O caráter de prova dos documentos produzidos pelas DOPS

Autores

  • Caroline Almeida Sodré
  • Cynthia Roncaglio Universidade de Brasília - UnB

Resumo

Este artigo tem como objetivo, a partir da revisão de literatura, analisar se a documentação produzida pelas Delegacias de Ordem Política e Social - DOPS, no contexto do aparato repressivo do Regime Militar Brasileiro (1964-1985), possui caraterísticas de prova documental. Partindo-se da análise diplomática e dos sentidos atribuídos ao conceito de prova documental, identifica-se que algumas tipologias documentais da DOPS possuem caráter de prova no sentido de serem ‘legitimadoras de discursos’. Também podemos citar a importância desses acervos no processo de redemocratização no Brasil que culminou na promulgação da Lei de Acesso à Informação nº 12.527, de 18 de outubro de 2011, e ainda os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade, que utilizou maciçamente a documentação das DOPS para investigação da violação de direitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Almeida Sodré

Arquivista pela Universidade de Brasília. Mestranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UnB.

Cynthia Roncaglio, Universidade de Brasília - UnB

Docente do Curso de Arquivologia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCInf) da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da Universidade de Brasília (UnB).

Downloads

Publicado

2017-09-26

Edição

Seção

Artigos