Público visitante do Museu de História Natural do Araguaia

Autores

  • Franciely Borges de Faria Universidade Federal de Mato Grosso
  • Marcia Cristina Pascotto Universidade Federal de Mato Grosso https://orcid.org/0000-0002-6197-9799

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-6658.2022.39750

Palavras-chave:

Estudo de público, Museu de História Natural, Pesquisa de recepção

Resumo

Este trabalho teve por objetivos caracterizar o público visitante do Museu de História Natural do Araguaia (MuHNA) e avaliar como os visitantes percebem o museu. Foram utilizadas as ferramentas de pesquisa documental e estudo de caso, sendo analisado o Livro de Registro de Visitantes (LRV) do museu e aplicado um questionário. No seu primeiro ano de funcionamento, o MuHNA recebeu 3151 visitantes, oriundos de 16 estados e 79 cidades brasileiras, além de visitantes do México, Argentina e Chile. A maioria era menor de 24 anos (62,0%), do gênero feminino (63%), tinha renda familiar inferior a 3 salários mínimos (23%), foram acompanhados (91%), relataram que a visita correspondeu ou superou as expectativas (96%) e voltariam (98%). Em relação à comunicação, 85% relataram ser eficaz. De acordo com os dados, o MuHNA tem potencial para se estabelecer como um importante equipamento cultural para a divulgação científica na região leste de MT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

APPOLINÁRIO, F. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

BARATA, G. Espaços científicos e culturais ainda centrados nas capitais e voltados para o público escolar. Ciência e Cultura. São Paulo, v. 67, n. 3, p. 8-12, jul./set. 2015.

BEVILAQUA, D. V.; GONZALEZ, A. C. S.; MANO, S. M. F.; GUIMARÃES, V. F.; ALMEIDA, W. S. Museu da Vida e seus públicos: reflexões sobre a zona de influência e o papel social de um museu de ciência. Em Questão. Porto Alegre, v. 26, n. 3, p. 276-297, set./dez. 2020.

CARVALHO, R. M. R. As transformações da relação museu e público: a influência das tecnologias da informação e comunicação no desenvolvimento de um público virtual. 2005. 288f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: https://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/693/1/rosane2005.pdf. Acesso em 21 ago. 2021.

CHIAPPA, G. D.; LADU, M. G.; MELEDDU, M.; PULINA, M. Investigating the degree of visitors’ satisfaction at a museum. Anatolia – An International Journal of Tourism and Hospitality Research. v. 24, p. 52-62, 2012.

COSTA, L. F. O estatuto científico da Museologia e sua relação com o turismo pelos estudos de público de museus. Revista Iberoamericana de Turismo. Penedo, v. 8, Dossiê n. 4, p. 69-95, set. 2018.

CURY, M. X. Comunicação museológica. Uma perspectiva teórica e metodológica de recepção. 2005. 366f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2015. Disponível em https://www.researchgate.net/profile/Marilia-Cury/publication/259866616_Comunicacao_Museologica_-_Uma_Perspectiva_Teorica_e_Metodologica_de_Recepcao/links/0c96052e38f99eb32a000000/Comunicacao-Museologica-Uma-Perspectiva-Teorica-e-Metodologica-de-Recepcao.pdf. Acesso em: 29 nov. 2021.

DESVALLÉES, A.; MAIRESSE, F. (eds). Conceitos-chave de museologia. São Paulo: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus. 2013. 100 p. Disponível em: http://www.icom.org.br/wp-content/uploads/2014/03/PDF_Conceitos-Chave-de-Museologia.pdf. Acesso em: 15 jul. 2021.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 200 p.

GODOY, K. E.; MORETTONI, M. M. Aumento de público em museus: a visitação turística como realidade controversa. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 133-147, ago. 2017.

GOSLING, M.; COELHO, M; RESENDE, M. P. D. L. Qualidade percebida e intenções comportamentais de visitantes em museus: uma proposta de modelo. Turismo – Visão e ação. Camboriú, v. 16, n. 3, p. 656-689, set./dez. 2014.

GUARNIERI, W. R. C. Textos e contextos de uma trajetória profissional. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura, Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010.

KÖPTCKE, L. S. Público, o X da questão? A construção de uma agenda de pesquisa sobre os estudos de público no Brasil. Museologia & Interdisciplinaridade. Brasília, v. 1, n. 1, p. 209-235, jan./jul. 2012.

KÖPTCKE, L. S.; CAZELLI, S.; LIMA, J. M. de. Os museus e seus visitantes: uma análise do perfil dos públicos dos museus do Rio de Janeiro e de Niterói. 2007. In: ABREU, R.; CHAGAS, M. S.; SANTOS, M. S. Museus, coleções e patrimônio: narrativas polifônicas. Rio de Janeiro: Garamond, 2007. p. 68-94.

