Cuidar em oncologia

uma experiência para além do sofrimento

  • Andréia Elisa Garcia de Oliveira Pontifícia Universidade Católica de Campinas
  • Vera Engler Cury Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Palavras-chave: profissionais da saúde, psico-oncologia, experiência, fenomenologia, narrativas

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa de inspiração fenomenológica que buscou compreender a experiência de profissionais da saúde no cuidado a pacientes oncológicos. Foram realizados encontros individuais de natureza dialógica com nove profissionais das áreas de Medicina, Psicologia, Farmácia, Enfermagem, Terapia Ocupacional e Serviço Social que atuam no ambulatório de quimioterapia de um hospital universitário. Após cada encontro a pesquisadora redigiu uma narrativa na qual incluiu elementos significativos da experiência de cada participante, acrescidos de suas próprias impressões. A análise do conjunto de narrativas permitiu concluir que, para além do sofrimento e do desgaste vivenciado pelos profissionais, a experiência de cuidado em Oncologia é também gratificante, contribui para o crescimento pessoal e profissional e implica no reconhecimento da importância de seu papel profissional. Tais elementos fazem com que a atuação nesta área, vista por muitos como desafiadora, seja significada por estes profissionais como uma escolha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia Elisa Garcia de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

psicóloga, com especialização em Psicologia da Saúde pelo Hospital e Maternidade Celso Pierro-PUC-Campinas, mestre e doutoranda em Psicologia como Profissão e ciência pela PUC-Campinas, onde também atua como docente nos cursos de graduação em Psicologia e Direito e no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Mulher. E-mail: andreia.oliveira@puc-campinas.edu.br

Vera Engler Cury, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
psicóloga clínica, mestre em Psicologia Clínica pela USP, doutora em Saúde Mental pela UNICAMP, pesquisadora e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da PUC-Campinas e pro-reitora de extensão e assuntos comunitários na mesma universidade. E-mail: vency2985@gmail.com

Referências

Afonso, S. B. C. & Minayo, M. C. S. (2013). Notícias difíceis e o posicionamento dos oncopediatras: revisão bibliográfica. Ciência e Saúde coletiva, 18(9), 2747-2756. Recuperado em 26 de setembro, 2014, de www.arca.fiocruz.br/handle/icict/6937

Albuquerque, M. S. (2009). Aspectos psicológicos de médicos que trabalham com pacientes portadores de câncer. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Recuperado em 20 de maio, 2012, de www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000468509

Alves, C. F. O. (2005). Entre o cuidar e o sofrer: o cuidado do cuidador via experiência de cuidadores/profissionais de saúde mental. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica, Universidade católica de Pernambuco, Recife, PE. Recuperado em 04 de junho de 2012, de www.unicap.br/tede//tde_busca/ arquivo.php?codArquivo=61

Amaral, M. X. G., Achette, D., Barbosa, L. N. F., Bruscatto, W. L. & Kavabata, N. K. (2008). Reações emocionais do médico residente frente ao paciente em cuidados paliativos. Rev. SBPH, 11(1), 61-86. Recuperado em 23 de setembro, 2012, de pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582008000100006&lng =pt&tlng=pt

Amatuzzi, M. M. (2010). Por uma psicologia humana. Campinas, SP: Alínea.

Amatuzzi, M. M. (2011). Pesquisa fenomenológica em psicologia. Em M. A. T. Bruns & A. F. Holanda (Org.s). Psicologia e fenomenologia: reflexões e perspectivas (pp. 15-22). Campinas, SP: Alínea.

Ayres, J. R. C. M. (2004). O cuidado, os modos de ser (do) humano e as práticas de saúde. Saúde e Sociedade, 13(3), 16-29, 2004. Recuperado em 20 de agosto, 2013, de www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902004000300003&lng=en &tlng=pt.10.1590/S0104-129020040003000 03

Bondía, J. L. (2002) Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, 19, 20-28. Recuperado em 02 de agosto, 2013, de www.anped.org.br/rbe/rbedigital

Breitbart, W. (2009). Retidão, integridade e cuidado: como viver frente à morte. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos, 2(3). Recuperado em 22 de setembro, 2013, de www.cuidadospaliativos.com.br/img/din/file/UprightWholeCareful.pdf

Brisola, E. B. V & Cury. V. E. (2016). Researcher experience as an instrument of investigation of a phenomenon: an example of heuristic research. Estudos de Psicologia (Campinas), 33(1), 95-105. Recuperado em 26 de julho, 2016, de dx.doi.org/10.1590/1982-027520160001000010.

