Cultura como comunidade imaginada

uma crítica à abordagem ontológica da cultura nos estudos geográficos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20.2018.19236

Palavras-chave:

Cultura, Ontologia, Geografia

Resumo

As abordagens tradicionais da antropologia, relativos às superestruturas que seriam capazes de moldar o comportamento de um conjunto expressivo de indivíduos, ainda estão presentes no debate geográfico. A força da abordagem superorgânica de Kroeber e dos paradigmas construídos pela escola de Berkeley participam vivamente da mentalidade geográfica contemporânea, o que nos ajuda a explicar a concepção ontológica da cultura. Nesta, a cultura é tratada como um ente, passível de delimitação e descrição, ignorando os avanços da moderna antropologia. Rompendo com a concepção ontológica da cultura, defendemos a ideia de que o conceito em questão, bem como considerou Benedict Anderson acerca da nação, trata-se de uma comunidade imaginada. Este tipo de entendimento liberta a análise geográfica de vícios tais como: a desmobilização do esforço em prol da justiça social, a supressão da geografia no exercício da alteridade, a reprodução reificada da abordagem ontológica em materiais didáticos e a inadequação da representação cartográfica da cultura. É nosso objetivo apresentar criticamente estas consequências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BHABHA, Homy K. O local da cultura. Belo Horizonte: editora UFMG, 2013.

BRAUDEL, Fernand. Gramática das Civilizações. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

CAPEL, Horacio. O positivismo e a geografia. (in) VILLALOBOS, Jorge Ulises Guerra. Horacio Capel: Ruptura e continuidade no pensamento geográfico. EDUEM, Maringá, 2013.

CLOZIER, René. História da Geografia. Lisboa: Publicações Europa-América, 1988.

CULCASI, Karen. Cartographically constructing Kurdistan within geopolitical and orientalist discourses. Political Geography, v.25, p.680-706, 2006.

DENNY, Walter B. Quotations in and out of Context: Ottoman Turkish Art and European Orientalist Painting. Leiden: Muqarnas, Vol.10, p.219-230, 1993.

DOLLFUS, Olivier. O Espaço Geográfico. São Paulo: Difel, 4ªed., 1982, 121p.

DUNCAN, James. The superorganic in american cultural geography. Annals of the Association of American Geographers. Vol.70, nº2, june, 1980.

GEORGE, Pierre. Os métodos da Geografia. São Paulo: Difel, 1978.

GOULD, P. R.; WHITE, R. R. The mental maps of British school leavers. Regional studies, V.2, nº 2, p.161-182, 1968.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. Geografia e Modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Classes, Raças e Democracia. Editora 34, São Paulo, 2002.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Editora Vértice, 1990.

HALL, Stuart. Pensando a diáspora: reflexões sobre a terra no exterior (in): Hall, Stuart - SOVIK, Liv (org.). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2013.

HARTSHORNE, Richard. Propósitos e natureza da geografia. São Paulo: Hucitec, 2008.

HEFFERNAN, Michael J. The desert in French orientalist painting during the nineteenth century. London: Landscape Research, 16:2, p.37-42, 1991.

HUNTINGTON, Samuel P. O choque das civilizações. Rio de Janeiro: Objetiva, 1997.

KROEBER, Alfred. The superorganic. American Anthropologist. Vol.19, nº2, april-june, 1917.

LACOSTE, Yves. A geografia – isso serve, em primeiro lugar, para fazer a Guerra. Campinas: Papirus, 2005.

LUCCI, Elian Alabi; BRANCO, Anselmo Lazaro. Geografia Homem e Espaço 9º Ano. São Paulo: Saraiva, 2008.

MITCHELL, Don. Não existe aquilo que chamamos de cultura: para uma reconceitualização da ideia de cultura em geografia. Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, UERJ, nº8, p.31-51, ago/dez de 1999.

MOREIRA, Ruy. O pensamento geográfico brasileiro. Volume I. São Paulo: Editora Contexto, 2008.

MUNIZ, Ana Carolina Ferreira. et.al. Geografia 9. São Paulo: Moderna, 2016.

NANDY, Ashis. A mente não colonizada: uma visão pós-colonial da Índia e do Ocidente. (in) CASTRO, Lucia Rabelo. Ashis Nandy: A imaginação emancipatória – desafios do século 21. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

PORTEOUS, Douglas J. Smellscape. Progress in Human Geography, vol.9, Issue 3, p.356-378, 1985.

PORTEOUS, Douglas J.; MASTIN, Jane F. Soundscape. Journal of Architectural and Planning Research. Vol. 2, nº 2, September, p.169-186, 1985.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2012.

SAUER, Carl. The morphology of Landscape. (in) OAKES, Timothy S.; PRICE, Patricia L. The Cultural Geography Reader. New York: 2008.

SAÏD, Edward W. Orientalismo: o Oriente como uma invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia de Bolso, 2007.

SAÏD, Edward W. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Companhia de Bolso, 2011.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2012.

SEEMANN, Jörn. Cartografia e Cultura: abordagens para a geografia cultural. (in) ROSENDAHL, Zeny; CORRÊA, Roberto Lobato. Temas e Caminhos da Geografia Cultural. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2010.

SHOBE, Hunter; BANIS, David. Music Regions and Mental Maps: Teaching Cultural Geography. Journal of Geography, v.109, nº2, p.87-96, 2010.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da. A supressão da geografia no exercício da alteridade. Fortaleza: Geosaberes, V.9, nº17, p.1-13, jan-dez, 2018.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da. A contribuição das premissas pós-coloniais para o ensino da geografia escolar. Geonordeste, Aracaju, Ano XXX, nº1, p.258-271, jan-jul, 2019.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da; COSTA, Alfredo. A inadequação das regionalizações culturais mediante os pressupostos do pós-colonialismo. Salvador: Geotextos, Vol.14, nº1, julho, 2018, p.225-247, 2018.

SILVEIRA, Ieda. A Geografia da Gente: Do Local ao Global, do Nacional ao Regional. 9º Ano. São Paulo: Ática, 2006.

TUAN, Yi-Fu. Place: an Experiential Perspective. Geographical Review, v.65, nº2, p.151-165, 1975.

TUAN, Yi-Fu. The significance of the artifact. Geographical Review, v.70, nº4, p.462-472, 1980.

WOODWARD, Michelle L. Between orientalist clichés and images of modernization. Filadélfia: History of Photography, 27:4, p.363-374, 2003

Downloads

Publicado

2020-02-07

Como Citar

Silva, L. L. S. da ., & Costa, A. . (2020). Cultura como comunidade imaginada: uma crítica à abordagem ontológica da cultura nos estudos geográficos. Revista Geografias, 26(1), 27–41. https://doi.org/10.35699/2237-549X .2018.19236

Edição

Seção

Artigos