Notas sobre aspectos epistemológicos e históricos da psicologia histórico-cultural

  • Nietsnie de Souza Duarte Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Rosália Carmen de Lima Freire Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Izabel Hazin Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: psicologia histórico-cultural, epistemologia, história

Resumo

O objetivo do presente artigo foi traçar um panorama acerca de aspectos históricos e epistemológicos subjacentes à proposição do projeto científico avançado pela psicologia histórico-cultural, apontando aproximações e distanciamentos com diferentes correntes filosóficas e psicológicas da contemporaneidade. Para tanto, foram problematizadas e referenciadas as contribuições psicológicas advindas da Defectologia, Psicanálise, Reflexologia, Reactologia e Psicologia da Gestalt. Além disto, foram investigadas as influências das idéias filosóficas de Marx, Engels, Hegel, Darwin, Espinosa e Janet. Conclui-se que no decorrer do desenvolvimento da psicologia histórico-cultural ocorreram aproximações com algumas destas perspectivas e, ao mesmo tempo, contraposições às mesmas. Entretanto, todas foram importantes para a fundamentação deste novo sistema teórico em psicologia, que se constituiu como alternativa ao embate estabelecido entre a fisiologia naturalista e a fenomenologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nietsnie de Souza Duarte, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
mestranda em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), vinculada ao Laboratório de Pesquisa e Extensão em Neuropsicologia da UFRN (LAPEN-UFRN), Natal, RN.
Rosália Carmen de Lima Freire, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
mestranda em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), vinculada ao Laboratório de Pesquisa e Extensão em Neuropsicologia da UFRN (LAPEN-UFRN), Natal, RN.
Izabel Hazin, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Professora Adjunta, Departamento de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Coordenadora do Laboratório de Pesquisa e Extensão em Neuropsicologia da UFRN (LAPEN-UFRN), Natal, RN.

Referências

Barros, J., Paula, L., Pascual, J., Colaço. V. & Ximenes, V. (2009). O conceito de “sentido” em Vygotsky: considerações epistemológicas e suas implicações para a investigação psicológica. Psicologia & Sociedade, 21(2), 174-181.

Blunden, A. (2011). Vygotsky's idea of Gestalt and its origins. Theory Psychology, 21(4), 457-471.

Damásio. A. (2003). Ao encontro de Espinosa: as emoções sociais e a neurologia do sentir. Lisboa: Publicações Europa-América

Daniels, H. (Org.). (2002). Uma introdução a Vygotsky (M. Bagno, Trad.). São Paulo: Loyola. (Original publicado em 1996).

Doray, B. (2002). Vygotsky et Freud: l’espace d’um dialogue?. Em Y. Clot (Org). Avec Vygotski (pp. 69-84). Paris: La Dispute.

Eilam, G. (2003). The Philosophical Foundations of Aleksandr R. Luria’s Neuropsychology. Science in Context, 16(4), 551-577.

Espinosa, B. (2008). Ética(T. Tadeu, Trad). Belo Horizonte: Autêntica. (Original publicado em 1677).

Figueiredo, L. C. M. (2002). Matrizes do pensamento psicológico. Petrópolis, RJ: Vozes.

Gleizer, M. A. (2005). Espinosa e a afetividade humana. Rio de Janeiro: Zahar. Góes, M. C. R. (2000). A formação do indivíduo nas relações sociais: contribuições teóricas de Lev Vigotski e Pierre Janet. Educação e Sociedade, 71, 116-131.

Hazin, I. & Meira, L. (2004) Múltiplas interpretações para a zona de desenvolvimento proximal na sala de aula. Em M. Correia (Org.). Psicologia e escola: uma parceria necessária (pp. 45-57). Campinas, SP: Alínea.

Hazin, I., Leitão, S., Garcia, D., Lemos, C. & Gomes, E. (2010). Contribuições da neuropsicologia de Alexsandr Romanovich Luria para o debate contemporâneo sobre relações mente-cérebro. Mnemosine, 6(1), 88-110.

Kohl de Oliveira, M. (2000). O pensamento de Vygotsky como fonte de reflexão sobre educação. Cadernos CEDES, 35,9-14.

Lucci, M. (2006). A proposta de Vygotsky: A psicologia sócio-histórica. Revista de curriculum y formación del profesorado, 10(2), 1-10.

Luria, A. R. (1992). A construção da mente (M. B. Cipolla, Trad.). São Paulo: Ícone. (Versão em inglês publicada em 1979).

