Da existência ao ser

intersubjetividade em Gabriel Marcel

  • Clélia Peretti Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • José André de Azevedo Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Marcio Luiz Fernandes Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Palavras-chave: intersubjetividade, corporeidade, encarnação, Tu Absoluto, Gabriel Marcel

Resumo

O objetivo desse trabalho é descrever a intersubjetividade em Gabriel Marcel (1889-1973) como nota característica do ser humano. A reflexão filosófica de Gabriel Marcel se caracteriza por uma “metafísica concreta”. Desde um contexto de crítica ao cientificismo e racionalismo modernos, Gabriel Marcel, a partir do existencialismo e da fenomenologia, afirma que toda reflexão possui uma arché: a existência, ponto de partida e de referência de todo pensar. A partir da questão Quem eu sou? chega-se à percepção da existência como Encarnação: Eu sou meu corpo. Tal expressão é a marca mais genuína de uma experiência indubitável pela qual entro em relação e participação com o mundo e com os outros. A Encarnação é o dado central da metafísica, pois é a consciência de mim no meu corpo, é a mediação entre o eu e o mundo e os outros, e, por isso, perpassada de uma intensa comunhão ontológica - o que, em outras palavras, pode ser dito: intersubjetividade. Como uma espécie de “exigência”, as relações intersubjetivas nos levam à afirmação e ao encontro de um Tu Absoluto.

Biografia do Autor

Clélia Peretti, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

possui Graduação em Pedagogia pela Libera Università Maria Santíssima Assunta - Roma/Itália (1990); Graduação em Magistério em Ciências Religiosas pelo Pontifício Ateneo Antonianum - Roma/Itália (1997); Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Sagrado Coração - Bauru/SP, Brasil (1998); Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR - 2002). É doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia - EST, São Leopoldo- RS (2009); especialista em Gestão de Escolas pela PUCPR (2000). Educação a Distância pela Universidade de Brasília UnB (2007). É Bacharel em Teologia pela PUCPR (2010). E-mail: cpkperetti@gmail.com

José André de Azevedo, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

formado em Filosofia (2008) pela Faculdade Bagozzi e em Teologia (2002) pelo Studium Theologicum. Mestre em Filosofia Moderna e Contemporânea (2012) pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná/UNIOESTE e doutorando em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). E-mail: filo.andre@hotmail.com

Marcio Luiz Fernandes, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

pós-doutor (2013) em Psicologia pela Universidade de São Paulo . Possui graduação em Teologia - Studium Theologicum (1997), graduação em Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (1992), mestrado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2001), mestrado em Teologia Fundamental especialização em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Lateranense (2003) e doutorado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2007). E-mail: marciovisconde@yahoo.com.br

Referências

Azevedo, J. A. (2010). O mistério da encarnação em Gabriel Marcel. Argumentos Revista de Filosofia, 2(4), 106-113.

Azevedo, J. A. (2012). Da abstração à concretude da experiência: a filosofia concreta de Gabriel Marcel. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade do Oeste do Paraná, Toledo, PR.

Cañas J. L. (2005). Influencia del primer Gabriel Marcel en el primer Jean Paul Sastre. Anuario Filosofia, 38(2), 381-403.

Carmona, F. B. (1988). La filosofia de Gabriel Marcel: de la dialectica a la invocación. Madrid: Encuentro.

Chenu, J. (1948). Le theatre de Gabriel Marcel et sa signification métaphysique. Paris: Aubier.

Davy, M. M. (1959). Un philosophe itinerant: Gabriel Marcel. Paris: Flammarion.

Grassi, M. (2008). El hombre como ser encarnado y la “filosofia concreta” de Gabriel Marcel. Tesis de Licenciatura, Pontificia Universidad Católica Argentina, Buenos Aires.

Kourim, Z. (1970). Entrevista: encontro com Gabriel Marcel (N. Saldanha, Trad.). Revista Brasileira de Filosofia, 20(78), 133-146.

Marcel, G. (s. d.). Os homens contra o Homem (V. Almeida, Trad.). Porto, Portugal: Educação Nacional. (Original publicado em 1951).

Marcel, G. (1927). Journal métaphysique. Paris: Gallimard.

Marcel, G. (1935). Être et avoir. Paris: Aubier.

Marcel, G. (1940). Du refus à l’invocation. Paris: Gallimard.

Marcel, G. (1944). Homo viator: prolégomènes a une métaphysique de l’espérance. Paris: Aubier.

Marcel, G. (1947). L’existence et la liberté humaine chez Jean-Paul Sartre. Em A. George. Les grands appels de l’homme contemporain (pp. 111-170). Paris: Temps Présent.

Marcel, G. (1949). Position et approches concrètes du mystère ontologique. Paris: J. Vrin.

Marcel, G. (1951a). Le mystère de l’être I. Paris: Aubier.

Marcel, G. (1951b). Le mystère de l’être II. Paris: Aubier.

Marcel, G. (1951c). Les hommes contre l’humain. Paris: La Colombe.

Marcel, G. (1955). L’homme problématique. Paris: Aubier.

Marcel, G. (1959). Présence et immortalité. Paris: Flammarion.

Marcel, G. (1960). Um homem de Deus (E. Castro, Trad.) Petrópolis, RJ: Vozes. (Original publicado em 1925).

Marcel, G. (1961). Revolução da esperança: rearmamento moral em ação. Rio de Janeiro: José Olympio. (Original publicado em 1958).

Marcel, G. (1967). Essai de philosophie concrète. Paris: Gallimard.

Marcel, G. (1971). O conceito de herança espiritual. Em H. M. Ruitenbeek. (Org.) O dilema da sociedade tecnológica (pp. 53-64). (W. H. Ferreira, Trad.). Petrópolis, RJ: Vozes. (Original publicado em 1963).

Marcel, G. (2016). O transcendente como metaproblemático (J. A. de Azevedo, Trad.; M. L. Fernandes, Rev. Técnica). Revista da Abordagem Gestáltica Phenomenological Studies, 22(1), 99-101. Recuperado em 08 de setembro, 2016, de pepsic.bvsalud.org/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-68672016000100012&lng =pt&tlng=pt.

Merleau-Ponty, M. (2000). Parcours deux. Paris: Verdier.

Ricœur, P. (1947). Gabriel Marcel et Karl Jaspers: philosophie du mystère et philosophie du paradoxe. Paris: Temps Présent.

Ricœur, P. (1996). Leituras 2: a região dos filósofos (M. Perini, Trad.). São Paulo: Loyola.

Silva, C. A. F. (2010). O corpo em cena: Gabriel Marcel. Em G. A. Damiano, L. H. P. Pereira & W. C. Oliveira (Org.s). Corporeidade e educação: tecendo sentidos (pp. 93-112). São Paulo: Cultura Acadêmica.

Silva, C. A. F. (Org.). (2013). Encarnação e transcendência: Gabriel Marcel, 40 anos depois. Cascavel, Paraná: Edunioeste.

Urabayen, J. (2000). El caracter ontológico y ético de la libertad humana en la filosofia de Gabriel Marcel. Navarra, Espanha: Departamento de Filosofia.

Wahl, J. (1930). Le Journal Métaphysique de Gabriel Marcel. Revue de Métaphysique et de Morale, 38, 75-112.

Zilles, U. (1988). Gabriel Marcel e o existencialismo. Porto Alegre: Edipucrs.

Publicado
2017-07-02
Como Citar
Peretti, C., Azevedo, J. A. de, & Fernandes, M. L. (2017). Da existência ao ser. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 31, 175-192. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6434
Seção
Artigos