Proposta de uma classificação geral de objetos museológicos

Autores

  • Carlos Henrique Marcondes Departamento de Ciência da Informação, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, Universidade federal Fluminense

Palavras-chave:

museus na Web, classificação museológica, tesauros, organização do conhecimento, redes de museus, Rede Web de Museus do estado do Rio de Janeiro

Resumo

O esquema utilizado pela Rede de Museus do Estado do Rio de Janeiro para classificar objetos museológicos contém 16 categorias, baseadas em Ferrez e Bianchini (1987), um esquema pioneiro em uso em diversos museus brasileiros. As categorias desse esquema não são suficientes para as coleções de museus que estão aderindo à Rede. Essas incluem objetos de interesse científico e objetos de cultura intangível, que necessitariam de categorias próprias. Como Metodologia para expandir o esquema classificatório original foi utilizada a análise ontológica, definições conceituais e a teoria aristotélica da classificação. Esta base teórica e metodológica foi utilizada para distinguir diferentes tipos de objetos, definir novas categorias e especificar o seu escopo, incorporando-as ao novo esquema, garantindo sua compatibilidade com o esquema anterior e com os acervos já incluídos na Rede. Como Resultados, as categorias sugeridas incluem uma ampla, a de Objetos museológicos, que contem duas, Objetos Naturais (subdividida em objetos Orgânicos e Inorgânicos) e Produtos físicos ou conceituais da cultura Humana – a primeira contendo as 15 das 16 categorias do esquema original; e uma ampla categoria, de Produtos da Cultura imaterial. O resultado é um esquema amplo, que incorpora o anterior, e simultaneamente permite que novas categorias sejam incluídas no futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Marcondes, Departamento de Ciência da Informação, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, Universidade federal Fluminense

Professor Titular do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade federal Fluminense, pesquisador do CNPq

Downloads

Publicado

2019-07-01

Edição

Seção

Artigos