HEGEL, MARX E A ONTOLOGIA DO SER SOCIAL / Hegel, Marx and the ontology of the social being

Autores

  • Domenico Losurdo Universitá degli Studi di Urbino

Resumo

Este texto representa um levantamento analítico de como Hegel tem sido avaliado e sua obra criticada a partir da perspectiva marxiana e quais as contradições presentes em tais colocações. Rompendo com a chave marcadamente consciencialista atribuída a Hegel, registra-se, aqui, como a natureza integra a sua filosofia da história e, não menos, sua filosofia política. Observando-se atentamente, verifica-se que o trabalho, em Hegel, afasta-se da caracterização pré-preconcebida de seu pensamento estando restrito ao caráter espiritual e abstrato de tal categoria. Comprova-se como o filósofo de Stuttgart dedica especial atenção às relações de classe, ao conflito social e à sua concreta configuração. Tais reflexões procuram afastar Hegel de um idealismo histórico e buscam aproximá-lo de um materialismo histórico, com plenas referências ao ser social. Ressalta-se como as mais diversas configurações do ser social aguardam por uma análise ontológica e, para tal, torna-se necessário um novo olhar para a obra hegeliana e suas reais contribuições a tão relevante propósito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Domenico Losurdo, Universitá degli Studi di Urbino

Doutor em Filosofia pela Universidade de Tubinga, Alemanha. Professor de História da Filosofia da Universitá degli Studi di Urbino, Itália. Preside, desde 1988, a Internationale Gesellschaft Hegel-Marx für dialektisches Denken e é membro do Comitato scientifico dall'Istituto Italiano per gli Studi Filosofici.

Downloads

Publicado

2015-12-11

Como Citar

LOSURDO, D. HEGEL, MARX E A ONTOLOGIA DO SER SOCIAL / Hegel, Marx and the ontology of the social being. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 117–130, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9415. Acesso em: 8 mar. 2021.