Adaptação transcultural de instrumentos para mensurar ansiedade e comportamento em clínica odontológica infantil

  • Dione Dias Torriani Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • Andréia Marins Teixeira
  • Ricardo Pinheiro Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • Marília Leão Goettems Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • Maria Laura Menezes Bonow Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Resumo

O artigo traz uma adaptação dos instrumentos Dental Anxiety Scale (DAS) e da Behavior Rating Scale para utilização no Brasil. A adaptação transcultural desses instrumentos constou das seguintes etapas: tradução dos instrumentos originais para o português, retrotradução, avaliação do comitê, adaptação cultural, validação de face e validação de conteúdo, originando, respectivamente, a Versão Brasileira da Escala de Ansiedade de Norman Corah e a Versão Brasileira da Escala de Padrão Comportamental de Venhan. Estas duas escalas foram consideradas válidas, confiáveis e facilmente integráveis em atividades clínicas e de pesquisa, podendo ser utilizadas em conjunto numa avaliação de relação entre ansiedade dos pais e comportamento das crianças.
Descritores: Ansiedade ao tratamento Odontológico. Odontopediatria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dione Dias Torriani, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Profª. Dept. Odontologia Social e Preventiva, UFPel
Andréia Marins Teixeira
Cirurgiã-dentista
Ricardo Pinheiro, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Médico Psiquiatra, Prof. da Faculdade de Medicina, UCPel
Marília Leão Goettems, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Mestranda em Odontopediatria, UFPel
Maria Laura Menezes Bonow, Universidade Federal de Pelotas - UFPel
Profª. Dept. Odontologia Social e Preventiva, UFPel

Referências

1. Ramos-Jorge ML, Pordeus IA. Por que e como medir a ansiedade infantil no ambiente odontológico. Apresentação do teste VPT
modificado. JBP Rev Ibero-am Odontopediatr Odontol Bebê. 2004;7:282-90.
2. Tambellini MM, Gorayeb R. Escalas de medo odontológico em crianças e adolescentes: uma revisão de literatura. Paidéia. 2003;13:156-61.
3. Frankl SN, Shiere FR, Fogels HR. Should the parent remain with the child in the dental operatory? J Dent Child. 1962;29:150-63.
4. Corah NL. Development of a Dental Anxiety scale. J Dent Res.1969;48:596-99.
5. Corah NL, Gale EL, Illig AJ. Assessment of a dental anxiety scale. J Am Dent Assoc. 1978;97:816-19.
6. Venhan L, Bengston D, Cipes M. Children’s response to sequential dental visits. J Dent Res. 1977;56:454-9.
7. Venhan LL, Gaulin-kramer E, Munster E, Bengston-Audia D, Cohan J. Interval rating scales for children’s dental anxiety and uncooperative behavior. J Clin Pediatr Dent. 1980;2:195-202.
8. Lygidaskis N, Marinou D, Katsaris N. Analysis of dental emergencies presenting to a community paediatric dentistry centre. Int J Pediatr Dent. 1998;8:181-90.
9. Ciconelli RM, Ferraz MB, Santos W, Meirão I, Quaresma MR. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico
de avaliação de qualidade de vida SF-36. Rev Bras Reumatol. 999;39:143-50.
10. Góes PS, Fernandes LM, Lucena LB. Validação de Instrumentos de Coleta de Dados. In: Antunes JL, Peres MA. Epidemiologia da
Saúde Bucal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006. p.390-7.
11. Keller CJ, Cardoso LD, Khullar V, Salvatore S. A new questionnaire to assess the quality of life of urinary incontinent woman. Br J Obstet
Gynaecol. 1997;104:1374-9.
12. Tamanini JT, D’ancona CA, Botega NJ, Neto Jr. NR, Dambros M, Palma PC. Validação do “King’s Health Questionnaire” para o português
em mulheres com incontinência urinária. Rev Saúde Pública 2003;37:203-11.
13. Cesar J, Moraes AB, Milgrom P, Kleinknecht RA. Cross validation of a Brazilian version of the Dental Fear Survey. Community Dent Oral
Epidemiol.1993;21:148-50.
14. Pires CP, Ferraz MB, Abreu MH. Translation into Brazilian portuguese, cultural adaptation and validation of the oral health impact profile
(OHIP-49). Braz Oral Res. 2006;20:263-8.
15. Torriani DD. Análise do comportamento de bebês durante atendimento odontológico: relação entre sexo, idade e dentes irrompidos
[Dissertação]. Araçatuba: Faculdade de Odontologia, 1999.
Publicado
2016-03-14
Como Citar
Torriani, D. D., Teixeira, A. M., Pinheiro, R., Goettems, M. L., & Bonow, M. L. M. (2016). Adaptação transcultural de instrumentos para mensurar ansiedade e comportamento em clínica odontológica infantil. Arquivos Em Odontologia, 44(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3481
Seção
Artigos