O DESCONFORTO DOCENTE COM A IMPOSIÇÃO PARA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E AS ESTRATÉGIAS PARA SUA SUPERAÇÃOO / The discomfort with the imposition to teach in distance learning and the strategies for its overcoming

  • Edson Moura da Silva Senac Minas
  • Simão Pedro P. Marinho PUC Minas
Palavras-chave: Distance education, Teachers work precarization, Defense mechanisms, Educação a Distância, Precarização de trabalho docente, Mecanismos de defesa

Resumo

Mercantilism in education emerges as a promising market niche and is fed by the distance education. With the proliferation of distance education in Brazilian higher education, the professor, often hired to attend presences classes, is forced to teach online subjects. In addition to realizing the precariousness of his work, in the context of normative pressures the professor suffers discomfort and displeasure, having to adopt psychological defense mechanisms as a way of overcoming them. The article describes the findings of a descriptive and qualitative research carried out with professors who were forced to work in the EaD. Data were collected through semi-structured interviews conducted with higher education professors who, in the period from 2010 to 2017, by institutional imposition assumed responsibility for disciplines offered at a distance. It was possible to verify different dissatisfactions, discomforts and complaints of malaise and identified different types of defense mechanisms adopted as a way of overcoming the normative pressures. The theoretical constructs about the defense mechanisms were based on the psychoanalytic theories postulated by Sigmund Freud.

___

O mercantilismo na educação se desponta como um nicho de mercado promissor e passa a ser alimentado pela EaD. Com a proliferação da EaD no ensino superior brasileiro, o professor, comumente contratado para atuar em aulas presencias, vê-se obrigado a ministrar disciplinas on-line. Além de constatar a precarização de seu trabalho, no contexto das pressões normativas o professor sofre desconforto e desprazer, tendo que adotar mecanismos de defesa psicológicos como forma de sua superação. O artigo descreve achados de uma pesquisa descritiva e qualitativa realizada junto a docentes que se viram obrigados a atuar na EaD. Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas aplicadas realizadas com professores da educação superior que, no período de 2010 a 2017, por imposição institucional assumiram a responsabilidade por disciplinas oferecidas à distância. Foi possível constatar diferentes insatisfações, desconfortos e queixas de mal-estar e identificar diferentes tipos de mecanismos de defesa adotados como forma de superação frente às pressões normativas. Os constructos teóricos acerca dos mecanismos de defesa foram pautados nas teorias psicanalíticas postuladas por Sigmund Freud.

Biografia do Autor

Edson Moura da Silva, Senac Minas
Doutor em Educação pela PUC Minas, Mestre em Administração pela Fundação Pedro Leopoldo, Graduado em Psicologia pela Newton Paiva. Professor titular da Faminas BH, Coordenador Pós-Graduação Senac Minas, Colaborador INEP/MEC como avaliador institucional.
Simão Pedro P. Marinho, PUC Minas
Doutor em Educação pela PUC/SP, Professor titular da PUC Minas, Coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação, Presidente da Câmara de Ensino Superior do Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais, Membro do Conselho de Educação e Treinamento da FIEMG.
Publicado
2019-02-21
Como Citar
SILVA, E.; MARINHO, S. O DESCONFORTO DOCENTE COM A IMPOSIÇÃO PARA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E AS ESTRATÉGIAS PARA SUA SUPERAÇÃOO / The discomfort with the imposition to teach in distance learning and the strategies for its overcoming. Trabalho & Educação - ISSN 1516-9537 / e-ISSN 2238-037X, v. 28, n. 1, p. 169-185, 21 fev. 2019.