PROJETOS POLÍTICOS EM DISPUTA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO INTEGRADA E POLITÉCNICA COMO CONTRA PONTO À CONTRARREFORMA DO ENSINO MÉDIO

Autores

  • Roberta Cristine de Andrade Passos Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.35854

Palavras-chave:

Educação, Reforma do Ensino Médio, Empresários, Educação integrada/politécnica

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo fazer uma análise dos projetos políticos em disputa, que se iniciaram desde o processo de discussão da educação na Constituição de 1988 e das Leis de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional de 1996, contrastando duas propostas educacionais: uma a favor de uma Educação Integrada e Politécnica e, outra, focada no aligeiramento da educação e voltada para a preparação de mão de obra para o mercado de trabalho. Nesse sentido, esses dois projetos políticos continuaram a aparecer nas discussões, planos e leis educacionais, a fim de que fossem efetivados. Entendendo que este é um terreno de vitórias e derrotas a favor da Educação Integrada e Politécnica, pretendemos apontar a sua relevância para uma Educação Básica de qualidade, mesmo que atualmente ocorra a imposição de um modelo de educação, aprovado por meio da Medida Provisória (no 746/2016), convertida no Projeto de Lei no 34/2016, que conduziram para a aprovação da Contrarreforma do Ensino Médio no ano seguinte, pela Lei no 13.415/2017, a qual promoveu alterações na LDB, estabelecendo uma mudança na estrutura deste nível de ensino. Além desses dispositivos, foi sancionada a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC EM), pela Portaria MEC no 1.348, de 14 de dezembro de 2018, e houve a atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCN EM), por meio da Portaria MEC no 1.210, de 21 de novembro de 2018, os quais configuram o que o Ministério da Educação tem denominado de “Novo Ensino Médio”. Procuramos, também, evidenciar como e por que a Contrarreforma do Ensino Médio é prejudicial à proposta de um Ensino Básico, universal e de qualidade, que impede a prática da Educação Integrada e Politécnica. Essa Contrarreforma é norteada pelos princípios e objetivos que constam na Base Nacional Comum Curricular e devem ser executadas nas escolas públicas de todo o país em regime de colaboração entre os sistemas de ensino e as instituições e as redes escolares, públicas e privadas, de Educação Básica. Objetivamos por fim, desvelar quais as forças que atuam a favor dessa contrarreforma e quais suas propostas para este nível de ensino, considerando a análise do currículo flexível e dos itinerários formativos previstos pela BNCC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Cristine de Andrade Passos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal Fluminense (UFF) Brasil. Pós-Graduação Latu Sensu em Pedagogia Social para o século XXI - UFF. Mestre em Políticas e Públicas e Formação Humana - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Experiência profissional na área de: Educação infantil; Ensino fundamental. Coordenação Pedagógica Bolsista de Iniciação Científica. – CNPQ e FAPERJ. Bolsista Faperj nota 10

Downloads

Publicado

2022-02-03

Como Citar

PASSOS, R. C. de A. . PROJETOS POLÍTICOS EM DISPUTA: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO INTEGRADA E POLITÉCNICA COMO CONTRA PONTO À CONTRARREFORMA DO ENSINO MÉDIO. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 3, p. 201–202, 2022. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.35854. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/35854. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

RESUMOS