A iconografia linear da evolução na perspectiva de docentes que atuam na Educação Básica

  • Patricia da Silva Santos UFABC
  • Adriana Pugliese UFABC
  • Charles Morphy D. Santos UFABC
Palavras-chave: ensino de ciências, eugenia, teoria evolutiva

Resumo

A marcha dos hominídeos tem influenciado fortemente a percepção das pessoas sobre a teoria evolutiva. Nesse artigo, analisamos se tal representação da evolução afeta a percepção dos educadores sobre Biologia e Ensino de Ciências. Através de uma pesquisa qualitativa, com a participação de professores de uma escola da periferia de São Paulo, notamos a falta de conhecimento aprofundado sobre a teoria evolutiva e suas representações iconográficas. A marcha do progresso parece ajudar a perpetuar a ideia da inexorabilidade do “progresso biológico”, com o homem branco como estágio superior da evolução. Uma abordagem interdisciplinar pouco se faz presente, afastando os educadores de um entendimento mais amplo sobre o contexto histórico das teorias científicas. Grande parte dos docentes parece basear sua percepção sobre ciência em noções de senso comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia da Silva Santos, UFABC
CCNH
Adriana Pugliese, UFABC
CCNH
Charles Morphy D. Santos, UFABC
CCNH
Publicado
2020-02-19
Seção
RELATOS DE PESQUISAS / RESEARCH REPORTS