A Psicologia na FADAFI-FUCMT

história e memória social (1980-1993)

  • Bianca dos Santos Cara Centro Universitário UNIGRAN Capital
  • Rodrigo Lopes Miranda Universidade Católica Dom Bosco
  • Marcio Luis Costa Universidade Católica Dom Bosco
Palavras-chave: História da Psicologia, Salesianos, FADAFI-FUCMT

Resumo

Esta pesquisa em História Social da Psicologia produz uma narrativa histórica sobre o curso de graduação em Psicologia das Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT). Ela assume que as memórias pessoais e documentais são construtos socioculturais e, assim, utiliza fontes textuais e orais para produzir tal narrativa. Os resultados apontaram que o curso atendeu a uma demanda de “modernização” da cidade de Campo Grande por meio do desenvolvimento do ensino superior. Além disso, atendia a demandas sociais, políticas e econômicas da expansão do Oeste, capitaneadas pelo governo militar brasileiro à época. Isso ocorreu a partir de um currículo operacionalizado de forma particular se comparado aos indicativos legais, com uma tônica no campo da educação. Este artigo contribui para a preservação das memórias da Psicologia em um dos primeiros cursos de graduação do estado, ampliando saberes sobre a história da Psicologia no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca dos Santos Cara, Centro Universitário UNIGRAN Capital

Bianca dos Santos Cara é mestra em Psicologia da Saúde (UCDB). Professora do Centro Universitário UNIGRAN Capital.

Rodrigo Lopes Miranda, Universidade Católica Dom Bosco

Rodrigo Lopes Miranda é doutor em Educação (UFMG). Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Marcio Luis Costa, Universidade Católica Dom Bosco

Márcio Luís Costa é doutor em Filosofia (Universidad Nacional Autonóma de Mexico). Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Referências

Almeida, D. T. R. (1996) História da criação da Universidade Dom Bosco. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Mackenzie, São Paulo, SP.

Alves, B. M. & Pitanguy, J. (2003). O que é feminismo. São Paulo: Brasiliense.

Aulas de Psicologia Clínica iniciarão em agosto, na FUCMT. (1975). Em Diário da Serra (pp. 8). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Azzi, E. (2010). A situação atual do psicólogo brasileiro. Em O. H. Yamamoto & A. L. F. Costa (Orgs.). Escritos sobre a profissão de psicólogo no Brasil (pp.105-120). Natal: Editora da UFRN. (Originalmente publicado em 1964).

Badargi, M. P. e outros (2008). Avaliação da formação e trajetória profissional na perspectiva de egressos de um curso de Psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, 28(2), 304-315.

Baptista, M. T. D. S. (2010). A Regulamentação da Profissão Psicologia: Documentos Que Explicitam o Processo Histórico. Psicologia: Ciência e Profissão, 30, 170-191. Recuperado em 18 de setembro, 2016, de http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932010000500008

Bauer, C. (2001). Breve história da mulher no mundo ocidental. São Paulo: Xamã/Pulsar.

Bittar, M. (2009). Mato Grosso do Sul, a construção de um estado: poder político e elites dirigentes sul-mato grossenses. Campo Grande, MS: UFMS.

Cara, B. S. (2017). Memórias da Psicologia em Campo Grande: uma história do curso de graduação em psicologia da FUCMT (1980-1993). Dissertação Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS.

Carvalho, D. B., Seixas, P. S. & Yamamoto, O. H. (2002). Modernização urbana e a consolidação da psicologia em Natal – Rio Grande do Norte. Psicologia em Estudo, 7(1), 131-141. Recuperado em 16 de agosto, 2016, de https://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722002000100016

Castro, A. (2014). História da Missão Salesiana de Mato Grosso (1894-2008). Campo Grande, MS: UCDB.

Cirino, S. D., Miranda, R. L. & Souza Júnior, E. J. (2012). The Laboratory of Experimental Psychology: establishing a psychological community at a Brazilian university. Revista Interamericana de Psicologia, 46(1), 135-142. Recuperado em 16 de março, 2017, de: http://www.redalyc.org/html/ 284/28424858013/

Coimbra, C. M. B. (1999). Práticas “psi” no Brasil do “milagre”: Algumas de suas produções. Em A. M. Jacó-Vilela, F. Jabur & H. B. C. Rodrigues (Orgs.). Clio-Psyché: Histórias da Psicologia no Brasil (pp. 75-91). Rio de Janeiro: UERJ, NAPE.

Cunha, L. A. (1988). A universidade reformada. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

Fernandes, E. B. (2003). Expansão universitária em Mato Grosso do Sul (1979-2003). Dissertação de Mestrado, Programa de Mestrado em Educação, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS.

Ferreira Neto, J. L. (2010). Uma genealogia da formação do psicólogo brasileiro. Memorandum, 18, 130-142. Recuperado em: 12 de maio, 2017, de http://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/a18/ferreiraneto01.pdf>.

FUCMT tem “Orelhão”. (1975). Em Diário da Serra (pp. 1). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Jacó-Vilela, A. M. J. (2012). História da Psicologia no Brasil: uma narrativa por meio de seu ensino. Psicologia: Ciência e Profissão, 32(num.esp.), 28-43. Recuperado em 13 de março, 2017 de http://www.scielo.br/pdf/pcp/v32nspe/v32speca04.pdf>.

Jansz, J. & Van Drunen, P. (2004). A social history of Psychology. Malden: Blackwell Publishing.

Lei n. 4.119 (1962, 27 de agosto). Dispõe sobre os cursos de formação em psicologia e regulamenta a profissão de psicólogo. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Lisboa, F. S. & Barbosa, A. J. G. (2009). Formação em psicologia no Brasil: um perfil dos cursos de graduação. Psicologia: Ciência e Profissão, 29(4), 718-737. Recuperado em 16 de março, 2017, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932009000400006&script=sci_abstract&tlng=pt>.

