POLÍTICAS PÚBLICAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO

UMA RELAÇÃO POSSÍVEL

Autores

  • Clayton Perotoni Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Kátia Cilene Rodrigues Madruga Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Mônica Knöpker Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) https://orcid.org/0000-0003-0766-1621

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.41140

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Eficiência Energética, Educação profissional técnica de nível médio

Resumo

Ao longo do tempo, políticas públicas vêm sendo elaboradas para o enfrentamento de problemas públicos diversos. Entre as políticas públicas existentes, estão aquelas voltadas à eficiência energética. No caso do Brasil, uma delas é o Plano Nacional de Eficiência Energética que destaca, entre outras coisas, a importância da educação para a implantação de políticas desse gênero e aponta a necessidade da disseminação do tema eficiência energética na educação básica. Levando isso em consideração, realizou-se um estudo com o objetivo de analisar de que maneira a educação escolar pode contribuir para a implementação de políticas públicas relacionadas à eficiência energética. Dentre os movimentos de pesquisa empreendidos nesse estudo, este artigo tem como foco aquele que se dedicou a avaliar a implementação de uma situação de aprendizagem envolvendo o tema eficiência energética. Essa situação de aprendizagem foi realizada no 2º semestre de 2020. Ela ocorreu na unidade curricular Fabricação Mecânica aplicada à Montagem e Manutenção, do Curso Técnico em Eletromecânica, ofertado no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) em Criciúma, Santa Catarina. Como procedimento metodológico, optou-se pela pesquisa-ação. No tocante aos resultados, percebeu-se que os estudantes demonstraram indícios de aprendizagem sobre eficiência energética e aplicaram seus conhecimentos em situações do cotidiano. A partir disso, foi possível concluir que a educação escolar, ao favorecer a construção de conhecimentos, tende a impactar a tomada de decisão dos estudantes, contribuindo, assim, para a implementação de políticas públicas relacionadas à eficiência energética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clayton Perotoni, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), da Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do Carvão (SATC) e da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). Mestre em Energia e Sustentabilidade (UFSC) e Perito nomeado do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Kátia Cilene Rodrigues Madruga, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora associada do Departamento de Energia e Sustentabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), doutora em Administração (Bremen/Alemanha) e pesquisadora do Grupo de Energia e Sustentabilidade. 

Mônica Knöpker, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)

Professora do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), doutora em Educação (UFRGS) e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Cultura e Pedagogia na Modernidade Líquida.

Referências

AGUILAR VILLANUEVA, Luis F. La hechura de las políticas. México: Porrúa, 1992. AGUILAR VILLANUEVA, op. cit., p. 22.

ALTOÉ, Leandra et al. Políticas públicas de incentivo à eficiência energética. Estudos Avançados, v. 31, n. 89, p. 285-297, 2017.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, Institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras Providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 10 jun. 2020.

BRASIL, Ministério de Minas e Energia. Plano Nacional de Eficiência Energética. Premissas e Diretrizes Básicas 156, 2011. Disponível em: http://www.mme.gov.br/documents/36208/469534/Plano+Nacional+Eficiência+Energética+%28PDF%29.pdf/899b8676-ebfd-c179-8e43-5ef5075954c2?version=1.0. Acesso em: 2 ago 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 25 out 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Temas Contemporâneos Transversais na BNCC. MEC, 2019. Brasília, DF, 2019. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/contextualizacao_temas_contemporaneos.pdf. Acesso em: 26 out 2020.

BRASIL, Ministério de Minas e Energia, Empresa de Pesquisa Energética. Plano Decenal de Expansão de Energia 2029. Brasília, 2020. Disponível em: https://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/plano-decenal-de-expansao-de-energia-pde. Acesso em: 2 ago 2020.

EPE. Plano Nacional de Energia 2030. Brasília: Ministério de Minas e Energia, 2006. Disponível em:

https://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/Plano-Nacional-de-Energia-PNE-2030. Acesso em: 2 ago 2020.

EPE. Plano Nacional de Energia 2050. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/Plano-Nacional-de-Energia-2050. Acesso em: 2 ago 2020.

EPE. Atlas da Eficiência Energética Brasil. Brasília. 2019.

Disponível em: https://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/atlas-da-eficiencia-energetica-brasil-2019. Acesso em: 23 out 2020.

FOBISSIE, E. N.; The role of environmental values and political ideology on public support for renewable energy policy in Ottawa, Canada. Energy Policy, v. 134, p. 110918, 2019.

GOUVEIA, João Pedro Costa Luz Baptista. Certificados brancos: análise e contributos para a sua aplicação em Portugal. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2008.

GUARENGHI, Marjorie Mendes et al. Barreiras na comunicação e alternativas para auxiliar a compreensão sobre as mudanças climáticas. HOLOS, v. 3, p. 123-134, 2018.

KHAN, Imran. Energy-saving behaviour as a demand-side management strategy in the developing world: the case of Bangladesh. International Journal of Energy and Environmental Engineering, v. 10, n. 4, p. 493-510, 2019.

LYNN, Laurence E.; GOULD, Stephanie G. Designing public policy: a casebook on the role of policy analysis. Goodyear Publishing Company, 1980.

MUCHAIABANDE, Rui; CARVALHO, Paulo Cesar Marques; MAHANJANE, Urânio Stefane. Alfabetização energética no contexto da eficiência: lições a aprender com África do Sul, Brasil, Índia e Portugal. Nature and Conservation, v. 11, n. 1, p. 26-43, 2018.

PETERS, B. G. American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House. 2015.

RABELLO, Elaine T.; PASSOS, José Silveira. Vygotsky e o desenvolvimento humano. Portal Brasileiro de Análise Transacional, p. 1-10, 2010.

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI). Departamento Nacional. Elaboração de perfis profissionais por comitês técnicos setoriais. 3. ed. Brasília, 2008.

SENAI. Departamento Nacional. Metodologia SENAI de educação profissional. SENAI. Departamento Nacional. Brasília: SENAI/DN, 2013.

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL (SENAI). Departamento Nacional. Metodologia SENAI de Educação Profissional. Brasília: SENAI/DN, 2018.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, p. 20-45, 2006.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. Cengage Learning, 2014.

SECCHI, Leonardo. Policy analysis in Brazil: a comparison of rationalist and argumentative approaches. Journal of Comparative Policy Analysis: Research and Practice, v. 18, n. 1, p. 88-101, 2016.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Mind in Society - The Development of Higher Psychological Processes. Cambridge MA: Harvard University Press. 1978.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone: 1988.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1998.

VYGOTSKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. 2.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

ZANOLLA, Silvia Rosa da Silva. O conceito de mediação em Vygotski e Adorno. Psicologia & Sociedade, v. 24, n. 1, p. 5-14, 2012.

Downloads

Publicado

2023-10-19

Como Citar

PEROTONI, C.; MADRUGA, K. C. R.; KNÖPKER, M. POLÍTICAS PÚBLICAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO: UMA RELAÇÃO POSSÍVEL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 2, p. 30–45, 2023. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.41140. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/41140. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS