Justiça social e população negra: um olhar teórico-crítico para Competência em Informação

Autores

Palavras-chave:

Competência em Informação; Justiça social; População negra; Teoria da justiça social.

Resumo

Quais os enfoques na produção científica do campo biblioteconômico-informacional vinculam a competência em informação e a justiça social para população negra? Esta é a problemática que este artigo visa responder, e para o qual o objetivo geral está em refletir sobre a justiça social e a população negra, sob a lente teórica da Competência em Informação. Trata-se de um estudo teórico, de cunho bibliográfico e documental, que possui como base artigos, livros, capítulos de livros e outros recursos informacionais coletados na literatura científica em Biblioteconomia e Ciência da Informação (BCI). A reflexão teórica está estruturada pela discussão sobre competência em informação para uma ação social, promoveu uma cartografia das discussões sobre capitalismo, globalização e capitalismo racial enquanto instrumentos de injustiça às pessoas negras e outras não-brancas, e, por fim, trouxe quatro estratégias que compõem a teoria da justiça social para pessoas negras, a partir do olhar para competência em informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franciéle Carneiro Garcês da Silva , I Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda no Programa de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestra em Ciência da Informação (IBICT/UFRJ). Bacharela em Biblioteconomia (UDESC). Representante discente ANCIB - Gestão Plural (2020-2022). Idealizadora e gestora do Quilombo Intelectual. Coordenadora do Selo Nyota e do Grupo de Trabalho Relações Étnico-raciais e Decolonialidades, vinculado à FEBAB. Compõe o quadro de integrantes do Grupo de Pesquisa Ecce Liber: Filosofia, linguagem e organização dos saberes como membro do Satélites em Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos (O²S².sat). Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI) e do Núcleo de Estudos sobre Performance, Patrimônio e Mediações Culturais (NEPPaMCs).Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social (CAPES-DS).

Dirnéle Carneiro Garcez , Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (PGCIN-UFSC). Mestra em Ciência da Informação (PPGCIN/UFSC). Bacharela em Administração pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI. Integrante do Grupo de Pesquisa Ecce Liber: Filosofia, linguagem e organização dos saberes como membro do Satélites em Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos (O²S².sat) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI).Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social (CAPES-DS).

Priscila Rufino Fevrier , Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Doutoranda em Ciência da Informação de Informação (IBICT/UFRJ). Mestra em Ciência da Informação (PPGCIN/UFSC).Bacharela em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Integrante do Grupo de Estudos Intelectuais Negras na Ciência da Informação. Membro do Grupo de Trabalho "Relações Étnico-Raciais e Decolonialidades', vinculado à FEBAB. Compõe o quadro de integrantes do Grupo de Pesquisa Ecce Liber: Filosofia, linguagem e organização dos saberes e é membro do Satélites em Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos (O²S².sat) vinculado ao Grupo de Pesquisa Ecce Liber - IBICT/UFRJ e do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI). Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social (CAPES-DS).

Ana Paula Meneses Alves, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora Adjunta do Departamento Organização e Tratamento da Informação da Escola de Ciência da Informação da UFMG. Doutora em Ciência da Informação pela Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp - Campus Marília em regime de cotutela com a Universidade de Granada - Espanha, na qual recebeu o título de Doutora em Ciências Sociais. Mestre em Ciência, Tecnologia e Sociedade pela Universidade Federal de São Carlos. Bacharela em Biblioteconomia pela Faculdade de Filosofia e Ciências - Unesp - Campus Marília. Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI-UFMG).

Referências

ADLER, Melissa; HARPER, Lindsey M. Race and Ethnicity in Classification Systems: teaching Knowledge Organization from a Social Justice Perspective. Library Trends, Illinois, v. 67, n. 1, p. 52-73, 2018. DOI:10.1353/LIB.2018.0025.

