DO VENTRE FEMININO A AURORA DA NAÇÃO PERFEITA

A MULHER CONTEMPLADA NO IDEÁRIO DA EUGENIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2022.41300

Palavras-chave:

Eugenia, Papel Social, Mulher

Resumo

O objeto dessa exposição é o papel social das mulheres propagado pelo ideário da eugenia no Brasil. Concentramos nossa análise no período de intensa publicação e propagação sobre eugenia, a década de 1920. Nosso objetivo é aflorar discussão sobre como, por meio da história à luz do materialismo histórico, as ideias não se distanciam da realidade concreta em que são produzidas. No caminho percorrido, destacamos nuances que indicam um ideário em prol da resolução de problemáticas no contexto histórico e social do qual é parte, sem deixar de ser um recurso ideológico de reprodução social do capital. Concluímos que o papel das mulheres defendido pela eugenia foi, simplificadamente, um traço geral da sociedade de classes. Presente em nossos dias atuais nas ideias reacionárias, mulheres como pilares da família e salvaguardas do futuro nacional, são tragédias reproduzidas no percurso histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lucia, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo, Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Graduação em Psicologia pela Universidade de Mogi das Cruzes. Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Maringá

Simone Carlos de Souza, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá, Graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá. Está vinculada ao GEPHE (Grupo de Estudos e Pesquisas Higiene Mental e Eugenia) e desenvolve pesquisa na Linha de Formação Humana e Processos Educativos, tradando do tema da violência contra à mulher

Referências

BOARINI, Maria Lúcia (org.). A busca da perfeição: o ideário eugenista em pauta. Maringá: EDUEM, 2019.

BRAGA, Edgar. Fundamentos do exame pré-nupcial. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. III. P. 8. Abr. 1931. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=159808&pesq=edgard%20braga&pagfis=167. Acesso em: 05 ago. 2021.

BRAGA, Edgar. Noivado eugênico. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. IV. N. 37. P. 7. Jan./Mar. 1932(a) Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=159808&pesq=%22edgard%20braga%22&pasta=ano%20193&hf=memoria.bn.br&pagfis=230. Acesso em: 05 ago. 2021.

BRAGA, Edgar. À margem da hygiene e da eugenia. Profilaxia Social. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. IV. N. 40. Pág.21. Outubro de 1932(b). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=159808&pesq=%22a%20margem%20da%20hygiene%20e%20da%20eugenia%22&pasta=ano%20193&hf=memoria.bn.br&pagfis=32. Acesso em: 05 ago. 2021.

BRAGA, Edgar. À margem da hygiene e da eugenia – maternidade sã. In: Diário de Pernambuco. P. 2. Ano 108. N. 178. 8 Agosto de 1933. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=029033_11&pesq=%22a%20margem%20da%20hygiene%20e%20da%20eugenia%22&pasta=ano%20193&hf=memoria.bn.br&pagfis=9489. Acesso em: 26 set. 2021.

ÇAGLI, Elif. Construction of “Eugenic Ideal Woman" in Turkey between 1930- 1945 by Body and Sport Politics. In: International Journal of Gender and Women’s Studies. Instanbul, vol. 4, n 2, pp.78-94. Dec. 2016. Disponível em: http://ijgws.com/journals/ijgws/Vol_4_No_2_December_2016/8.pdf. Acesso em: 30 jul. 2021.

COBRA, Ercília. Virgindade anti-higiênica: preconceitos e convenções hipócritas. Curitiba: Antonio Fontoura, 2018. Edição Kindle.

COMTE, Auguste. Discurso sobre o espírito positivo. Trad. José Arthur Giannotti. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

CRONÔMETRO DA VIOLÊNCIA. Violência contra mulheres em dados. Disponível em: https://dossies.agenciapatriciagalvao.org.br/violencia-em-dados/. Acesso: 20 jul. 2021.

DANTAS, Júlio. A propósito da Eugenia: degenerados. In: Boletim de Eugenia. Ano 2. N. 18. P. 05. Junho de 1930. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=15980&pesq=%22a%20margem%20da%20hygiene%20e%20da%20eugenia%22&pasta=ano%20193&hf=memoria.bn.br&pagfis=88. Acesso em: 10 set. 2022.

