O processo de comunicação organizacional interna: um estudo realizado em uma Associação Comercial e Empresarial do Paraná

Autores

Palavras-chave:

Comunicação organizacional. Comunicação interna. Processo de comunicação. Estratégia organizacional

Resumo

Este artigo, apresenta resultado de pesquisa que objetivou compreender o processo de comunicação organizacional interna de uma Associação Comercial e Empresarial localizada no Paraná. Trata-se de um estudo de caso de natureza descritiva, de abordagem metodológica qualitativa com suporte quantitativo; primeiramente, realizou-se a análise quantitativa dos dados, de forma não-paramétrica por meio da Análise de Cluster. Já na análise qualitativa realizou-se a análise focada no conteúdo. O processo de comunicação interna, de acordo com a pesquisa quantitativa, acontece de maneira satisfatória na organização pesquisada, pois, fatores possuem médias elevadas e apenas alguns pontos específicos de possíveis problemas (variáveis com médias baixas). A pesquisa qualitativa aponta que este processo possui itens que deveriam ser aprimorados, tais como, o fator em que os respondentes afirmam não possuírem acesso a determinadas ferramentas de comunicação interna e/ou ao afirmarem estar descontentes com a não disponibilização destas ferramentas. Assim, torna-se extremamente necessário a disponibilização de todas as ferramentas de comunicação interna aos funcionários, visto que é por meio da comunicação interna que acontece o relacionamento contínuo, ou seja, se a comunicação interna for falha, poderá haver um conflito durante a realização da tarefa e que poderá refletir no cliente final.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, M. C. de. Discurso organizacional: uma pesquisa a ser empreendida entre as áreas de comunicação e administração. Publicatio UEPG: Ciências Sociais Aplicadas, Ponta Grossa, v. 21, n. 1, p. 27-37, ago. 2013.

ARAÚJO FILHO, A. A. de. A Comunicação Interna do Lançamento do “Programa de Segmentação Comportamental e Marketing de Relacionamento Pessoa Física do Banco do Brasil”: um estudo de caso. 2003. 271 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)- Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

BEM, J. C. de. O engajamento e o processo de relacionamento interno mediado pela comunicação nas organizações. 2013. 125 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social)- Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

CARDOSO, M. Quem conta um conto, aumenta um ponto. Observatório da imprensa, n.551, 18 ago. 2009. Disponível em: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/feitos-desfeitas/quem-conta-um-conto-aumenta-um-ponto/. Acesso em: 18 mar. 2021.

CARDOSO, O. de O. Comunicação empresarial versus comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 6, p. 1123-1144, dez. 2006.

CONDIT, C. M. Communication as relationality. In: SHEPHERD, G. J.; JOHN, J. St.; STRIPHAS, T. Communication as...: perspectives on theory. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, p. 03-13, 2006.

CORRADO, F. M. A Força da Comunicação. Trad. Bárbara T. Lambert. São Paulo: Makron Books, 1994.

DEETZ, S.; SIMPSON, J. Critical organizational dialogue: open formation and the demand of otherness. In: ANDERSON, R.; BAXTER, L. A.; CISSNA, K. N. (Eds.). Dialogue: theorizing difference in communication studies. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, p. 141-158, 2004.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2009.

GUIMARÃES, A. S.; SQUIRRA, S. C. de M. Comunicação organizacional e o processo comunicacional: uma perspectiva dialógica. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n.33, p. 46-52, ago 2007.

HALL, R. H. Organizações: estruturas, processos e resultados. 8.ed. Tradução: Roberto Galman. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

KUNSCH, M. M. K. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 4.ed. rev. atual. e amp. São Paulo: Summus, 2003.

LEMOS, Else. Comunicação Interna como Diferencial em Relações Públicas. In: FARIAS, Luiz Alberto de (org.). Relações Públicas Estratégicas – Técnicas, Conceitos e Instrumentos. São Paulo: Summus, 2011.

LIMA, D. C. A Organização na rede: a influência das novas tecnologias para as relações organizacionais. In: CARDOSO, C. (Org). Comunicação Organizacional hoje II: novos desafios, novas perspectivas. Salvador: Edufba: Gente. 2004.

MARCHIORI, M. Comunicação interna: um fator estratégico no sucesso dos negócios. In: MARCHIORI, M. (Org.). Faces da cultura e da comunicação organizacional. 2 ed São Caetano do Sul: Difusão, p.207-224, 2008.

