Identidades materializadas na Amazônia Colonial: a cerâmica dos séculos XVIII e XIX do sítio Aldeia, Santarém, PA

  • Tiago Silva Alves Muniz Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Denise Maria Cavalcante Gomes Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Amazônia, Arqueologia Histórica, Etnogênese, Cerâmica

Resumo

O objetivo desse artigo é apresentar um estudo sobre a ocupação colonial em Santarém, PA, evidenciando processos de etnogênese através da análise da cerâmica histórica dos séculos XVIII e XIX. A análise do material proveniente de escavações sistemáticas no Sítio Aldeia, Santarém, PA, demonstra uma cerâmica híbrida, produzida pela convergência de atributos indígenas, africanos e europeus. O artigo contém uma caracterização da cerâmica em seus aspectos tecnológicos, morfológicos, decorativos e funcionais, avaliados em consonância com uma discussão sobre etnicidade em Arqueologia. A ocupação histórica de Santarém sugere encontros culturais, negociações e estratégias de resistência no mundo colonial amazônico, sendo possível vislumbrar a constituição de novas identidades regionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-31
Como Citar
Muniz, T. S. A., & Gomes, D. M. C. (2017). Identidades materializadas na Amazônia Colonial: a cerâmica dos séculos XVIII e XIX do sítio Aldeia, Santarém, PA. Vestígios - Revista Latino-Americana De Arqueologia Histórica, 11(2), 52-76. https://doi.org/10.31239/vtg.v11i2.10445
Seção
Artigos