ALVES, Ana Paula Meneses. Competência informacional e o uso ético da informação na produção científica: o papel do bibliotecário na produção intelectual no ambiente acadêmico. 2016. 287 f. Tese - (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/143419?show=full. Acesso em: 19 nov. 2021.

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION (ALA). Presidential Committee on Information Literacy: Final Report, 1989. Disponível em: http://www.ala.org/acrl/publications/whitepapers/presidential. Acesso em: Acesso em: 17 nov. 2021.

ASANTE, MolefiKete. Afrocentricidade: notas sobre uma posição disciplinar. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 93-110.

BELUZZO, Regina Célia Batista. A competência em informação no Brasil: cenários e espectros. São Paulo: ABECIN Editora, 2018.

BELUZZO, Regina Célia Batista. Construção de mapas: desenvolvendo competências em informação e comunicação. 2. ed. rev. ampl. Bauru: Cá entre Nós, 2007.

BORGES, J. Competências infocomunicacionais: estrutura conceitual e indicadores de avaliação. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 28, n. 1, p. 123-140, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/38289. Acesso em: 26 out. 2021.

BRISOLA, Anna Cristina C. de A. S. Competência crítica em informação como resistência à sociedade da desinformação sob um olhar freiriano: diagnósticos, epistemologia e caminhos ante as distopias informacionais contemporâneas. 2021. 295 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro; Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2021. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/1165. Acesso em: 18 set. 2021.

BRITO, Tânia Regina; VITORINO, Elizete Vieira. A multidimensionalidade competência em informação e vulnerabilidade social. In: CORRÊA, Elisa C. D.; SPUDEIT, Daniela; VITORINO, Elizete Vieira (org.). Pesquisas e práticas de competência em informação. Florianópolis: Rocha Gráfica e Editora, 2019. p. 25-55. (Selo Nyota).

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 2005.Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CARTA DE MARÍLIA. In: SEMINÁRIO DE COMPETÊNCIA EM INFORMAÇÃO:CENÁRIOS E TENDÊNCIAS. 3., 2014, Marília-SP. Anais [...] Marília-SP: UNESP; UNB; IBICT, 2014. Disponível em: https://ofaj.com.br/textos_conteudo.php?cod=546. Acesso em: 04 dez. 2021.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DOHERTY, John J. Giving voice to the silenced: an essay in support of information literacy.Library Philosophy and Practice, [s.l.], p. 1-8, jun. 2007. Disponível em: http://digitalcommons.unl.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1133&context=libphilpra. Acesso em: 18 nov. 2021.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Competência informacional: análise evolucionária das tendências da pesquisa e produtividade científica em âmbito mundial. Informação & Informação, Londrina, v.15, n.2, p.1-22, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/7045. Acessoem: 18 nov. 2021.

DURRANCE, Joan C.; FISHER, Karen. E. How libraries and librarians help: a guide to identifying user-centered outcomes. Chicago: American Library Association, 2005.

ELMBORG, James. Critical Information Literacy: Implications for Instructional Practice. The Journal of Academic Librarianship, [s.l.], v. 32, n. 2, p. 192-199, March 2006. DOI: https://doi.org/10.1016/j.acalib.2005.12.004

ENRIGHT, Nathaniel F. The Violence of Information Literacy: Neoliberalism and the Human as Capital. In: GREGORY, Lua; HIGGINS, Shana.Information Literacy and Social Justice: Radical Professional Praxis. Sacramento: Library Juice Press, 2013. p. 15-38.

ETTARH, Fobazi. Vocational awe and librarianship: the lies we tell ourselves. In The Library with the Lead Pipe, [s.l.], 2018. Disponível em: https://www.inthelibrarywiththeleadpipe.org/2018/vocational-awe/ Acesso em: 11 jun. 2021).

FARIAS, Gabriela B. de et al. 20 anos de pesquisa sobre InformationLiteracy no Brasil: análise temática das teses e dissertações do Catálogo da CAPES. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 14, n. 1, p. 289–301, 2021. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/35349. Acesso em: 19 nov. 2021.

