NOTAS SOBRE “MARCHA” E “MÍSTICA” NO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA (MST) / Notes about “march" and “mystique” in the Landless Rural Workers Movement (MST) in Brazil

Autores

  • Sonia Maria Roseno UFMG
  • Rogério Cunha de Campos FaE/UFMG

Palavras-chave:

MST, Marcha, Mística

Resumo

Os movimentos sociais originados no campo têm-se constituído em sujeitos destacados de formação humana, especialmente nos últimos anos, no Brasil, e em outros países da América Latina. Apresentamos aqui notas sobre duas importantes expressões da pedagogia presentes no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), "a marcha" e "a mística", a partir de pesquisas em andamento. Tratamos do contexto, da questão central da luta pela terra que origina esse movimento social e exploramos, de modo preliminar, algumas práticas pedagógicas expressivas de sua identidade e dos seus discursos, construídos no processo mesmo de suas lutas, em que se configuram como sujeito coletivo, político e cultural, decisivo para o futuro da sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonia Maria Roseno, UFMG

Departamento de Educação

Educação do Campo

Rogério Cunha de Campos, FaE/UFMG

Pós-Doutorado pela School of Social Science and Public Policy/King's College London e pela Universitat de Barcelona, Doutorado em Educação pela USP. Professor Associado do PPGE FaE/UFMG.

Downloads

Publicado

2013-02-21

Como Citar

ROSENO, S. M.; CAMPOS, R. C. de. NOTAS SOBRE “MARCHA” E “MÍSTICA” NO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA (MST) / Notes about “march" and “mystique” in the Landless Rural Workers Movement (MST) in Brazil. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 21, n. 3, p. 293–302, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/8809. Acesso em: 9 fev. 2023.