Lazer, gênero e sexualidades no espaço urbano central de Erechim

Autores

  • Luiz Eduardo Minks Pereira Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Brasil
  • Marcos Sardá Vieira Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0263-0992

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-3263.2020.29042

Palavras-chave:

Espaço-público, Cisheteropatriarcal, Dissidências, Erechim

Resumo

Da mesma maneira que a cidade da era industrial foi concebida por intermédio da estrutura de dominação masculina e cis-heteropatriarcal, o acesso e usufruto das áreas centrais para as atividades de lazer refletem, ainda hoje, essa condição privilegiada nos modos de apropriação e segregação do espaço urbano. Ao mesmo tempo, revelam preconceitos e regulamentações morais contra grupos dissidentes, que são contraditórios à proposição de cidades mais democráticas. Diante dessa problemática, procuramos analisar as interações e representações sociais permeadas por expressões de gênero e sexualidades presentes no espaço urbano e nas atividades de lazer noturno da área central de Erechim, cidade localizada ao norte do estado do Rio Grande do Sul. Com esse objetivo, organizamos a pesquisa qualitativa e interdisciplinar através de referencial teórico e levantamento de campo, utilizando o método de observação não participante, diário de campo e o mapeamento da área de estudos. Com base nas referências de contextualização e caracterização urbana de Erechim, partimos do pressuposto que a presença de grupos e indivíduos contra-hegemônicos à condição branca e cis-heteropatriarcal dominante é potencialmente hostilizada e não representativa no espaço público e nos estabelecimentos comerciais. Por outro lado, as supostas imoralidades que atendem aos desejos de homens cisgêneros, entre diferentes atividades de lazer recreativo e sexual, estão permanentemente representadas na área central e espetacular dessa média cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Eduardo Minks Pereira, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Brasil

Estudante de arquitetura e urbanismo na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), com período sanduíche na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem iniciação científica nas áreas da Paisagem; e Direito à Cidade, além de participação em programas de extensão nas áreas de Comunicação; e Movimentos de ocupação urbana na cidade de Belo Horizonte.

Marcos Sardá Vieira, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Chapecó, Brasil

Arquiteto, urbanista e doutor em Ciências Humanas. Atua como professor adjunto na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), onde coordena o projeto de pesquisa “Gênero e sexualidades em urbanidades periféricas”. Tem interesse por pesquisas relacionadas com as seguintes temáticas: cidade, teoria-história, urbanidade, gênero, espaço e sexualidades.

Referências

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 3. ed. revista. São Paulo: Moderna, 2003.

BENTO, Berenice. A Reinvenção do Corpo - sexualidade e gênero na experiência transexual. 3. ed. Salvador, BA: Editora Devires, 2017.

BILHALVA, Liza. RODRIGUES, Marta Bonow. “O trabalho vai ser o alimento pra prolongar um pouquinho mais a vida”: envelhecimento, masculinidade e trabalho no Pampa Sulriograndense. Iluminuras, Porto Alegre: UFRGS, v. 20, n. 49, p. 338-355, 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/iluminuras/ article/view/89717/pdf. Acesso em: 22 ago. 2020.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. Tradução Carmen C, Varriale (et al); coord. trad. João Ferreira; rev. geral João Ferreira e Luis Guerreiro Pinto Cacais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. Trad. Maria Helena Kühner.

CONNELL, Raewyn; MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, v. 21(1), n. 424, p. 241-282, jan./abr. 2013.

COSTA, Ana Carolina Silva da. ARGUELHES, Delmo de Oliveira. A higienização social através do planejamento urbano de Belo Horizonte nos primeiros anos do século XX. Universitas Humanas, Brasília: UNICEUB, v. 5, n. 1-2, p. 109-137, 2008. Disponível em: https://www.publicacoes.uniceub.br/universitashumanas/article/view/878/612. Acesso em: 22 ago. 2020.

DE LAURETIS, Teresa. A tecnologia de gênero. In: HOLANDA, Heloisa Buarque de (org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica cultural. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 206-242.

