CATACRESE E ESTILO DOCENTE EM CONTEXTO DE PRECARIZAÇÃO

Autores

  • Isabela Rosália Lima de Araujo Universidade Federal de Sergipe
  • Laura Cristina Vieira Pizzi Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

Clínica da Atividade, Atividade Docente, Catacrese, Activity Clinic, Teaching Activity, Catachresis

Resumo

In this text, we seek to analyze how a teacher of the first years of elementary education, from a state public school located in Maceió/AL, develops the style and catachresis when carrying out her teaching activity in precarious working conditions. The theoretical-methodological assumptions guiding the research are the Historical-Cultural theory and the Activity Clinic. Style and catachresis are categories developed by the Clinic of Activity and represent part of the singularity of the subject when developing their professional activity, the style being the personal mode of appropriation of the collective gender of the work and catachresis a symbolic and instrumental (re) creation of professionals in searching of improvements to its activity. We used, as procedures of data collection, observations, interviews and Simple Autoconfrontation. We identified that, in a context of extreme limitations and problems, the teacher tended to present a traditional style, bringing her subjectivity as a central aspect of her teaching activity, reproducing previous educational experiences, and, consequently, a catachresis that became ineffective by a Pedagogical point of view, impairing their activity with children and their own professional growth.

___

Neste texto buscamos analisar como uma professora dos anos iniciais do ensino fundamental, de uma escola pública estadual localizada em Maceió/AL, desenvolve o estilo e a catacrese ao realizar sua atividade docente em condições de trabalho precárias. Os pressupostos teórico- metodológicos orientadores da pesquisa são a teoria Histórico-cultural e a Clínica da Atividade. Estilo e catacrese são categorias desenvolvidas pela Clínica da Atividade e representam parte da singularidade do sujeito ao desenvolver sua atividade profissional, sendo o estilo o modo pessoal de apropriação do gênero coletivo do trabalho e catacrese uma (re)criação simbólica e instrumental do profissional em busca de melhorias para sua atividade. Utilizamos, como procedimentos para coleta de dados observações, entrevistas e Autoconfrontação Simples. Identificamos que, em contexto de limitações e problemas extremos, a professora tendeu a apresentar um estilo tradicional, trazendo a sua subjetividade como aspecto central na sua atividade docente, reproduzindo experiências educacionais passadas e, em decorrência, uma catacrese que se torna pouco efetiva do ponto de vista pedagógico, prejudicando a sua atividade com as crianças e seu próprio crescimento profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabela Rosália Lima de Araujo, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Alagoas (com doutorado sanduíche na Universidade do Porto- Portugal em 2013 pela CAPES). Mestre em Educação (2011) pelo PPGE-UFAL (realizou intercâmbio na Pontífica Universidade Católica-SP quando integrante do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica - PROCAD entre PUC-SP, UNESA-RJ e UFAL). Graduada em Pedagogia pelo CEDU-UFAL (2008). Professora adjunta do Departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe (UFS) Campus Prof. Alberto Carvalho. Coodenadora do grupo de pesquisa Clínica da Atividade e Trabalho Docente. Atualmente coordena o projeto de pesquisa Sentidos e significados de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental sobre a atividade docente e o projeto de extensão Reflexividade crítica sobre as práticas docentes. Também é pesquisadora no grupo de pesquisa Educação e Movimentos Sociais e no grupo Currículo, Atividade Docente e Subjetividades. Pesquisadora Ad Hoc da FAPITEC/SE. Revisora da Revista Brasileira de Educação RBE e da Revista de Psicologia e de Ciências da Educação.

Laura Cristina Vieira Pizzi, Universidade Federal de Alagoas

Professora Títular da Universidade Federal de Alagoas.

Downloads

Publicado

2018-05-14

Como Citar

ARAUJO, I. R. L. de; PIZZI, L. C. V. CATACRESE E ESTILO DOCENTE EM CONTEXTO DE PRECARIZAÇÃO. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 69–85, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9712. Acesso em: 8 mar. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS