O speculum de Filemácia na Mostellaria de Plauto e o jogo metateatral entre os papéis das meretrizes na comédia palliata

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3636.2020.21351

Palavras-chave:

Plauto, Mostellaria, meretrizes, metateatro

Resumo

Este artigo trata mais centralmente da participação da meretriz Filemácia (Philematium) e de sua escrava, Escafa (Scapha), na peça Mostellaria, de Plauto (III – II a.C.), para entender o modo como a interação entre tais personagens traz à tona nuanças do tipo cômico que elas representam. As duas personagens femininas figuram em cena apenas no primeiro ato dessa comédia, num diálogo que se estende entre os versos 157 e 312. Este texto, levando em consideração, sobretudo, aspectos considerados metateatrais, procura apontar como, apesar da breve participação de tais personagens, é importante olhar com atenção para elementos da cena, em que Filemácia e Escafa conversam. Na passagem, que envolve o uso de um espelho, estão em jogo os diferentes papéis que as meretrizes costumam exercer na comédia palliata e, também, alusões a importantes aspectos cênicos do teatro antigo. As conclusões apontam para a maneira como as nuanças dos tipos cômicos afetam o entendimento do enredo como um todo e da ação das suas personagens, contribuindo para os efeitos cômicos presentes na peça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAMS, J. N. Female Speech in Latin Comedy. Antichthon, Cambridge, v. 18, p. 43-77, 1984. DOI: https://doi.org/10.1017/S0066477400003142.

ADAMS, J. N. Words for “Prostitute” in Latin. Rheinisches Museum für Philologie, Neue Folge, Köln, v. 126, n. 3/4, p. 321-358, 1983.

BEARE, William. The Roman Stage: A Short History of Latin Drama in the Time of the Republic. 3. ed. Londres: Methuen, 1964.

BRAGION, Aline S. L. A fuga da sogra: mulheres, poesia e humor em Hecyra. 2016. 251f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/320927/1/Bragion_AlinedaSilvaLazaro_M.pdf. Acesso em: 27 maio 2020.

CARDOSO, Isabella T. Ars plautina. 2005. 367f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CARDOSO, Isabella T. Estico de Plauto. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

CARDOSO, Isabella T. Ilusão e engano em Plauto. In: CARDOSO, Zélia de A; DUARTE, Adriane da S. (org.). Estudos sobre o teatro antigo. São Paulo: Alameda, 2010. p. 95-126.

DUCKWORTH, George E. The Nature of Roman Comedy: A Study in Popular Entertainment. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1952.

DUTSCH, Dorota M. Feats of Flesh: the Female Body on the Plautine Stage. In: DUTSCH, Dorota; JAMES, Sharon L.; KONSTAN, David (ed.). Women in Roman Republican Drama. Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 2015. p. 17-36.

DUTSCH, Dorota M. Feminine Discourse in Roman Comedy: On Echoes and Voices. Oxford: Oxford University Press, 2008. DOI: https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199533381.001.0001.

DUTSCH, Dorota; JAMES, Sharon L.; KONSTAN, David (ed.). Women in Roman Republican Drama. Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 2015.

EASTERLING, Pat; HALL, Edith (ed.). Greek and Roman Actors: Aspects of an Ancient Profession. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

FERREIRA, Caroline B. F. Reconstrução de uma cortesã na Roma antiga nas peças de Plauto. 2013. 90f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013. Disponível em: http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_6153_DISSERTA%C7%C2O%20COMPLETA%20-%20CAROLINE%20BARBOSA.pdf. Acesso em: 27 maio 2020.

FÖGEN, Thorsten. Gender Specific Communication in Graeco-Roman Antiquity. With a Research Bibliography. Historiographia Linguistica, Amsterdam, v. 31, p. 199-276, 2004.

HUNTER, Richard L. The New Comedy of Greece and Rome. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

KEMPER, Sjef. Docendi facultas: la retorica dello spettro nella Mostellaria di Plauto. In: RAFFAELLI, Renato; TONTINI, Alba (org.). Lecturae Plautinae Sarsinates XIII. Mostellaria. Sarsina, 29 set. 2009. Urbino: QuattroVenti, 2010. p. 31-57.