MARCHIORI, M. Os desafios da comunicação interna nas organizações. Conexão – Comunicação e cultura, Caxias do Sul, v. 9, n. 17, p.145-159, jan./jun.2010.

MARCHIORI, M. Reflexões sobre comunicação e relações públicas estratégicas nos ambientes organizacionais brasileiros. Fisec - Estrategias, Buenos Aires, v. 1, p. 104-120, 2011.

MARCHIORI, M.; BULGACOV, S.; VERONEZI, D. P. O. Strategy as generative practice of interaction in a contemporary organization. Fisec – Estrategias, Buenos, Aires, v. 2, p. 35-51, 2010.

MARÔCO, J. Análise estatística com o SPSS Statistics. 6ed. Lisboa: Edições Sílabo, 2014.

MARQUES, A. C. S.; MAFRA, R. L. M. Diálogos no contexto organizacional e lugares de estratégia, argumentação e resistência. Organicom – Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, São Paulo, a.10, n.19, p.82-94, 2ºsem 2013.

MATEUS, A. Comunicação digital e investigação: a internacionalização da ciência. In: LIVRO DE ATAS DO II CONGRESSO MUNDIAL DE COMUNICAÇÃO IBERO-AMERICANA, 2014, Braga. Anais ... Universidade do Minho, Braga 2014.

MCPHEE, R. D.; IVERSON, J. Agents of constitution in communidad: constitutive processes of communication in organizations. In: PUTNAM, L. L.; NICOTERA, A. M. Building theories of organization: the constitutive role of communication. Routledge: New York, 2009.

MELO, V. P. C. A comunicação interna e a sua importância para as organizações. 2010. Disponível em: http://docplayer.com.br/89670-A-comunicacao-interna-e-sua-importancia-nas-organizacoes.html. Acesso em: 18 mar. 2021.

NASSAR, P. A comunicação como valor estratégico. In: MARCHIORI, M. (Org.). Faces da cultura e da comunicação organizacional. 2 ed. São Caetano do Sul: Difusão, 2008.

PAULO, A. M. F. de M. O feedback como ferramenta do líder nos processos de Comunicação Interna: estudo de caso da Termalistur E. E. M. 2012. 152 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação)-Universidade do Minho, Braga, 2012.

PASSOS, S. J. F. dos. A comunicação organizacional e as novas ferramentas midiáticas. Revista Científica da FAI, Santa Rita do Sapucaí, v. 10, n. 1, p. 94-104, 2010.

PIMENTA, M. A. Comunicação empresarial: conceitos e técnicas para administradores. 7. ed. Campinas, SP: Alínea, 2010.

REBECHI, C. N. Comunicação nas relações de trabalho: análise crítica de vozes na comunicação organizacional no Brasil. 2009, 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação)- Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

REIS, M. do C. Comunicação e mudança organizacional: uma interlocução instrumental e constitutiva. Organicom – Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, São Paulo, a.1, n.1, p. 37-53, ago. 2004.

RIBEIRO, E. P. Micronarrativas como estratégia de comunicação interna. 2014. 189 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação)- Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

RICARDO, C. Comunicação organizacional: estratégias de sucesso? In: CONGRESSO LUSÓFONO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 7, 2009, Lisboa. Anais eletrônicos [...]. Lisboa, 2009.

SCROFERNEKER, C. M. A. Perspectivas Teóricas da Comunicação Organizacional. Boletín Temático ALAIC - Comunicación para Latinoamérica, a.3, n. 11, jun. 2003.

SOARES, A. T. N. Comunicação e organizações sob influência da complexidade e do risco: uma análise conceitual. In: Eduardo de Jesus; Mozahir Salomão. (Org.). Interações plurais: a comunicação e o contemporâneo. São Paulo: Annablume, 2008.

TAVARES, R. S. de A. Fatores associados ao comprometimento de funcionários de empresas de telecomunicações. 2010. 215 f. Tese (Doutorado em Administração). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2010.

VILAÇA, W. P. T. A comunicação interna na gestão da sustentabilidade: um estudo fenomenológico. 2012. 291 f. Tese (Doutorado em Comunicação)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

WOLTON, D. Pensar a comunicação. Trad. Zélia Leal Adghirni. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Edição

Seção

Artigos