KÖPTCKE, L. S.; CAZELLI, S.; LIMA, J. M. de. Museus e seus visitantes: relatório de pesquisa Perfil- Opinião 2005. Brasília: Gráfica e Editora Brasil, Fundação Oswaldo Cruz, IPHAN/ DEMU, 2009.

KOTLER, N.; KOTLER, P. Can museums be all things to all People? Missions, goals, and marketing role. Museum Management and Curatorship. Great Britain, v. 18, n. 3, p. 271-287, 2001.

LEIVA, J.; MEIRELLES, R. (Orgs.). Cultura nas capitais: como 33 milhões de brasileiros consomem diversão e arte. Rio de Janeiro: 17Street Produção Editorial, 2018.

MANO, S. M. V.; DAMICO, J. S.; GOUVEIA, F. C.; GUIMARÃES, V. F. O público do Museu da Vida (1999 a 2013). Rio de Janeiro: Cadernos Museu da Vida, n. 5, 2015. 55 p. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/44506/2/ve_Sonia_Mano_COC_2015.pdf. Acesso em: 23 set. 2021.

MONDO, T. S.; SILVA, F. V. C.; MARTINS, A. I. Qualidade de serviços em museus: a percepção dos visitantes do Museu Histórico de Santa Catarina. Revista Eletrônica de Administração e Turismo. Pelotas, v. 8, n. 4, p. 890-909, jan./jun. 2016.

MORENO, E. C.; OLIVEIRA, D. V. M.; ROCHA, E. C. F. Público escolar e museus: relação entre capital cultural e frequência a museus por alunos do ensino médio de Belo Horizonte, Minas Gerais. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação. Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 1-22, dez. 2017.

PAULA, L. M. de. Museu de Ciências: um lugar de público! Um estudo de caso acerca do público espontâneo que visita um museu de Ciências no Rio de Janeiro. 2013. 91f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Biociências e saúde, Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/13507/1/livia_paula_ioc_mest_2013.pdf. Acesso em: 21 ago. 2021.

PEREIRA, F. N. F. T. Público(s) do Museu Nacional de História Natural e da Ciência. 2017. 106f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Empreendedorismo e Estudos da Cultura, Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Lisboa, 2017. Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/bitstream/10071/15592/1/master_filipa_teotonio_pereira.pdf. Acesso em: 25 ago. 2021.

PERUQUETTI, P. S. F.; KASSAB, S.; SANTOS, B. S.; MENDONÇA, E. C. L.; CARVALHO, Y. K. de. Perfil de visitantes em exposição científica na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia na região norte do Brasil. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological. Rio Branco, v. 5, n. 1, p. 113-124, mai. 2018.

PRENTICE, R. C.; GUERIN, S.; MCGUGAN, S. Visitor learning at a heritage attraction: A case study of discovery as a media product. Tourism Management. v. 19, n. 1, p. 5-23, feb. 1998.

REMELGADO, A. P. S. L. Estratégias de comunicação em museus. Instrumentos de gestão em instituições museológicas. 2014. 495f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Museologia, Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, 2014. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/109315/2/234122.pdf. Acesso em 29 jan. 2022.

SANT’ANA, D. M. G.; SILVA, V. C. da; ARAÚJO, J. R.; TONINATO, J. C. Reações dos visitantes do Museu Interdisciplinar de Ciências diante de uma exposição biológica. EDUCERE – Revista da Educação. Umuarama, v. 6, n. 2, p. 115-128, jul./dez. 2006.

SILVA, A. C. S.; LORENZETTI, L.; SILVA, C. S. Divulgação científica em um museu de Ciências: um estudo de público tendo como foco as famílias visitantes. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio. São Paulo, v. 12, n. 1, p. 36-53, mai. 2019.

SILVA, B. S.; MEDEIROS, C. M. L. de. A diversidade do público escolar que visita o Museu Câmara Cascudo. Museologia & Interdiscipinaridade. Brasília, v. 10, n. 20, p. 191-208, jul./dez. 2021.

SILVA, L. R. C.; DAMACENO, A. D.; MARTINS, M. C. R.; SOBRAL, K. M.; FARIAS, I. M. S. Pesquisa documental: alternativa investigativa na formação docente. In: Anais do IX Congresso Nacional de Educação. Curitiba, PR, 2009. p. 4554-4566. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/cd2009/pdf/3124_1712.pdf. Acesso em: 29 ago. 2021.

SILVEIRA, A. R. da. Gestão em museus. Indaial: UNIASSELVI, 2021. 222 p.

STUDART, D. C. Museus e famílias: percepções e comportamentos de crianças e seus familiares em exposições para o público infantil. História, Ciências, Saúde. Manguinhos, v. 12 (suplemento), p. 55-77, 2005.

Downloads

Publicado

2022-08-08

Como Citar

FARIA, F. B. de .; PASCOTTO, M. C. Público visitante do Museu de História Natural do Araguaia. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, [S. l.], v. 12, 2022. DOI: 10.35699/2237-6658.2022.39750. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/moci/article/view/39750. Acesso em: 27 set. 2022.