FILGUEIRAS, Vitor Araújo; DUTRA, Renata. Distinções e aproximações entre terceirização e uberização: os conceitos como palco de disputas. Cadernos CRH, Salvador, v. 34, p. 2-14, 2021. DOI: https://doi.org/10.9771/ccrh.v34i0.45040.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ (FIOCRUZ). COVID-19 e o racismo estrutural no Brasil. Cadernos de Saúde Pública (CSP), Rio de Janeiro, 01 dez. 2020a. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/video/covid-19-e-o-racismo-estrutural-no-brasil. Acesso em: 19 nov. 2021.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ (FIOCRUZ). População Negra e Covid-19 – Boletim Corona. Cadernos de Saúde Pública (CSP), Rio de Janeiro, 18 jun. 2020b. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/video/covid-19-e-o-racismo-estrutural-no-brasil. Acessoem: 19 nov. 2021.

FURNER, Jonathan. Dewey Deracialized: A critical race-theoretic perspective. Knowledge Organization, Baden-Baden, v. 34, n. 3, p. 144-168, 2007.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Letramento Informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem. Brasília: Faculdade de Ciência da Informação: UnB, 2012.

GORHAM, Ursula; TAYLOR, Natalie Greene; JAEGER, Paul T. Volume EditorsIntroduction: Libraries as InstitutionsofHumanRightsand Social Justice. Advances in Librarianship, [s. l.], p. 1-12, 2016. DOI: 10.1108/s0065-283020160000041001.

GREGORY, Lua; HIGGINS, Shana. Reorienting an Information Literacy Program Toward Social Justice: Mapping the Core Values of Librarianship to the ACRL Framework. Communications in Information Literacy, [s. l.], v.11, n. 1, p. 42–54, 2017.

HARVEY, David. A Brief History of Neoliberalism. Oxford: Oxford University Press, 2005.

HARVEY, David. The New Imperialism. Oxford: Oxford University Press, 2003.

HELKENBERG, Davin et al. Education for the Common Good: a Student Perspective on Including Social Justice in LIS Education. Journal of Education for Library and Information Science, [s. l.], v. 59, n. 4, p. 265-271, 2018. DOI: 10.3138/jelis.59.4.2018-0013.

HOFFMANN, Debra; WALLACE, Amy. Intentional Informationists: Re-envisioning Information Literacy and Re-designing Instructional Programs Around Faculty Librarians' Strengths as Campus Connectors, Information Professionals, and Course Designers. The Journal of Academic Librarianship, [s. l.], v. 39, n. 6, p. 546-551, Nov. 2013. DOI: https://doi.org/10.1016/j.acalib.2013.06.004.

HONMA, Todd. Trippin’ Over the Color Line: The Invisibility of Race in Library and Information Studies. InterActions: UCLA Journal of Education and Information Studies, Los Angeles, v. 1, n. 2, 2005. Disponível em: http://escholarship.org/uc/item/4nj0w1mp Acesso em: 20 jan. 2022.

HONMA, Todd. Foreword. In: SCHLESSELMAN-TARANGO, Gina. (ed.). Topographies of Whiteness: mapping whiteness in Library and Information Science. Sacramento: Library Juice Press, 2017.

HORTON JR. Forest Woody. Overview of Information Literacy Resources Worldwide. Paris: UNESCO, 2013. Disponível em: http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/resources/publications-and-communication-materials/publications/full-list/overview-of-information-literacy-resources-worldwide. Acessoem: 20 jan. 2022.

HUDSON, David James. On “Diversity” as Anti-Racism in Library and Information Studies: A Critique. Journal of Critical Library and Information Studies, [s. l.], n. 1, p. 1-36, 2017. DOI: 10.24242/jclis.v1i1.6.ISSN: 2572-1364.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2021. Rio de Janeiro: Coordenação de População e Indicadores Sociais: IBGE, 2021.

