POR ONDE CAMINHA O CAMPO INVESTIGATIVO DA EDUCAÇÃO POPULAR? QUESTÕES QUE ORIENTAM O DEBATE ATUAL

Autores

  • BETÂNIA CORDEIRO Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • MARIA CLARA BUENO FISCHER Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Palavras-chave:

educação popular, estado da arte, estado

Resumo

Este artigo se dedica a identificar e a problematizar questões envolvendo a Educação
Popular e o Estado, partindo da análise de pesquisas realizadas no campo da Educação Popular. A
emergência de governos populares na América Latina, a partir dos anos 2000, produz alterações na
forma como os atores da Educação Popular se relacionam com o Estado, apresentando novos desafios
e questões para os sujeitos que compõem esse campo. A partir dessa compreensão, realiza-se um
estudo aprofundado de teses de doutorado que apresentam análises com foco na Educação Popular e
no Estado, estabelecendo alguma relação entre eles. A pesquisa selecionou trabalhos defendidos entre
os anos 2000 e 2013, em programas de pós-graduação em educação de universidades brasileiras,
configurando-se como uma contribuição a um estado da arte sobre os temas em questão. Trata-se de
uma pesquisa teórico-bibliográfica fundamentada numa abordagem teórica crítico-dialética. De maneira
geral, é possível afirmar que, nos estudos analisados, a capacidade da Educação Popular, enquanto
prática político-pedagógica, de contribuir para a transformação da sociedade capitalista é a questão
chave que permeia todos os debates. São também resultados da pesquisa, entre outros elementos, a
existência de disputa de sentidos e objetivos, no que concerne a Educação Popular; a predominância da
constatação de compartilhamento de responsabilidades na execução ou na formulação de políticas e
programas governamentais, no que concerne à relação entre a Educação Popular e o Estado; a
concentração de análises nos impactos e nas implicações que tais compartilhamentos trazem para
organizações e movimentos sociais e populares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-12-03

Edição

Seção

Artigos