Os objetos de ferro nos museus

uma encruzilhada do patrimônio metálico arqueológico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31239/vtg.v14i2.26093

Palavras-chave:

Conservação Arqueológica, artefatos de ferro, conservação curativa, patrimônio histórico

Resumo

As coleções arqueológicas metálicas conformam um grupo de objetos, muitas vezes, altamente susceptíveis à deterioração, que demandam a implementação de rigorosas medidas de conservação preventiva e ou procedimentos específicos de conservação curativa, para assegurar a sua permanência no tempo. Essas coleções podem incluir uma grande diversidade de materiais, de variados formatos, tamanhos e funções, que podem ser de ouro, prata, cobre, chumbo, ferro, ou de ligas, como o bronze, latão, alpaca ou peltre. Os artefatos de ferro, devido à sua tendência a voltar ao estado mineral original, são extremamente instáveis, o que explica a sua rápida deterioração e a sua escassa representação nos museus. O Laboratório Multidisciplinar de Investigação Arqueológica da Universidade Federal de Pelotas (Brasil) vem desenvolvendo pesquisas, desde o ano de 2011, sobre a conservação de coleções arqueológicas metálicas. Um dos objetivos dessas pesquisas é o de fornecer às instituições de menor porte e aos colecionistas particulares, tratamentos alternativos para a estabilização de artefatos de ferro. Foram comparados 12 processos interventivos realizados numa coleção de objetos de ferro, dispostos em ambientes diferentes durante 27 meses. Dessa forma, foi possível também contrastar o resultado desses processos sob condições ambientais e de manipulação diferenciadas. Dentre os tratamentos realizados, destacou-se a imersão em parafina pela sua eficiência na estabilização dos objetos, somada a sua facilidade de operação e aos baixos custos dos insumos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Berducou, M. Cl. (Coord), Adam, J. P., Bailly, M., Bertholon, R., Bossoutrot, A., Chantriaux- Vicard, E., Chavigner, F., Guillemard, D., Krougly, L., De La Baume, S., Meyer, N., Nunes Pedroso, R. & Relier, C. (1990). La conservation-restauration des vestiges archéologiques. Paris: Masson. 469 p.

Bethencourt, M., Gil, M. L. A., Fernández-Lorenzo, C. & Santos, A. (2004, Dec). Aplicación de tratamiento electroquímico a baja intensidad de corriente para la extracción de cloruros en objetos arqueológicos de hierro de procedencia subacuática. Observación de la evolución de fases mineralógicas mediante XRD-Rietveld. Revista de Metalurgia, 40(6). 420-425.

Calvo, A. M. (1997). Conservación y Restauración. Materiales, técnicas e procedimentos: de A a la Z. Barcelona: Ediciones del Serbal.

Campos, G. do N., & Granato, M. (2015). Cartilha de Orientações Gerais para Preservação de Artefatos Arqueológicos Metálicos. Rio de Janeiro: MAST.

CCI - Canadian Conservation Institute. (1989). Tannic Acid Treatment. Ottawa: Canadian Conservation Institute notes 9(5).

CCI - Canadian Conservation Institute. (1997). Recognizing Active Corrosion. Ottawa: Canadian Conservation Institute notes 9(1).

Cronyn, J. M. (2001). The Elements of Archaeological Conservation. Routledge: New York and Canada.

Hamilton, D. L. (1999). Methods of Conserving Archaeological Material from Underwater Sites. Texas: A&M University College Station.

Mourey, W. (1987). La conservation des antiquités métalliques de la fouille au musée. Draguignan: L.C.C.R.A.

National Park Service. (2001). Appendix I: Curatorial care of archaeological objects. In. NPS museum handbook, part I: Museum collections (p. I:1-I:15). Washington, DC: National Park Service.

Pearson, C. (1987). Conservation of marine archaeological objects. London; Boston: Butterworths.

Plenderleith, J. H. (1956). The Conservation of Antiquities and Works of Art: Treatment, Repair and Restoration, London, Oxford University Press.

Rodgers, B. A. (2004). The archaeologist’s manual for conservation: a guide to nontoxic, minimal intervention artifact stabilization. Nova Iorque: Kluwer Academic Publishers.

Selwyn, L. S. (2004). Metals and Corrosion: A Handbook for the conservation Professional, Canadian Conservation Institute, Ottawa.

Downloads

Publicado

2021-01-08

Como Citar

Mujica Sallés, J., dos Santos Dode, S. ., Silveira Souza, T. ., Poeta Darley, P. ., Monteiro Nascimento, M., Brauner Lobato, M., Siga Peil Martins, M. W., & Braga dos Santos, J. (2021). Os objetos de ferro nos museus: uma encruzilhada do patrimônio metálico arqueológico. Vestígios - Revista Latino-Americana De Arqueologia Histórica, 14(2), 79–99. https://doi.org/10.31239/vtg.v14i2.26093