JACOBS, Heidi L. M.; BERG, Selinda. Reconnecting Information Literacy Policy with the Core Values of Librarianship. Library Trends, Illinois, v. 60, n. 2, p. 383-394, 2011. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/6103164.pdf. Acesso em: 15 dez. 2021.

JONES, Emily P.; MANI, Nandita S.; CARLSON, Rebecca B. Analysis of anti-racism, equity, inclusion and social justice initiatives in library and information science literatura. Reference Services Review,[s. l.], v. 50, n. 1, p. 81-101, 2022. DOI: https://doi.org/10.1108/RSR-07-2021-00322022.

JOSEY, Elonnie J. The Black Librarian in America. Metuchen: Scarecrow Press, 1970.

KELLEY, Robin D. G. Forewod. In: ROBINSON, Cedric. Black Marxism: the Making of the Black Radical Tradition. Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 2000.

KELLEY, Robin D. G. Inseguro: Policiamento sob o capitalismo racial. Dilemas, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 379-409, jan./abr. 2022. DOI: https://doi.org/10.4322/dilemas.v15n1.43308.

KUHLTHAU, Carol Collier. O papel da biblioteca escolar no processo de aprendizagem. In: VIANNA, Márcia Milton; CAMPELLO, Bernadete; MOURA, Victor Hugo Vieira. Biblioteca escolar: espaço de ação pedagógica. Belo Horizonte: EB/UFMG, 1999. p. 9-14. Seminário promovido pela Escola de Biblioteconomia da Universidade Federal de Minas Gerais e Associação dos Bibliotecários de Minas Gerais,1998, Belo Horizonte. Disponível em: http://gebe.eci.ufmg.br/index.php?option=com_content&view=article&id=55&Itemid=53. Acesso em: 08 set. 2021.

LEITE, Maria Jorge dos Santos. Tráfico atlântico, escravidão e resistência no Brasil. Sankofa: Revista de História da África e de Estudos da Diáspora Africana, São Paulo, ano X, n. 19, p. 64-82, ago. 2017.

LIPSITZ, George. Libraries & Memories: beyond White privilegie. ProgressiveLibrarian, [s. l.], n. 32, p. 3-9, 2009. Disponível em: http://www.progressivelibrariansguild.org/PL/PL32/003.pdf Acesso em: 10 jan. 2022.

LIPSCOMB, Carolyn E. Race and librarianship: part I. Journal of the Medical Library Association,[s. l.], v. 92, n. 3, p. 299-301, July 2004. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC442167/ Acesso em: 10 jan. 2022.

LIPSCOMB, Carolyn E. Race and librarianship: part II. Journal of the Medical Library Association,[s. l.], v. 93, n. 3, p. 308-310, July 2005. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1175796/ Acesso em: 10 jan. 2022.

MARCELLA, Rita; CHOWDHURY, Gobinda. Eradicating information poverty: An agenda for research.Journal of Librarianship and Information Science, [s. l.], v. 52, n. 2, p. 366-381, 2018. DOI: https://doi.org/10.1177/0961000618804589.

MATHIESEN, Kay. Informational Justice: A Conceptual Framework for Social Justice in Library and Information Services. Library Trends, Illinois, v. 64, n. 2, 2015. DOI: https://doi.org/10.1353/lib.2015.00 44

MATHUEWS, Kathy. Moving beyond diversity to social justice: a call to action foracademic librarians. ProgressiveLibrarian, [s. l.], v. 44, p. 6-27, 2016. Disponível em: http://www.progressivelibrariansguild.org/PL/PL44/006.pdf. Acesso em: 10 jan. 2022.

MAZAMA, Ama. A afrocentricidade como um novo paradigma. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 111-128.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Artes & Ensaios, Rio de Janeiro, n. 32, p. 123-151, 2016.