Mancebo, D. (1999). Formação em Psicologia: gênese e primeiros desenvolvimentos. Em A. M. Jacó-Vilela, F. Jabur & H. B. C. Rodrigues (Orgs.), Clio-Psyché: Histórias da Psicologia no Brasil (pp. 93-120). Rio de Janeiro: EdUERJ.

Margotto, L. R. & Souza, M. C. C. C. (2017). A constituição de um curso de psicologia durante a ditadura civil-militar no Brasil: investigação a partir dos relatos dos primeiros professores. Memorandum (32), 58-77. Recuperado em 16 de junho, 2017, de https://seer.lcc.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6206>.

Martins, G. I. V. (2000). Indicadores demográficos do desenvolvimento econômico no Mato Grosso do Sul (1970-1996). Campo Grande, MS: UCDB.

Miranda, R. L. (2010). Laboratórios de análise do comportamento no Brasil: percursos na UFMG na década de 1970. Dissertação Mestrado, Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Belo Horizonte, MG.

Miranda, R. L., Cara, B. & Delmondes, G. F. S. (2016). Jornais, universidades e psicologia: notas para uma história institucional em MT/MS. Em 3° CONPCER – Congresso de Psicologia do Cerrado. Centro Universitário de Várzea Grande. Cuiabá, MT.

Moro, N. (2012). Uma cidade (in)civilizada: elite, povo comum e viver urbano em Campo Grande (décadas 1960-1970). Clio: Revista de Pesquisa Histórica, 30, 1-27.

Motta, R. P. S. (2014). As universidades e o regime militar: cultura política brasileira e modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar.

Mulheres invadem a FUCMT. (1975, 12 de janeiro). Em Diário da Serra (pp.1). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Parecer n. 3.824 (1974, 07 de novembro). Ministério da Educação. Conselho Federal de Educação. Assunto: Autorização para funcionamento do curso de Psicologia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. Brasília, DF.

Parecer n. 353 (1978, 14 de fevereiro). Ministério da Educação. Conselho Federal de Educação. Assunto: Reconhecimento do curso de Psicologia, habilitação em Licenciatura. Brasília, DF.

Parecer n. 1097 (1979, 1 de agosto). Ministério da Educação. Conselho Federal de Educação. Assunto: Autorização da habilitação de Formação de Psicólogos das Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso. Brasília, DF.

Pereira, F. M. & Pereira Neto, A. P. (2003). O psicólogo no Brasil: Notas sobre seu processo de profissionalização. Psicologia em Estudo, 8, 19-27. Recuperado em 16 de agosto, 2016, de https://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722003000200003.

Política do Desenvolvimento Regional na VI SEMEEC. (1975). Em Diário da Serra (pp. 8). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Portugal, F. T., Facchinetti, C. & Castro, A. C. (2018). História social da Psicologia. Rio de Janeiro: NAU.

Psicologia: aulas doze dias após encerrado o vestibular (1975, 8 de agosto). Em Diário da Serra (pp.1). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Rodrigues, D. J. S. (2013). A História da Psicologia no Brasil: 40 anos do curso de Psicologia da PUC Goiás. Goiânia: Editora da PUC Goiás.

Rothen, J. C. (2008). Os bastidores da Reforma Universitária de 1968. Educação & Sociedade, 29(103), 453-475. Recuperado em 16 de março, 2017, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302008000200008&script=sci_abstract&tlng=pt>.

Rosas, P.; Rosas, A.; & Xavier, I. B. (1988). Quantos e quem somos? Em Conselho Federal de Psicologia (Org.), Quem é o psicólogo brasileiro? (pp. 194-216). São Paulo: EDICON.

Rosemberg, F. (1984). Afinal, por que somos tantas psicólogas? Psicologia: Ciência e Profissão, 4, 6-12.

Rudá, C., Coutinho, D. & Almeida Filho, N. (2015). Formação em Psicologia no Brasil: O período do currículo mínimo (1962-2004). Memorandum: memória e história em psicologia, 29, 59-85. Recuperado em 18 de agosto, 2016, de //periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6471

Sá, C. P. (2007). Sobre o campo de estudo da memória social: uma perspectiva psicossocial. Psicologia: Reflexão e Crítica, 20(2), 290-295. Recuperado em 16 de maio, 2017, de https://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722007000200015

Sá, C. P. (2012). A memória histórica numa perspectiva psicossocial. Morpheus – Revista Eletrônica em Ciências Humanas, 9(14), 94-103.

Sampaio, H. (2000). O ensino superior no Brasil: o setor privado. São Paulo: FAPESP/Hucitec.

Seis anos de Diário da Serra – Um jornal de Mato Grosso para o Brasil. (1974, 29 de maio). Em Diário da Serra (pp. 3). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Van Kolck, O. L. (1975). O exercício da psicoterapia no Brasil. Revista Interamericana de Psicología, 9(1/2), 111-123.

Vestiba de Psicologia: cursinho abre inscrições. (1975, 18 de fevereiro). Em Diário da Serra (pp.1). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Vestibular de Psicologia: mulheres conquistam a maioria das vagas. (1975, 13 de agosto). Em Diário da Serra (pp. 1). (Disponível em Arquivo Histórico de Campo Grande – ARCA, Campo Grande, MS).

Publicado
2020-04-01
Como Citar
Cara, B. dos S., Miranda, R. L., & Costa, M. L. (2020). A Psicologia na FADAFI-FUCMT. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 37. https://doi.org/10.35699/1676-1669.2020.6867
Seção
Artigos