Prevalência da vacinação contra hepatite B de graduandos em Odontologia do UNIFESO/RJ

  • Francisco Augusto Gondim Silva Fundação Oswaldo Cruz-FIOCRU
  • Eveline Andrade Guedes Universidade Católica de Petrópolis -UCP
  • José Massao Miasato Universidade UNIGRANRIO

Resumo

Durante o atendimento odontológico existe um risco potencial para a transmissão de doenças infecciosas tanto para o paciente como para o dentista. Dentre estas doenças, incluem-se as hepatites virais, as quais podem ocasionar complicações importantes como a cirrose e o câncer. Foi verificada a cobertura vacinal para hepatite B nos alunos do curso de graduação em Odontologia do UNIFESO, no estado do Rio de Janeiro, através de um instrumento de coleta de dados, com participação voluntária, sendo a amostra final composta de 180 participantes. Os dados foram analisados estatisticamente no SPSS® versão 11.01. Os resultados demonstraram que 133 alunos (73,9%) já haviam sido vacinados para hepatite B com pelo menos uma dose, 37 (20,5%) não tinham se vacinado e 10 (5,6%) não responderam. Quanto ao número de doses aplicadas durante o processo de vacinação 44 alunos (24,4%) receberam uma dose, 89 (49,5%) duas doses, 37 (20,5%) nenhuma, e 10 (5,6%) não responderam. Nenhum participante assinalou a série vacinal completa. Cento e sessenta e cinco alunos (91,7%) não sabiam da necessidade da verificação da soroconversão após a 3ª dose, uma vez que a simples vacinação não é garantia da proteção imunológica, estando estes indivíduos susceptíveis ao risco ocupacional na prática odontológica. Concluiu-se que há necessidade de maiores informações aos estudantes quanto à importância da vacinação e da verificação laboratorial da sua eficácia, com o propósito de reduzir o risco ocupacional de infecção pelo vírus da hepatite B.

Descritores: Hepatite B. Controle de infecções. Riscos ocupacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Augusto Gondim Silva, Fundação Oswaldo Cruz-FIOCRU

Curso de Graduação em Odontologia, Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO), Teresópolis, RJ, Brasil
Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, Escola Nacional de Saúde Publica (ENSP), Fundação Oswaldo Cruz
(FIOCRUZ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Eveline Andrade Guedes, Universidade Católica de Petrópolis -UCP

Curso de Graduação em Odontologia, Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO), Teresópolis, RJ, Brasil
Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Petrópolis,
RJ, Brasil

José Massao Miasato, Universidade UNIGRANRIO
Faculdade de Odontologia, Universidade UNIGRANRIO, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Referências

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Programa Nacional de Hepatites Virais. Hepatites virais: o Brasil está atento/
Ministério da Saúde, Secretaria Executiva, Programa Nacional de Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.
2. Centers for Disease Control and Prevention. Update U.S. Public Health Service guidelines for the management of occupational exposures to HBV, HCV, and HIV and recommendations for post exposure prophylaxis. MMWR. 2001;50(RR-11):1-67.
3. Centers for Disease Control and Prevention. Recommendations for identification and public management of persons with chronic hepatitis
B virus infection. MMWR. 2008;57(RR-8):1- 20.
4. Veronesi R, Focaccia R. Tratado de Infectologia. 2ªed. São Paulo: Atheneu, 2004.
5. Garcia LP, Facchini LA. Vacinação contra hepatite B entre trabalhadores da atenção básica à saúde. Cad Saúde Pública. 2008;24:1130-40.
6. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços odontológicos:prevenção e controle de riscos. Brasília:Ministério da Saúde, 2006.
7. Centers for Disease Control and Prevention.Guidelines for infection control in dental health care settings. MMWR. 2003;52(RR-17):1-66.
8. Cleveland JL, Siew C, Lockwood SA, Gruninger SE, Chang SB, Neidle EA, et al. Factors associated with hepatitis B vaccine response
among dentists. J Dent Res. 1994;73:1029-35.
9. Pagliari AV, Melo NSFO. Prevalência da vacinação contra a hepatite B entre estudantes de Odontologia da Universidade Federal do
Paraná. Rev Fac Odontol Bauru. 1997;5:79-86.
10. Carvalho TFA, Montenegro ACP, Luna GC, Maia LGS, Perez EP, Oliveira MM, et al. Hepatite B: perfil de proteção em estudantes
de medicina, odontologia e enfermagem da UFPE. Rev IMIP. 1998;12:30-3.
11. Luu NS. Dental students with hepatitis B: issues to be considered when defining policies. J Dent Educ. 2004;68:306-15.
12. Medeiros UV, Cardoso AS, Ferreira SMS. Uso das normas de controle de infecção na prática odontológica. Rev Bras Odontol. 1998;55:209- 15.
13. Chaves PI, Links R, Gallo TB, Garcia RS. Verificação do conhecimento sobre Hepatite B. RGO. 2002;50:17-20.14.
14. Souza RA. Conhecimento, atitudes e práticas dos estudantes de odontologia diante das hepatites virais e controle de infecções.
[Dissertação]. Niterói: Centro de Ciências Médicas da UFF; 2003.
15. Farias JG, Carneiro GGVS, Silva VCRR, Rocha JRM, Moraes AKB, Medeiros MID, et al. Prevalência presumível de hepatites virais e
cobertura vacinal para hepatite do tipo B entre estudantes de odontologia da UFPB (Paraíba, Brasil). Rev Ciênc Méd Biol. 2006;5:214-21.
16. Lima EMC, Almeida MEL, Sousa DL, Bezerra Filho JG. Perfil de imunização dos alunos, professores e funcionários do curso de odontologia da Universidade Federal do Ceará. Arq Odontol. 2006;42:241-54.
17. Angelo AR, Queiroga AS, Santos SD, Sousa CDFS, Soares MSM. Hepatite B: conhecimento e prática dos alunos de Odontologia da UFPB. Pesq Bras Odontopediatria Clín Integr. 2007;7:211-6.
18. Stewardson DA, Palenik CJ, McHugh ES, Burke FJ. Occupational exposures occurring in students in a UK dental school. Eur J Dent Educ. 2002;6:104-13.
19. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Controle de infecções e a prática odontológica em tempos de AIDS:
manual de condutas. Brasília: Ministério da Saúde, 2000.
20. Ferreira CT, Silveira TR. Hepatites virais: aspectos da epidemiologia e da prevenção. Rev Bras Epidemiol. 2004;7:473-87.
21. World Health Organization – WHO. Hepatitis B. [acesso em 2007 mar 24]. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/
fs204/en.
22. Gir E, Netto JC, Malaguti SE, Canini SR, Hayashida M, Machado AA. Accidents with biological material and immunization against
hepatitis B among students from the health area.Rev Latinoam Enferm. 2008;16:401-6.
23. Centers for Disease Control and Prevention. A comprehensive immunization strategy to eliminate transmition of hepatitis B virus
infection in the United States. MMWR. 2006;55(RR-16):1-33.
Publicado
2016-04-04
Como Citar
Silva, F. A. G., Guedes, E. A., & Miasato, J. M. (2016). Prevalência da vacinação contra hepatite B de graduandos em Odontologia do UNIFESO/RJ. Arquivos Em Odontologia, 45(3). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3504
Seção
Artigos