DÍAZ HERNÁNDEZ, José Andrés. Cuerpos, signos y espacios: sobre la arquitectura panóptica de la segregación urinaria. RELIES: Revista del Laboratorio Iberoamericano para el Estudio Sociohistórico de las Sexualidades, n. 3, p. 5-30, 2020. Disponível em: https://www.upo.es/revistas/index.php/relies/article/view/4904. Acesso em: 22 ago. 2020.

DOMINGUES, Ana Carolina Carvalho de Souza; BRANDAO, Leonardo. Territórios do lazer LGBT em Blumenau/SC. 13º Mundos de Mulheres & Fazendo Gênero 11, Florianópolis, 2017.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade 1: vontade de saber. São Paulo: Paz e Terra, 2014. Trad. de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 1. ed.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população: curso dado no Collège de France (1977-1978).. São Paulo: Martins Fontes, 2008. Trad. Eduardo Brandão

FLORES, Maria Bernardete Ramos. Tecnologia e Estética do Racismo: ciência e arte na política da beleza. Chapecó: Argos, 2007.

FÜNFGELT, Karla. História da paisagem e evolução urbana da cidade de Erechim-RS. 2004. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pósgraduação em Geografia, Florianópolis, 2004.

GEHL, Jan. Cidades para pessoas. 1. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013. Trad. Anita di Marco.

GHIRARDO, Diane Yvonne. Arquitetura contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2002. Trad. Maria

Beatriz de Medina.

GIARETTA, Jane Gorete Seminotti. O grande e velho Erechim: ocupação e colonização do povoado de Formigas (1908-1960). 2008. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em História, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2008.

JACOBS, Jane. Morte e vida nas grandes cidades. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. Trad. de Carlos S. Mendes Rosa.

LEAL, Ondina Fachel. Os gaúchos: cultura e identidade masculina no Pampa. Tessituras: Revista de Antropologia e Arqueologia, Pelotas: UFPEL, v. 7, n. 1, p. 17-47, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/tessituras/article/download/14568/10208. Acesso em: 22 ago. 2020.

LERNER, Gerda. A criação do patriarcado: história da opressão das mulheres pelos homens.. São Paulo: Cultrix, 2019. Trad. Luiza Sellera

LEWIS, Elizbeth Sara. Teoria(s) Queer e performatividade: mudança social na matriz heteronormativa. In: MACEDO, Elizabeth; RANNIERY, Thiago (org.). Currículo, sexualidade e ação docente. 1. ed. Petrópolis, RJ: DP et Alii, 2017. p. 157-186.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: n-1 Edições, 2018. Trad. de Renata Santini.

PEREIRA, Natália Biscaglia. Arquitetura em madeira: influência da imigração no Alto Uruguai Gaúcho. 2019. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pósgraduação em Arquitetura e Urbanismo, Florianópolis, 2019.

PINO, Nádia Perez. A Teoria Queer e os intersex: experiências invisíveis de corpos des-feitos. Cadernos Pagu, Campinas, n. 28, p. 149-174, jan./jun. 2007.

RODOVALHO, Amara Moira. O cis pelo trans. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 365-373, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0104-026X2017000100365&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 22 ago. 2020.

SANTOS, Norberto Pinto; MOREIRA, Claudete Oliveira. O lazer e a noite: imagens de uma cidade universitária: Coimbra. In: SANTOS, Norberto Pinto. GAMA, António. (coord.). Lazer: da libertação do tempo à conquista das práticas. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2008. p. 245-269.

SCHMIDT, Remís Alice Perin. Erechim: cidade construída para imigrantes - poder simbólico na conquista do espaço urbano. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-graduação em História, Porto Alegre, 2009.

SÊGA, Rafael Augustus. Os Melhoramentos Urbanos como Estratégias de Dominação Social. Anos 90, Porto Alegre, n. 14, p. 218-230, dez. 2000.

VIEIRA, Marcos Sardá (org.). Panorama do espaço público em Erechim. Palhoça: Editora Unisul, 2019.

WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 460-482, jan. 2001. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2001000200008. Acesso em: 22 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-31 — Atualizado em 2020-12-31

Como Citar

Pereira, L. E. M. ., & Vieira, M. S. . (2020). Lazer, gênero e sexualidades no espaço urbano central de Erechim. Indisciplinar, 6(2), 300–325. https://doi.org/10.35699/2525-3263.2020.29042