Luria, A. R. (2006). Vigotskii (M. P. Villalobos, Trad.). Em L. S. Vigotskii, A. R. Luria & A. N. Leontiev. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. ( pp. 21-37). São Paulo: Ícone.

Minick, N. J. (2002). O desenvolvimento do pensamento de Vygotsky: uma introdução a Thinking and speech (Pensamento e linguagem). Em H. Daniels (Org.). Uma introdução a Vygotsky (pp. 31-60). (M. Bagno, Trad.). São Paulo: Loyola. (Original publicado em 1996).

Molon, S. I. (1995). A questão da subjetividade e da constituição do sujeito nas reflexões de Vygotsky. Dissertação de Mestrado, Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP.

Oliveira, I. M. (2001). O sujeito que se emociona: signos e sentidos nas práticas culturais.Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

Rosa, A. & Monteiro, I.(1996). O contexto histórico do trabalho de Vygotsky: uma abordagem sócio-histórica. Em L. C. Moll (Org.). Vygotsky e a educação: implicações pedagógicas da psicologia sócio-histórica (pp. 57-83). Porto Alegre: Artes Médicas.

Sawaia, B. B. (2000). A emoção como locus de produção do conhecimento: uma reflexão inspirada em Vygotsky e no seu diálogo com Espinosa. Em Anais do III Conference for Sociocultural Research. Campinas: Unicamp. Recuperado em 08 de setembro, 2010, de www.fae.unicamp.br/br2000/trabs/1060.doc

Sawaia, B. B. (2009). Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e transformação social. Psicologia & Sociedade, 21(3), 364-372.

Toassa, G. (2011). Emoções e vivências em Vygotsky. Campinas, SP: Papirus.

Van der Veer, R. & Valsiner, J. (1996). Vygotsky: uma síntese (C. C. Bartalotti, Trad.). São Paulo: Unimarco. (Original publicado em 1991).

Vygotsky, L. S. (1991). Genesis of the higher mental functions. Em P. Light, S. Sheldon & M. Woodhead (Orgs.). Learning to think(pp. 32-41). London: Routledge. (Original publicado em 1966).

Vygotsky, L. (1991). A formação social da mente(J. C. Neto, L. S. M; Barreto & S. C. Afeche, Trads.). São Paulo: Martins Fontes. (Versão em inglês publicada em 1984).

Vygotsky, L. S (1993). The fundamentals of defectology (J. E. Knox & C. B. Stevens, Trads.). Em R. W. Rieber & A. S. Carton (Orgs.). Collected works of L S Vygotsky: Vol II. New York: Plenum Press.

Vygotsky, L. S. (1995). Historia del desarrollo de las funciones psiquicas superiors (L. Kuper, Trad.). Em L. S. Vygotsky. Obras escogidas: Vol III (Colección Aprendizaje, V. CXV). Madrid: Visor. (Original publicado em 1931)

Vygotsky, L. S. (1996). A consciência como problema da psicologia do comportamento (C. Berliner, Trad.). Em L. S. Vigotsky. Teoria e método em psicologia (pp. 55-86). São Paulo: Martins Fontes. (Original com publicação póstuma em 1982).

Vygotsky, L. S. (1997a). El significado historico de la crisis de la psicología: una investigación metodológica (J. M. Bravo, Trad.). Em L. S. Vygotsky. Obras escogidas: Vol I. (pp. 257-407). Madrid: Visor. (Original publicado em 1927).

Vygotsky, L. S. (1997b). Los problemas fundamentales de La defectología contemporánea (pp. 11-40). Em L. S. Vygotsky. Obras escogidas: Vol V. Madrid: Visor. (Original publicado em 1924).

Vygotsky, L.S. (1998). Théorie des emotions: étude historico-psychologique (N. Zavialoff & C. Saunier, Trads). Paris: L’Harmattan. (Obra original publicada em 1984).

Wertsch, J. V. & Tulviste, P. (2002). L. S. Vygotsky e a psicologia evolutiva contemporânea. Em H. Daniels (Org.).Uma introdução a Vygotsky(pp. 61-82). (M. Bagno, Trad.). São Paulo: Loyola. (Original publicado em 1996).

Publicado
2012-04-14
Como Citar
Duarte, N. de S., Freire, R. C. de L., & Hazin, I. (2012). Notas sobre aspectos epistemológicos e históricos da psicologia histórico-cultural. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 22, 52-67. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6590
Seção
Artigos