]. Disponível em: https://camara-municipal-de-rio-grande.jusbrasil.com.br/legislacao/520753/lei-6058-05 Acesso em: 16 de mai. 2017.

STIMMMERG – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE RIO GRANDE. Ata de reunião para fechamento dos itens acordados na negociação entre Sindicato dos Metalúrgicos de Rio Grande (RS), com o Representante do SINAVAL e Empresa, a partir das reivindicações propostas pelo Sindicato. Acesso ao documento impresso em: 18 de fev. 2014.

STIMMMERG – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE RIO GRANDE. Audiência pública em defesa do Polo Naval 13/03 no CIDEC SUL. STIMMMERG, Rio Grande, 2017. Disponível em: http://www.stimmmerg.com.br/index.php?n_sistema=7171&id_album=NTI=#ad-image-0. Acesso em: 20 mar. 2017.

STIMMMERG – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE RIO GRANDE. Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2014.

STIMMMERG – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE RIO GRANDE. Sobre o sindicato. Disponível em: http://www.stimmmerg.com.br/index.php?n_sistema=7158. Acesso em: 22 dez. 2015.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa: a árvore da liberdade. Tradução de Denise Bottmann. 8. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2017. v. 1.

THOMPSON, Edward Palmer. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

TOURAINE, Alain. Le movement ouvrier. Paris: Fayard, 1984.

Downloads

Publicado

2022-02-03

Como Citar

D’AVILA, A. P. DO ATIVISMO SOCIAL A REVITALIZAÇÃO DO SINDICATO DOS METALÚRGICOS DO POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE/RS. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 3, p. 115–131, 2022. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.29524. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/29524. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.