MEHRA, Bharat; ALBRIGHT, Kendra S.; RIOUX, Kevin. A practical framework for social justice research in the information professions. ASIS&T: Proceedings of the American Society for Information Science and Technology, [s. l.], v. 43, n. 1, p 1-10, 2007. DOI: https://doi.org/10.1002/meet.14504301275

MEHRA, Bharat. Enough crocodile tears! Libraries moving beyond performative antiracist politics. The Library Quarterly,[s. l.], v. 91, n. 2, p. 137-149, 2021. DOI: 10.1086/713046.

MIRAGLIA, Lívia Mendes Moreira; HERNANDEZ, Julianna do Nascimento; OLIVEIRA, Rayhanna Fernandes de Souza. Trabalho escravo contemporâneo: conceituação, desafios e perspectivas. Rio de Janeiro: Lummen Juris, 2018.

MILLER, David. Social justice. Oxford: Clarendon Press, 1976.

MILLER, David. Recent Theories of Social Justice. British Journal of Political Science, [s. l.], v. 21, n. 3, p. 371-391, July 1991. DOI: 10.1017/S0007123400006207.

MILLER, David. Principles of Social Justice. Cambrigde: Harvard University Press, 1999.

MORALES, Myrna; KNOWLES, Claire; BOURG, Chris. Diversity, social justice, and the future of libraries. Portal: Libraries and the Academy, [s. l.], v. 14, n. 3, p. 439-451, 2014.

PERINI, Erica Rezende; CIPRIANI, Flávia Marcele. Os reflexos da pandemia da Covid-19 na vida de estudantes pretos e pardos do Brasil. Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 34., n. 2, jul. dez. 2021.

PYATI, Ajit. Understanding the role of information policy in LIS education. Feliciter, [s. l.], v. 56, n. 3, p. 116-118, 2010. Disponível em: http://www.community.cla.ca/wp-content/uploads/2016/03/56_3.pdf. Acesso em: 08 fev. 2022.

PRADO, Hugo Leonardo; da Silva; SERAFIM, Jucenir; Duarte; COELHO, Clara; BARTALO, Linete. A competência em informação dos estudantes indígenas da Universidade Estadual de Londrina.Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação,Florianópolis, v. 22, n. 49, p. 102-114, maio-agosto, 2017. Disponível em:https://www.redalyc.org/pdf/147/14750845009.pdf. Acesso em: 20 nov. 2021.

PRONI, Marcelo Weishaupt; GOMES, Darcilene Claudio. Precariedade ocupacional: uma questão de gênero e raça. Estudos Avançados, São Paulo, v. 29, n. 85, p. 137-151, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/Jkxxc35wnZkzV8tY7vkXSpx/?lang=pt. Acessoem: 20 nov. 2021.

REISCH, Michael. Defining Social Justice in a Socially Unjust World. Families in Society: The Journal of Contemporary Social Services, [s. l.], v. 83, n. 4, p. 343-354, 2002.

RABAKA, Reiland. Teoria Crítica Africana. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin. (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 129-146.

REZENDE, Rodrigo. Relatório da CPI aponta que população negra foi mais atingida durante a pandemia. Rádio Senado, Brasília, 29 out. 2021. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/radio/1/noticia/2021/10/29/relatorio-da-cpi-aponta-que-populacao-negra-foi-mais-atingida-durante-a-pandemia. Acesso em: 19 nov. 2021.

RIGHETTO, Guilherme G.Competência em Informação de minorias sociais: pessoas trans da região de Florianópolis, Santa Catarina.2018.Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

RIOUX, Kevin. Metatheory in library and information science: a nascent social justice approach. Journal of Education for Library and Information Science, [s. l.], v. 51, n. 1, p. 9-17, 2010.Disponível em: https://www.jstor.org/stable/20720477 Acesso em: 20 nov. 2021.

RIOUX, Kevin. Teaching Social Justice in an Information Literacy Course: an Action Research Case Study. Qualitative and Quantitative Methods in Libraries (QQML) Special Issue Social Justice, Social Inclusion, [s. l.], p. 23-30, 2014.

