Autopercepção em saúde bucal de idosos em unidades de saúde da família do Distrito Sanitário III de João Pessoa-PB.

  • Fagner Boson Santos UFP
  • Maria Betania de Morais UFP
  • Ailma de Souza Barbosa UFP
  • Fábio Correia Sampaio UFP
  • Franklin Delano Soares Forte UFP

Resumo

O objetivo deste estudo foi o de avaliar autopercepção em saúde bucal em idosos não institucionalizados pertencentes às Unidades de Saúde da Família (USF), Distrito Sanitário III João Pessoa-PB. Participaram 29 idosos de 65-74 anos (média de 68,6 ±3,67). Os exames foram realizados no consultório dentário nas USF. O diagnóstico para a cárie dentária e uso e necessidade de próteses seguiu os critérios de Brasil (2001). Os dados foram digitados no SPSS (v. 10.0) e submetidos a testes de associação (p<0,05). Para a análise da autopercepção utilizou-se o Geriatric Oral Health Assessment Index (GOHAI). Cerca de 65% dos examinados eram edêntulos. A média do índice de cárie dentária foi de 29,59 (dp ±4,95), sendo o componente perdido o de maior representatividade (89,97%). Constatou-se que a maioria dos idosos são
usuários de próteses, especialmente as totais superiores (58,6%). A maioria dos idosos não necessita de prótese superior 62,1%, diferentemente da arcada inferior onde apenas 41,4% não necessita. Dentre as próteses as totais configuraram com as de maior uso e necessidade. Não se verificou associação estaticamente significante entre o uso de prótese e a auto-percepção em saúde bucal pelo índice GOHAI. Observou-se a associação entre a necessidade de próteses e o índice GOHAI (p=0,046). A maioria dos idosos apresentaram
de baixa a moderada auto-percepção em saúde bucal medida pelo GOHAI. Sugere-se a implementação de medidas de promoção à saúde direcionadas à população idosa, no intuito de disseminar informações sobre saúde bucal e fortalecendo o vínculo da equipe de saúde família enquanto agente promotor de saúde.
Descritores: saúde (bucal) pública, idoso, autopercepção

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fagner Boson Santos, UFP

Departamento de Clinica e Odontologia Social, Centro de Ciências da Saúde, UFP.

Maria Betania de Morais, UFP

Departamento de Clinica e Odontologia Social, Centro de Ciências da Saúde, UFP.

Ailma de Souza Barbosa, UFP
Departamento de Clinica e Odontologia Social, Centro de Ciências da Saúde, UFP.
Fábio Correia Sampaio, UFP
Departamento de Clinica e Odontologia Social, Centro de Ciências da Saúde, UFP.
Franklin Delano Soares Forte, UFP
Departamento de Clinica e Odontologia Social, Centro de Ciências da Saúde, UFP.

Referências

1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2000. disponível em http://www.ibge.gov.br. Acessado em 20 de Maio de 2006.
2. Jorge MHPM. et al. A saúde no Brasil: análise do período de 1996 a 1999. OPAS/OMS, 2001.
3. Silva SRC, Fernades RAC. Autopercepção das condições de saúde bucal por idosos. Rev. Saúde Pública. 2001; 35:349-355.
4. Mascarenhas AK. A comparison of oral health in elderly populations seeking and not seeking dental care. Spec Care Dentist. 1999; 19(6): 248-53.
5. Silva DD. Aspectos epidemiológicos e de autopercepção da saúde bucal em idosos. Piracicaba,SP: 2003. Mestrado em Cariologia – FOP
UNICAMP. p. 86f.
6. Mello ALSF, Padilha DMP. Condições de higiene bucal de idosos residentes em instituições geriátricas de pequeno porte em Porto Alegre. Rev. Fac. Odontol. Porto Alegre 2001; 43:12-19.
7. BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Saúde Bucal. Projeto
SB2000: Condições de Saúde Bucal da população brasileira no ano 2000. Manual do Examinador. Brasília: Ministério da Saúde. 2001. 49 p.
8. Pereira MG. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1995. 587p. 9. Kressin NR, Atchison KA, Miller DR. Comparing the impact of oral disease in two populations of older
adults: application of the Geriatric Oral Health Assessment Index. J Public Health Dent 1997; 57: 224-32.
10. Pine CM, Pitts NB, Nugent ZJ. British association for the study of community dentistry guidance on sampling for surveys of child dental health. A BASCD coordinated dental epidemiology programme quality standard. Comm Dental Health 1997; 14: 10-17.
11. Coelho Filho JM, Ramos LR. Epidemiologia do envelhecimento no Nordeste do Brasil: resultados de inquérito domiciliar. Rev. Saúde Pública 1999; 33: 445-53.
12. BRASIL, Ministério da Saúde – Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Condições de saúde bucal da população brasileira – Projeto SBBrasil 2003 –Resultados Principais. Brasília: Ministério da Saúde. 2004, 68p.
13. Colussi CF, Freitas SFT, Calvo MC. Perfil epidemiológico da cárie e do uso e necessidade de prótese. Rev. Bras. Epidemiol. 2004; 7: 88-97.
14. Gaião LR, Almeida MEL, Heukelbach J. Perfil epidemiológico da cárie dentária, doença periodontal, uso e necessidade de prótese em idosos
residentes em uma instituição na cidade de Fortaleza, Ceará. Rev. Bras. Epidemiol. 2005; 8: 316-23.
15. Oliveira AGRC. Edentulismo. In: ANTUNES, JLF, PERES, MA. Epidemiologia da saúde bucal. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2006. Cap. 16.
16. Araújo SSC, Freire DBL, Padilha DMP, Baldisserotto J. Suporte social, promoção de saúde e saúde bucal na população idosa no Brasil. Interface- Comunic., Saúde, Educ 2006; 10: 203-16.
17. Cabral HAM, Martelli JL. Determinação da condição de saúde bucal, através do GOHAI, de idosos abrigados em instituições de longa
permanência conveniadas com o Fundo Municipal de Assistência Social da Prefeitura do Recife – PE. Odontologia Clínico-Científica. 2003; 2: 43-49.
18. Unfer B, Braum K, Silva CP, Pereira Filho, LD. Autopercepção da perda de dentes em idosos. Interface - Comunic, Saúde, Educ 2006; 10: 17-26.
19. Brunetti R, Montenegro FLB. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas, 2002.
20. Torres SVS. Pacientes odontogeriátricos: um estudo exploratório sobre saúde bucal e qualidade de vida. Campinas, 2003. Dissertação de Mestrado em Gerontologia pela Faculdade de Educação da
Universidade Estadual de Campinas. FE/UNICAMP.
21. Almeida MEL. Envelhecimento e bucalidade: suas múltiplas dimensões. 2003, 199f. Tese (Doutorado em Odontologia Preventiva e Social) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Odontologia
Araçatuba, 2003.
22. Freire RM. Saúde bucal dos pacientes idosos institucionalizados. Trabalho de Conclusão de Curso. São José dos Campos. FO- FCS. 30f, 2001.
23. Cawson RA, Binnie WH, Everson JW. Enfermidades da boca: correlações clínicas e patológicas. 2º ed. São Paulo: Artes Médicas, 1997
Publicado
2016-03-02
Como Citar
Santos, F. B., Morais, M. B. de, Barbosa, A. de S., Sampaio, F. C., & Forte, F. D. S. (2016). Autopercepção em saúde bucal de idosos em unidades de saúde da família do Distrito Sanitário III de João Pessoa-PB. Arquivos Em Odontologia, 43(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3435
Seção
Artigos