Cuidado em saúde mental na Estratégia Saúde da Família

a construção da comunidade

  • Nara Helena Lopes Pereira da Silva Universidade de São Paulo
  • Cármen Lúcia Cardoso Universidade de São Paulo
Palavras-chave: atenção à saúde primária (APS), saúde mental, estratégia saúde de família (ESF), comunidade, fenomenologia

Resumo

O objetivo do presente artigo é compreender a Saúde Mental na Estratégia Saúde da Família (ESF) a partir de um diálogo interdisciplinar entre Saúde Pública e Filosofia, visando refletir sobre o cuidado integral do ser humano. Buscou-se evidenciar fundamentações fenomenológicas acerca da singularidade humana, da alteridade e da comunidade. Para tal foram realizadas entrevistas abertas com profissionais, usuários e familiares, analisadas em profundidade, audiogravadas e transcritas na íntegra. Para o aprofundamento da análise selecionou-se recortes de três entrevistas considerando o envolvimento dos participantes e a riqueza dos conteúdos. A análise apontou a necessidade de reflexões críticas sobre o desenvolvimento de ações comunitárias, de se construir projetos voltados às comunidades para além da dicotomia saúde/doença e da discriminação e, ainda, para a compreensão do que vem a ser Saúde Mental na atenção primária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nara Helena Lopes Pereira da Silva, Universidade de São Paulo

Psicóloga e Doutora em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Departamento de Psicologia na Universidade de São Paulo. E-mail: nara.helena@gmail.com

Cármen Lúcia Cardoso, Universidade de São Paulo

Psicóloga e Professora Associada do Departamento de Psicologia e credenciada no Programa de Pós Graduação em Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. E-mail: carmen@ffclrp.usp.br

Referências

Ale Bello, A. (2000). Coscienza e solidarietà. Em A. Ales Bello. Edith Stein: patrona dell’Europa. (pp. 56-65). Casale Monferrato, Itália: Piemme.

Ales Bello, A. (2002). A formação da pessoa: reflexões do ponto de vista antropológico. Em M. A. V. Bicudo & R. C. B. Belluzo (Org.s). Formação humana e educação (pp. 21-40). Bauru, SP: Edusc. (Original publicado em 2002).

Campos, R. O., Gama, C. A., Ferrer, A. L., Santos, D. V. D., Stefanello S., Trapé T. L. & Porto, K. (2011). Saúde mental na atenção primária à saúde: estudo avaliativo em uma grande cidade brasileira. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 16, 4643-4652.

Feldes, J. (2010). Il rifugio dei fenomenologia: il nuovo “Circolo di Bergzabern” dopo la prima guerra mondiale. Em A. Ales Bello, F. Alfieri & M. Shahid (Org.s). Edith Stein, Hedwig Conrad-Martius: fenomenologia, metafisica, scienze (pp. 23-50). Bari, Itália: Biblioteca Filosofica Laterza.

Husserl, E. (2002). Idee per una fenomenologia pura e per una filosofia fenomenológica, libro primo: introduzione generale alla fenomenologia pura (V. Costa, Trad.). Torino, Itália: Einaudi. (Original publicado em 1913).

Husserl, E (2009). Introduzione all’Etica. (F. C. Trincia, Trad.). Bari, Itália: Laterza. (Original publicado em 1920).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2013). IBGE cidades: Ribeirão Preto. Recuperado em 22 de março, 2013, de www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun =354340.

Lei nº 10.216. (2001, 6 de abril). Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília, DF: Presidência da República.

Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. (2000). Sistema Único de Saúde (SUS): princípios e conquistas. Brasília, DF: Autor

Organização Mundial da Saúde (1979). Alma-Ata 1978: cuidados primários de saúde (Unicef Brasil, Trad.). Brasília, DF: Unicef Brasil. (Original publicado em 1978). Recuperado em 8 de abril, 2015, de apps.who.int/iris/bitstream/10665/39228/5/9241800011_por.pdf

Pereira, M. J. B., Abrahão-Curvo, P., Fortuna, C. M., Coutinho, S. S., Queluz, M. C., Campos, L. V. O., Fermino, T. Z. & Santos, C. B. (2011). Avaliação das características organizacionais e de desempenho de uma unidade de Atenção Básica à Saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(1), 48-55.

Portaria 2488. (2011, 21 de abril). Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Brasília, DF: Presidência da República.

Silva, N. H. L. P. (2011). Saúde Mental na Estratégia Saúde da Família: uma compreensão a partir da Fenomenologia de Edith Stein. Tese de doutorado, Programa de Pós Graduação em Psicologia, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP.

Silva, N. H. L. P. & Cardoso, C. L. (2013). Contribuições da fenomenologia de Edith Stein para a atuação do Psicólogo nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 16(2), 246-259.

Stein, E. (1998) Il problema dell’empatia (E. Costantini & E. Schulze-Costantini, Trad.s). Roma: Studium. (Original publicado em 1917).

Stein, E. (1999a). Psicologia e scienze dello spirito: contributi per una fondazione filosofica. (A. M. Pezzella, Trad.). Roma: Città Nuova. (Original publicado em 1922).

Stein E. (1999b) Una ricerca sullo Stato (A. Ales Bello, Trad.). Roma: Città Nuova. (Original publicado em 1925).

Stein, E. (2000) La struttura della persona umana (A. Ales Bello, Apres.; M. D’Ambra, Trad.). Roma: Città Nuova. (Original publicado em 1932-33).

Torre, E. H. G. & Amarante, P. (2001). Protagonismo e subjetividade: a construção coletiva no campo da saúde mental. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 6, 73-85.

Publicado
2017-07-02
Como Citar
Silva, N. H. L. P. da, & Cardoso, C. L. (2017). Cuidado em saúde mental na Estratégia Saúde da Família. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 31, 218-236. https://doi.org/10.35699/1676-1669.2016.6437
Seção
Artigos