O ACESSO DO ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA VISUAL À EDUCAÇÃO SUPERIOR: ANÁLISE DOS MICRODADOS DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM)

Autores

  • Lucinda A Leria Universidade Federal do ABC
  • Priscila Benitez Universidade Federal do ABC
  • Leonardo Alves Ferreira Universidade Federal do ABC
  • Francisco J Fraga Universidade Federal do ABC

Palavras-chave:

educação especial, avaliação em larga escala, acessibilidade digital, microdados do ENEM, pessoa com deficiência visual

Resumo

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é o principal instrumento de acesso à Educação Superior brasileira, sendo seus resultados também utilizados por políticas públicas para ofertas de vagas subsidiadas pelo Estado. Assim sendo, objetivou-se, neste estudo, analisar o acesso à Educação Superior da pessoa com deficiência visual (PcDv), investigando fatores relacionados aos rendimentos acadêmicos na avaliação em larga escala do ENEM, por meio da análise de microdados das edições de 2017 e 2018 do exame. Com base na metodologia de pesquisa exploratória, com abordagem quantitativa, este estudo investigou a participação, as características socioeconômicas e demográficas e o desempenho das PcDv no exame em comparação aos participantes sem deficiência, com a finalidade de identificar vulnerabilidades no acesso das PcDv à Educação Superior. Os resultados evidenciaram a baixa participação de PcDv no exame, além de estes possuírem menor renda familiar, idade mais avançada, menor participação do sexo feminino e menor concentração nas regiões Sul e Sudeste em relação aos participantes sem deficiência. A análise de desempenho apontou que as PcDv tiveram resultados similares às pessoas sem deficiência, desmistificando, assim, o conceito de incapacidade relacionado à pessoa com deficiência. No entanto,  os resultados variaram conforme a severidade da deficiência, sinalizando possíveis questões de acessibilidade no exame, prejudicando, desse modo, os participantes com deficiência visual mais severa. Concluiu-se que as políticas educacionais de acesso à Educação Superior, que utilizam a nota do ENEM, não se aplicam à parte dessa população, excluída dos benefícios da Educação Superior subsidiada pelo Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucinda A Leria, Universidade Federal do ABC

Possui Graduação de Tecnóloga em Construção Civil pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1983), Especialização em Gerenciamento de Projeto de Tecnologia da Informação pela Faculdade Politécnica da USP (Engenharia de Produção), Mestrado em Engenharia da Informação pela Universidade Federal do ABC (2016) e Doutorado em Engenharia da Informação pela Universidade Federal do ABC (inicio em 2017). Possui 26 anos de experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Informação. Atua principalmente nos seguintes temas de pesquisa:Educação Especial, Tecnologia Assistiva, Acessibilidade Digital e Acessibilidade em avaliações em larga escala.

Priscila Benitez, Universidade Federal do ABC

Professora Adjunta na Universidade Federal do ABC (UFABC), credenciada para orientação de dissertação de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão da Inovação da UFABC. Doutora em Psicologia (UFSCar, bolsista FAPESP e CAPES-PSDE), Mestre em Psicologia (UFSCar, bolsista CAPES-Reuni), Especialista em Intervenção familiar: psicoterapia e orientação sistêmica (FAMERP-SJRP/SP) e Graduada em Psicologia e Pedagogia. Realizou estágio de Doutorado Sanduíche no exterior (com bolsa CAPES-PSDE) na Universitat de Barcelona (Departament de Psicologia Evolutiva i de lEducación) e no Centro de Investigación y Enseñanza del Lenguaje. Realizou visita técnica (com bolsa FAPESP) no Autism Support Services: Education, Research and Training (ASSERT), na Universidade Estadual de Utah (EUA). Pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia sobre Comportamento, Cognição e Ensino (INCT-ECCE). Líder do GPEEI - Grupo de Pesquisa em Educação Especial e Inclusiva da UFABC. Atua nas seguintes áreas de pesquisa: Análise do Comportamento Aplicada (ABA), autismo, deficiência intelectual, educação especial e inclusiva e família. Mãe da Cecília, esteve em licença maternidade em 2017.

Leonardo Alves Ferreira, Universidade Federal do ABC

Possui graduação em Ciência e Tecnologia (2016), graduação em Engenharia biomédica (2020), e mestrado em Engenharia Biomédica (2020) pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Tem experiência na área de Engenharia Biomédica, com ênfase em processamento de sinais e imagens médicas.

Francisco J Fraga, Universidade Federal do ABC

Possui graduação em Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), mestrado em Engenharia Elétrica pela mesma instituição/unidade (POLI-USP) e doutorado em Engenharia de Computação pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do ABC. Tem experiência na área de Engenharia da Informação, com ênfase em Processamento Digital de Sinais e Reconhecimento de Padrões, atuando principalmente nos seguintes temas: processamento de sinais biomédicos, aprendizado de máquina, auxílio ao diagnóstico de doenças neurodegenerativas.

Publicado

2022-10-17

Edição

Seção

Artigos