DECRETO DE LEI n. 3.071 (1916, 01 de janeiro). Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L3071.htm. Acesso em: 04 abr. 2020.

DOUGLASS, Frederick. Evolution, “Progress,” and Eugenics. p. 62-89. In: Facing History and Ourselves. Disponível em: http://hhsrobinson.org/HHSRobinson/FHAO_Readings_files/Chapter%203.pdf. Acesso em: 10 dez. 2021.

E.R. Causas da desorganização matrimonial. Falhas da educação moderna. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. I2. N. 19. Pág.1. Julho de 1930(a). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=159808&Pesq=sylvia%20serafim&pagfis=92. Acesso em: 05 ago. 2021.

E.R. A Eugenia no futuro. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. 3. N. 31. Pág.1. Julho de 1930 (b). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=159808&Pesq=sylvia%20serafim&pagfis=92. Acesso em: 05 ago. 2021.

EDGAR, John. Eugenía e Patriotismo. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Vol. 1. N. 3. Pág.2. Março de 1929. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=159808&pesq=A%20Eugenia%20%C3%A9%20uma%20ci%C3%AAncia%20de%20fronteiras%20perfeitamente%20delimitadas&pagfis=10. Acesso em: 26 ago. 2021.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1984.

FAGGION, Melline Ortega; SOUZA, Simone Carlos de. O Correio Paulistano (1918-1929) e a popularização do ideário da eugenia. In: BOARINI, Maria Lucia (org.). A busca da perfeição: o ideário eugenista em pauta. Maringá: EDUEM, 2019.

GALTON, Francis. Hereditary talento and character (1865). Disponível em: https://galton.org/essays/1860-1869/galton-1865-hereditary-talent.pdf. Acesso em: 06 dez. 2021.

GALTON, Francis. Hereditary Genius: tlhe Judges of England between 1660 and 1865. (1869). Disponível em: https://galton.org/essays/1860-1869/galton-1869-macmillans-judges.pdf. Acesso em 06 dez. 2021.

GALTON, Francis. Gregariousness in cattle and in men (1871). Disponível em: https://galton.org/essays/1860-1869/galton-1865-hereditary-talent.pdf. Acesso em 06 dez. 2021.

GOMES, Ângela de Castro. Burguesia e Trabalho. Política e legislação social no Brasil (1917-1937). 2.ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2014.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

KEHL, Renato. Boletim de Eugenia (1). Rio de Janeiro. Vol.1 Num. 4. p.1. Abril de 1929 (a). Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/DocReader.aspx?bib=159808&Pesq=cooperar%20para%20o%20aumento%20progressivo&pagfis=14. Acesso em: 20 jul. 2021.

KEHL, Renato. Eugenía e Eugenismo. In: Boletim de Eugenia. Ano 1. N. 8. P.01. Agosto de 1929 (b). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=159808&pesq=A%20Eugenia%20%C3%A9%20uma%20ci%C3%AAncia%20de%20fronteiras%20perfeitamente%20delimitadas&pagfis=30. Acesso em: 26 ago. 2021.

KEHL, Renato. Limitação da Natalidade. In: Boletim de Eugenia. Ano 1. N. 12. P.01. Dezembro de 1929(c). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=159808&pesq=A%20Eugenia%20%C3%A9%20uma%20ci%C3%AAncia%20de%20fronteiras%20perfeitamente%20delimitadas&pagfis=30. Acesso em: 26 ago. 2021.

KEHL, Renato. Pedagogía Sexual: lecciones de eugenesia. Madrid: Javier Morata, 1930.

KEHL, Renato. Irmãos gêmeos. In: Boletim de Eugenia. Rio de Janeiro. Ano. IV. N. 40. P.18-20. 1932. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=159808&pesq=%22a%20margem%20da%20hygiene%20e%20da%20eugenia%22&pasta=ano%20193&hf=memoria.bn.br&pagfis=352. Acesso em: 26 Set. 2021.