Carvalho, M. V. B. & Merighi, M. A. B. (2006). O cuidar no processo de morrer com dignidade. Em C. A. M. Pimenta, D. D. C. F. Mota & D. A. L. da Cruz (Org.s). Dor e cuidados paliativos: enfermagem, medicina e psicologia (pp. 317-332). Barueri, SP: Manole.

Carvalho, V. A., Franco, M. H. P., Kovács, M. J., Liberato, R. P., Macieira, R. C., Veit, M. T., Gomes, M. J. B. & Barros, L. H. C (Org.s). (2008). Temas em psico-oncologia. São Paulo: Summus.

Critelli, D. M. (2007). Analítica do sentido: uma aproximação e interpretação do real de orientação fenomenológica. São Paulo: Educ-Brasiliense.

Ebling, M. & Carlotto, M. S. (2012). Burnout syndrome and associated factors among health professionals of a public hospital. Trends Psychiatry Psychother, 34(2), 93-100. Recuperado em 01 de fevereiro, 2013, de www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S2237-60892012000200008&ln g=pt&nrm=iso

Ferreira, N. M. L. A. (1996). A difícil convivência com o câncer: um estudo das emoções na enfermagem oncológica. Rev. Esc. Enferm. USP, 30(2), 229-53. Recuperado em 20 de julho, 2013, de www.scielo.br/pdf/reeusp/v30n2/ v30n2a05.pdf

Finlay, L. (2009). Debating phenomenological research methods. Phenomenology & Practice, 3(1), 6-25. Recuperado em 21 de julho, 2015, de ejournals.library.ualberta.ca/ index.php/pandpr/article/view/19818

Franco, G. P., Barros, A. L. B. L., Nogueira-Martins, L. A., & Zeitoun, S. S. (2011). Burnout em residentes de enfermagem. Revista da Esc. Enferm. USP, 45(1), 12-18. Recuperado em 25 de outubro, 2013, de www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342011000100002&lng=pt&tlng=pt.10.1590/ S0080-62342011000100002

Gustafsson, G. & Strandberg, G. (2009). Meanings of staying healthy in a context where others developed burnout: phenomenological-hermeneutic interpretation of healthcare personenl’s narratives. Scandinavian Journal of Caring Sciences, 23(3), 456-464.

Holland, J. C. (2003). Psychological care of patients: psycho-oncology’s contribution. Journal of Clinical Oncology, 21(23), 253-265.

Husserl, E. (2002). A crise da humanidade européia e a filosofia (U. Zilles, Introd. e Trad.). Porto Alegre: Edipucrs. (Original publicado em 1935).

Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. (2012). Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Inca. Recuperado em 23 de março, 2013, de portal.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/homepage/estimativas-de-incidencia-de-cancer-2012/estimativas_incidencia_cancer_2012.pdf

Joinson, C. (1992). Coping with compassion fatigue. Nursing, 22(4), 116-122. Recuperado em 25 de março, 2015, de www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1570090

Kovács, M. J. (2008). Cuidando do cuidador profissional. Em R. A. Oliveira (Org.). Cuidado paliativo (pp. 91-100). São Paulo: Cremesp.

Lago, K. C. (2008). Fadiga por compaixão: quando ajudar dói. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, Universidade de Brasília, Brasília, DF. Recuperado em 29 de janeiro de 2013, de repositorio.unb.br/bitstream/10482/1291/1/DISSERTACAO_2008_KennystonCostaLago.pdf

Liberato, R. P. & Carvalho, V. A. (2008). Estresse e síndrome de burnout em equipes que cuidam de pacientes com câncer: cuidando do cuidador profissional. Em V. A. Carvalho, M. H. P. Franco, M. J. Kovács, R. P. Liberato, R. C. Macieira, M. T. Veit, M. J. B. Gomes & L. H. C. Barros (Org.s). Temas em psico-oncologia (pp. 556-564). São Paulo: Summus.

Liberato, R. P. (2009). O cuidado como essência humana. Em M. T. Veit (Org). Transdisciplinaridade em oncologia: caminhos para um atendimento integrado (pp. 272-273). São Paulo: Abrale.

