Future-se

Eluciando mais uma tentativa de privatização das universidades públicas brasileiras

Autores

Palavras-chave:

universidade, future-se, privatização, tecnologia, financeirização

Resumo

Este artigo visa estabelecer relações entre o Programa Universidades e Institutos Empreendedores e Inovadores – Future-se – e diversos aportes teóricos que tem pautado a pesquisa, o empresariado e suas relações com o estado brasileiro ao longo dos anos. Parte-se de uma análise textual da proposta encaminhado à Câmara dos Deputados em junho de 2020, assim como de outras legislações que dão suporte ao projeto, sendo dividido em sete partes. Após a introdução é feita uma análise inicial da reforma do estado, da Teoria do Capital Humano e da Sociedade da Informação. Prossegue com um exame da Inovação, do modelo de Tripla Hélice e do Capitalismo Acadêmico. Logo após aborda-se mudanças no estado e no indivíduo e a transformação da empresa enquanto um modelo para a sociedade. Em seguida a reforma do estado é retomada para demonstrar a mutação gerencial que sofre o estado brasileiro. O penúltimo tópico detalha outros aspectos do Future-se não abordados nas seções anteriores, e ao fim parte-se para a conclusão onde algumas discussões feitas ao longo do texto são resgatadas. Para o proposto neste artigo, entendemos que o Future-se não é algo novo, mas uma tentativa de consolidar de uma tendência crescente de privatização do ensino superior, como uma nova especificidade, que é o elemento da financeirização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Augusto Lopes, IFBA - Instituto Federal da Bahia

Possui mestrado (2012) e doutorado (2018) em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente é Professor de ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal da Bahia. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: precarização, terceirização, qualificação profissional, formação da classe trabalhadora, trabalho e tecnologia, educação profissional e setor petrolífero

Publicado

2022-10-17

Edição

Seção

Artigos