KEHL, Renato. Por que sou Eugenista. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1937.

KOLARIC, Ana. Gender, nation, and education in the women’s magazine Žena (The woman) (1911-1914). In: Espacio, Tiempo y Educación. Salamanca, Spain, jan-jun, vol. 4, n 1, pp. 1-23. 2017. Recuperado em 10 de agosto de ano: http://www.espaciotiempoyeducacion.com/ojs/index.php/ete/article/view/142. Acesso em: 05 ago. 2021.

LINARES, Luciana. Matrimonios y algo más. Discurso eugénico en torno al proceso de selección de pareja. El caso de la revista Viva Cien Años. 1935-1947. In: Avances del Cesor. Argentina, primer semestre, v. 13, n 14, pp. 89-109. 2016. Recuperado em 10 de outubro de: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S2422-65802016000100004.

LINARES, Luciana. “A la conquista de la opinión pública!”: eugenesia latina a través de la revista Viva Cien Años, Argentina, 1934-1947. Revista Hist. ciênc. saúde-Manguinhos, Argentina, agosto, 25 (supl.1), pp. 179-192. 2018. Recuperado a partir de https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-953885. Acesso em: 05 ago. 2021.

LUKÁCS, Gyorgy. A Crise da Filosofia Burguesa. In: Existencialismo ou Marxismo. São Paulo: Senzala, 1967.

LUKÁCS, Gyorgy. Para uma ontologia do ser social. Volume 14. Trad. Sérgio Lessa. Maceió: Coletivo Veredas, pp. 297-500, 2018.

MALUF, Mariana; MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: F. A. Novais. História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MARDEN, Orison Sweet. A Mulher e o Lar. Porto: Casa Editora de A. Figueirinhas, 1995.

MARX, Karl. 18 de Brumário de Luiz Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

MILL, Stuart. Utilitarianism. Canada: Batoche Books, 2001.

MIRANDA, Milma Pires de Melo.; PAULA, Cristiane Silvestre de; BORDIN, Isabel Altenfelder Violência conjugal física contra a mulher na vida: prevalência e impacto imediato na saúde, trabalho e família. In: Revista Panamericana de Salud Pública. Washington, 2009. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2010.v27n4/300-308/. Acesso em: 05 ago. 2021.

NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2017. Edição do Kindle.

PORTO-CARRERO, Júlio Pires. Trabalhos Originaes – Sexo e Cultura. Arquivos Brasileiros de Hygiene Mental. Ano 3. N. 5. Maio de 1930 Disponível em: http://www.cch.uem.br/grupos-de-pesquisas/gephe/documentos/arquivos-brasileiros-de-higiene-mental-abhm/ano-3-numero-5-maio-1930.pdf. Acesso em: 05 ago. 2021.

PRADO JUNIOR, Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1981.

SODRÉ, Nelson Werneck. Quem é o povo no Brasil? In: Cadernos do Povo Brasileiro; 2003, n. 2113. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/povonobrasil.html. Acesso em: 12 mai. 2020.

SOIHET, Rachel. Mulheres pobres e violência no Brasil urbano. DEL PRIORE, Mary. (org). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2004.

SOUZA, Simone Carlos de. Sobre mulheres, violência doméstica e Estado: um retrato. 2021. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2021.

THIBAU, Sylvia Serafim. Materninade Consciente. Boletim de Eugenia (14). Rio de Janeiro. Fevereiro de 1930. Anno II. N. 14. P.1. Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/DocReader.aspx?bib=159808&Pesq=SYLVIA%20SERAFIM&pagfis=62. Acesso em: 20 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2023-01-24

Como Citar

BOARINI, M. L.; SOUZA, S. C. de. DO VENTRE FEMININO A AURORA DA NAÇÃO PERFEITA: A MULHER CONTEMPLADA NO IDEÁRIO DA EUGENIA. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 31, n. 3, p. 48–64, 2023. DOI: 10.35699/2238-037X.2022.41300. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/41300. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

ARTIGOS