INQUÉRITOS LONGITUDINAIS E ENTREVISTAS BIOGRÁFICAS NO ESTUDO DOS PERCURSOS ESTATUTÁRIOS E SUBJETIVOS DE TRANSIÇÃO DOS JOVENS / Longitudinal surveys and biographical interviews in the study of young people statutory and subjective transition pathways’

Autores

  • Maria Sidalina Pinho de Almeida Instituto Superior de Serviço Social do Porto

Palavras-chave:

Transição, Questionários longitudinais, Entrevistas biográficas

Resumo

Em face da complexificação crescente dos processos de transição entre escola e mundo do trabalho, à sua menor linearidade sequencial, ao seu alongamento, à desconexão das suas fases transicionais e à emergência de novos momentos, à dificuldade em identificar os acontecimentos de início e de fim, defendemos em termos metodológicos a opção pela aproximação biográfica e particularmente pela perspectiva do curso de vida. Salientamos a importância do olhar longitudinal que obriga a entender a transição como um período em que continuamente se (re)escrevem percursos escolares, de formação e de inserção profissional que se entrecruzam na sucessão do tempo. Enfatizando a dinâmica dos percursos, procuramos discutir uma aproximação metodológica que permita compreender a diversidade de elementos que influenciam modalidades de percursos heterogéneos. Essa aproximação elege os questionários longitudinais para o estudo das trajectórias objectivas e considera as entrevistas biográficas para o estudo das trajectórias subjectivas, entendidas como fundamentais na construção dos percursos de transição. Ao colocar-se a ênfase na ordem simbólica, considera-se que as operações de produção de sentido pelos jovens remetem para uma ordem temporal que extravasa o tempo cronológico na medida em que articula simultaneamente um tempo presente, um tempo de (re)significação do passado e um tempo de projecçãodo futuro. Ao colocarem a vida em intriga, os jovens expressam a atribuição de sentido sobre os seus percursos de transição, constroem a sua coerência e perspectivam o seu desenlace. Ilustramos esta proposta metodológica com a identificação de percursos estatutários e com um esquema de uma entrevista biográfica que antecede uma narrativa de transição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Sidalina Pinho de Almeida, Instituto Superior de Serviço Social do Porto

Doutora em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Mestre em Serviço Social e Política Social pela Pucsp, Licenciatura em Serviço Social pelo Instituto Superior de Serviço Social do Porto (ISSSP). Professora Auxiliar do ISSSP.

Downloads

Publicado

2014-12-07

Como Citar

ALMEIDA, M. S. P. de. INQUÉRITOS LONGITUDINAIS E ENTREVISTAS BIOGRÁFICAS NO ESTUDO DOS PERCURSOS ESTATUTÁRIOS E SUBJETIVOS DE TRANSIÇÃO DOS JOVENS / Longitudinal surveys and biographical interviews in the study of young people statutory and subjective transition pathways’. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 23, n. 2, p. 33–55, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9275. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.