Mahfoud, M. & Massimi, M. (2008). A pessoa como sujeito da experiência: contribuições da fenomenologia. Memorandum, 14, 52-61. Recuperado em 30 de agosto, 2015, de www.fafich.ufmg.br/memorandum/a14/mahfoudmassimi02.pdf

Mozena, H. & Cury, V. E. (2010). Plantão psicológico em um serviço de assistência judiciária. Memorandum, 19, 65-78. Recuperado em 02 de setembro, 2012, de www.fafich.ufmg.br/memorandum/a19/mozenacury01

Nicholas, D. R. (2013). On being a psycho-oncologist: a counseling psychology perspective. The Counseling Psychologist, 41(2), 186-215.

Nogueira-Martins, L. A. (2003). Saúde mental do profissional de saúde. Rev. Bras. Med. Trab. 1(1), 56-68. Recuperado em 12 de outubro, 2012, de www.anamt.org.br/?id_materia=54

Paschoalini, B., Oliveira, M. M., Frigério, M. C., Dias, A. L. R. P. & Santos, F. H. (2008). Efeitos cognitivos e emocionais do estresse ocupacional em profissionais de Enfermagem. Acta Paul. Enfermagem, 21(3), 487-492. Recuperado em 03 de fevereiro de 2013, de www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002008000300017&lng= pt&nrm=iso

Pelaez Doro, M., Pasquini, R., Medeiros, C. R., Bitencourt, M. A. & Moura, G. L. (2004). O câncer e sua representação simbólica. Psicol. Ciência. Profissão, 24(2), 120-133. Recuperado em 15 de setembro, 2012, de www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932004000200013&script=sci_abstract&tlng=pt

Popim, R. C. & Boemer, M. R. (2005). Cuidar em oncologia na perspectiva de Alfred Schütz. Rev Latino-am Enfermagem, 13(5), 677-85. Recuperado em 25 de outubro, 2013, de www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692005000500011&lng=en &tlng=pt.10.1590/S0104-116920050005000 11

Romero, E. (2004). As dimensões da vida humana: existência e experiência. São José dos Campos, SP: Novos horizontes.

Rosa, C. & Carlotto, M. S. (2005). Síndrome de burnout e satisfação no trabalho em profissionais de uma instituição hospitalar. Rev. SBPH [online], 8(2), 1-15. Recuperado em 22 de setembro, 2013, de pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1516-08582005000200002&lng=pt&nrm=iso

Santos, M. A. (2003). Perto da dor do outro, cortejando a própria insanidade: o profissional de saúde e a morte. Revista da SPAGESP - Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, 4(4), 43-51. Recuperado em 25 de outubro, 2013, de pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S16779702003000100007&lng=pt&tlng=pt

Santos, M. A., Aoki, F. C. O. S. & Oliveira-Cardoso, E. A. (2013). Significado da morte para médicos frente à situação de terminalidade de pacientes submetidos ao transplante de medula óssea. Ciência e saúde coletiva, 18(9), 2625-2643. Recuperado em 25 de outubro, 2013, de www.scielo.br/pdf/ csc/v18n9/v18n9a17.pdf

Silva, L. C. (2005). Vozes que contam a experiência de viver com câncer. Psicol. Hospitalar, 3(1), 1-17. Recuperado em 30 de janeiro, 2013, de pepsic.bvsalud.org/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-74092005000100002

Silva, L. C. (2009). O sofrimento psicológico dos profissionais de saúde na atenção ao paciente de câncer. Psicología para América Latina, 16. Recuperado em 25 de outubro, 2013, de pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2009000 100007

Silva, S. S., Aquino, T. A. A. & Santos, R. M. (2008). O paciente com câncer: cognições e emoções a partir do diagnóstico. Rev. Bras. Ter. Cogn. 4(2), 73-89. Recuperado em 30 de janeiro, 2013, de pepsic.bvs-psi.org.br/pdf/rbtc/v4n2/v4n2a06.pdf

Soares, A. O. & Lobo, R. C. M. M. (2007). Do imaginário ao simbólico: o desabamento do sujeito frente à doença oncológica. Epistemo-Somática, 4(1), 41-49. Recuperado em 30 de janeiro, 2013, de pepsic.bvsalud.org/pdf/epistemo/v4n1/v4n1a04.pdf

Taylor, S. (2012). Transformation through suffering: a study of individuals who have experienced positive psychological transformation following periods of intense turmoil. Journal of Humanistic Psychology, 52(1), 30-52. Recuperado em 15 de setembro, 2013, de jhp.sagepub.com/content/52/1/30

Publicado
2017-07-02
Como Citar
Oliveira, A. E. G. de, & Cury, V. E. (2017). Cuidar em oncologia. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 31, 237-258. https://doi.org/10.35699/1676-1669.2016.6438
Seção
Artigos