LEIGH, Matthew. Comedy and the Rise of Rome. Oxford: Oxford University Press, 2004. DOI: https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199266760.001.0001.

MANUWALD, Gesine. Roman Republic Theatre. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.

MARSHALL, Christopher W. The Stagecraft and Performance of Roman Comedy. Nova York: Cambridge University Press, 2006. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511486203.

MOORE, Timothy. The Theater of Plautus: Playing to the Audience. Austin: Texas University Press, 1998.

PACKMAN, Zola M. Feminine Role Designations in the Comedies of Plautus. The American Journal of Philology¸ Baltimore, MD, v. 120, n. 2, p. 245-258, Summer 1999. DOI: https://doi.org/10.1353/ajp.1999.0027.

PLAUTE. Comédies. Mostellaria – Persa – Poenulus. Texto estabelecido e traduzido por Alfred Ernout. 4. ed. Paris: Les Belles Lettres, 2003. Tomo V.

PLAUTI, T. MACCI. Mostellaria. Edição e notas de Edward A. Sonnenschein. 2. ed. Oxford: Clarendon Press, 1907.

PLAUTO, T. Maccio. La Mostellaria. Introdução, texto crítico e comentário de Nicola Terzaghi. Torino: G. B. Paravia, 1929.

PLAUTO. A comédia do fantasma (‘Mostellaria’). Tradução, introdução e comentário de Reina Marisol Troca Pereira. Coimbra; São Paulo: Imprensa da Universidade de Coimbra; Annablume Editora, 2014.

PLAUTO. Cásina. Introdução, tradução e notas de Carol Martins da Rocha. Campinas: Mercado de Letras, 2013.

PLAUTUS, T. M. Mostellaria. Edição, introdução e comentário de Jean Collart. Paris: Presses Universitaires de France, 1970.

PLAUTUS. Bacchides. Edição com tradução e comentários de John Barsby. 3. ed. Wiltshire: Aris & Phillips Ltd, 1991.

PLAUTUS. Stichus. Introdução, edição e comentário de Hubert Petersmann. Heidelberg: Carl Winterverlag, 1973.

RICHLIN, Amy. Slave-woman drag. In: DUTSCH, Dorota; JAMES, Sharon L.; KONSTAN, David (ed.). Women in Roman Republican Drama. Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 2015. p. 37-67.

ROCHA, Carol M. da. De linguado a lingua(ru)da: gênero e discurso das mulieres plautinae. 2015. 251f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/270792. Acesso em: 27 maio 2020.

ROSIVACH, Vincent J. When a Young Man Falls in Love: The Sexual Exploitation of Women in New Comedy. Londres; Nova York: Routledge, 1998.

TERENCE. Hecyra. Edição e comentários de Sander M. Goldberg. Cambridge: Cambridge University Press, 2013. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9781139021593.

SCHAUWECKER, Y. Zum Sprechverhalten der Frauentypen bei Plautus. Gymnasium: Zeitschrift für Kultur und humanistische Bildung. Edição de Franz Bömer e Ludwig Voit, 2002. v. 109, p. 191-211.

SLATER, Niall W. Plautus in Performance: The Theatre of the Mind. 2. ed. Amsterdã: Harwood Academic Publishers, 2000.

WILLIAMS, B. Games People Play: Metatheatre as Performance Criticism in Plautus‘ Casina. Ramus, Cambridge, v. 22, n. 1, p. 35-59, 1993. DOI: https://doi.org/10.1017/S0048671X00002538.

WITZKE, Serena S. Harlots, Tarts, and Hussies?: A Problem of Terminology for Sex Labor in Roman Comedy. Helios, Lubbock, v. 42, n. 1, p. 7-27, Spring 2015. DOI: https://doi.org/10.1353/hel.2015.0000.

WRIGHT, John. Dancing in Chains: The Stylistic Unity of the comoedia palliata. Roma: American Academy in Rome, 1974. (Papers and Monographs of the American Academy in Rome).

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Rocha, C. M. da. (2020). O speculum de Filemácia na Mostellaria de Plauto e o jogo metateatral entre os papéis das meretrizes na comédia palliata. Nuntius Antiquus, 16(2), 111–132. https://doi.org/10.35699/1983-3636.2020.21351

Edição

Seção

Artigos