ROBERTS, Sara T.; NOBLE, Safiya U. Empowered to name, inspired to act: social responsibility and diversity as calls to action in the LIS context. Library Trends, Illinois, v. 64, n. 3, p. 512–532, 2016. DOI: https://doi.org/10.1353/lib.2016.0008.

ROBERTSON, T. Critical Librarianship: an interview with Toni Samek. TaraRoberton.ca, 13 nov. 2007. Disponível em: https://bclaifc.wordpress.com/2007/11/13/critical-librarianship-an-interview-with-toni-samek/ Acesso em: 12 jan. 2022.

ROBINSON, Cedric J. Racial capitalism: the nonobjective character of capitalism development. In: ROBINSON, Cedric J. Black Marxism: the Making of the Black Radical Tradition. Chapel Hill: The Universityof North Carolina Press, 2000.

SAAD, Layla F. Eu e a supremacia branca: reconhecer seu privilégio, combater o racismo e mudar o mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 2020.

SAMEK, Toni. The library bill of rights in the 1960s: one profession, on ethic. Library Trends, Illinois, v. 45, n. 1, p. 50-60, 1996.

SAMEK, Toni. Librarianship and Human Rights: a twenty-first century guide. Inglaterra: Chandos Publishing, 2007.

SAMEK, Toni. Critical Reflection on Librarianship and Human Rights: a Book and Continuing Endeavor. Perspectives on Libraries as Institutions of Human Rights and Social Justice, [s. l.], v. 41, p. 245-263, 2016. DOI: https://doi.org/10.1108/S0065-283020160000041010

SANTOS, Márcia Pereira Alves dos; NERY, Joilda Silva; GOES, Emanuelle Freitas; SILVA, Alexandre da; SANTOS, Andreia Beatriz Silva dos; BATISTA, Luís Eduardo; ARAÚJO, Edna Maria de. População negra e Covid-19: reflexões sobre racismo e saúde. Estudos Avançados, São Paulo, v. 34, n. 99, p. 225-243, 2020. doi: 10.1590/s0103-4014.2020.3499.014

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SANTOS, Waneska Cardoso dos; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Ações para a formação da competência em informação: relato de experiência. Informação@Profissões, Londrina, v. 7, n. 2, p. 153-175, 2018. Disponível em:http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/infoprof/article/view/34664. Acessoem: 18 nov. 2021.

SAUNDERS, Laura. Connecting Information Literacy and Social Justice: Why and How? Communications in InformationLiteracy, [s. l.], v. 11, n. 1, p. 55-75, 2017.

SILVA, Franciéle C. G.; SALDANHA, Gustavo S. Biblioteconomia Negra Brasileira: caminhos, lutas e transformação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, São Paulo, v. 12, p. 1-24, 2019. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/492. Acesso em: 27 nov. 2021.

SILVA, Franciéle C. G.; GARCEZ, Dirnele Carneiro; ROMEIRO, Nathália Lima; FEVRIER, Priscila Rufino; ALVES, Ana Paula Meneses. Justiça para quem? justiça social, informacional, racial e de gênero em bibliotecas. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 21., 2021, Rio de Janeiro. Anais [...] Rio de Janeiro: IBICT; UFRJ, 2021. Disponível em: https://enancib.ancib.org/index.php/enancib/xxienancib/schedConf/presentations. Acesso em: 20 fev. 2022.

SILVA, Tatiana Dias; SILVA, Sandro Pereira. Trabalho, População Negra e Pandemia: notas sobre os primeiros resultados da PNAD Covid-19. Boletim de Análise Político-Institucional, Brasília, n. 26, mar. 2021. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/boletim_analise_politico/210304_bapi_26_artigo_5.pdf. Acesso em: 27 nov. 2021.

SULLIVAN, Maureen. The promise of Appreciative Inquiry in library organizations. Library Trends, Illinois, v. 53, n. 1, p. 218-229, 2004.

SOUSA, G. K. A.; VALÉRIO, E. D.; CAMPOS, A. F. Competência em informação para a igualdade racial.Logeion: filosofia da informação, Rio de Janeiro, v. 7, p. 128-144, 2021.Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/5639. Acesso em: 19 nov. 2021.

TANUS, Gabrielle Francinne de S. C; SILVA, Daniela Cândido. Biblioteconomia social, crítica e progressista: mapeamento da produção científica nacional e internacional. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, Natal, v.3, p. 1-28, 2019. DOI: https://doi.org/10.21680/2447-0198.2019v3n0ID18371.

TICKELL, Adam; PECK, Jamie. Making global rules: globalization or neoliberalization? In: PECK, Jamie; YEUNG, Henry (org.). Remaking the Global Economy. Londres: Sage, 2003. p.163-181.

UNESCO. Media and Information Literacy. [2020]. Disponível em: http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/media-development/ media-literacy/mil-as-composite-concept/. Acesso em: 03 jan. 2022.

URIBE-TIRADO, A. Lecciones aprendidas en Programas de Alfabetización Informacional en universidades de Iberoamérica: propuestas de buenas prácticas. 2013. 406 f. Tesis (Doctoral en Información y Comunicación) - Universidad de Granada, Granada, 2013. Disponível em: http://eprints.rclis.org/22416/1/TESIS%20COMPLETA.%20Alejandro%20Uribe%20Tirado.pdf. Acesso em: 22 jan. 2021.

VINCENT, John. The role of public libraries in social justice. Prometheus, v. 30, n. 3, p. 349–351, 2012. DOI: 10.1080/08109028.2012.702057.

VITORINO, Elizete Vieira. A competência em informação e a vulnerabilidade: construindo sentidos à temática da “vulnerabilidade em informação”. Ciência da Informação, Brasília, v. 47 n. 2, p. 71-85, maio/ago. 2018. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/download/4187/3794. Acesso em: 3 set. 2021.

VITORINO, Elizete Vieira; DE LUCCA, Djuli Machado (org.). As dimensões da competência em informação: técnica, estética, ética e política. Porto Velho: EDUFRO, 2020. Disponível em: http://www.edufro.unir.br/uploads/08899242/Capas%206/As%20Dimensoes%20da%20Competencia%20em%20Informacao.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela. Competência em informação: conceito, contexto histórico e olhares para a ciência da informação. Florianópolis: Editora da UFSC, 2020. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/212553/E-book%20Compet%c3%aancia%20em%20informa%c3%a7%c3%a3o%2031ago20.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 04 set. 2021.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela. Competência informacional - bases históricas e conceituais: construindo significados. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 3, p. 130-141, set./dez. 2009. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ci/v38n3/v38n3a09.pdf. Acesso em: 04 set. 2021.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela. Dimensões da competência informacional. Ciência da Informação, Brasília, v. 40, n. 1, p. 99-110, jan./abr., 2011. Disponível em http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1328/. Acesso em: 04 set. 2021.WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 71-77, maio/ago. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/rmmLFLLbYsjPrkNrbkrK7VF/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 21 nov. 2021.

WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 71-77, maio/ago. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/rmmLFLLbYsjPrkNrbkrK7VF/?format=pdf&lang=pt. Acessoem: 21 nov. 2021.

XINSHENG, Wang. A Fourfold Defense of Marx’s Theory of Justice. Social Sciences in China, v. 36, n. 2, p. 5-21, 2015. DOI: 10.1080/02529203.2015.1029662.

ZURKOWSKI, Paul. G. The Information Service Environment Relationships and Priorities. Washington, DC: National Commission on Libraries and Information Science. Nov. 1974. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED100391.pdf. Acesso em: 20 abr. 2019.

Downloads

Publicado

2022-06-07

Edição

Seção

Seção 1: Apontamentos e tendências teóricas em Competência em Informação