Morbidade hospitalar de crianças menores de cinco anos em um município brasileiro de fronteira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.38662

Palavras-chave:

Hospitalização, Atenção Primária à Saúde, Saúde da Criança, Saúde na Fronteira

Resumo

Objetivo: descrever as causas de hospitalização de crianças menores de cinco anos e os fatores associados às internações evitáveis em município brasileiro de tríplice fronteira. Método: estudo transversal, de morbidade hospitalar, com coleta de dados em prontuários, no hospital público de referência para atendimento pediátrico em município de tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, no período de maio de 2017 a abril de 2018. As hospitalizações foram classificadas em evitáveis e não evitáveis. As variáveis independentes foram: diagnóstico médico; sexo; idade; período de internação; desfecho e país de residência. Foram estimadas as razões de prevalência bruta e ajustada pelo modelo de regressão log-binomial para verificar a associação entre a variável dependente, internações evitáveis e as variáveis independentes. Resultados: ocorreram 758 hospitalizações, sendo 45,1% consideradas evitáveis. As principais causas de internação foram as doenças do aparelho respiratório (42,8%), o grupo de causas indefinidas (13,8%) e as doenças infecciosas e parasitárias (10%). As hospitalizações evitáveis estiveram associadas com a faixa etária menor de um ano, maior tempo de internação e com o desfecho alta para casa. Conclusão: as internações evitáveis foram responsáveis por quase metade das hospitalizações, em sua maioria, por doenças do aparelho respiratório, sendo associadas em menores de um ano, maior tempo de hospitalização e melhor desfecho. Esses achados sugerem a necessidade de fortalecer as ações da Atenção Primária à Saúde por meio de investimento financeiro adequado para reduzir as hospitalizações desnecessárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Leal MC, Szwarcwald CL, Almeida PVB, Aquino EML, Barreto ML, Barros F, et al. Saúde reprodutiva, materna, neonatal e infantil nos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Ciênc Saúde Colet. 2018[citado em 2019 out. 19];23(6):1915-28.doi: 10.1590/1413-81232018236.03942018. Disponível em: https://www.scielo.br /pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1915.pdf

UNICEF, WHO. Levels & Trends in Child Mortality. Report 2019[citado em 2020 mar. 05]. Disponível em: https://data.unicef.org/resources/levels-and-trends-in-child-mortality/

Pedraza DF, Araujo EMN. Internações das crianças brasileiras menores de cinco anos: revisão sistemática da literatura. Epidemiol Serv Saúde. 2017[citado 2019 out. 19];26(1):169-82. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ress/v26n1/2237-9622-ress-26-01-00169.pdf

Prezotto KH, Lentsck MH, Aidar T, Fertonani HP, Mathias TAF. Hospitalizações de crianças por condições evitáveis no Estado do Paraná: causas e tendência. Acta Paul Enferm. 2017[citado em 2019 out. 19];30(3):254-61.doi:10.1590/1982- 0194201700039. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v30n3/1982-0194-ape-30-03-0254.pdf

Rocha JVM, Nunes C, Santana R. Avoidable hospitalizations in Brazil and Portugal: Identifying and comparing critical areas through spatial analysis. PLoS ONE. 2019[citado em 2019 out. 19];14(7):e0219262.doi:https://doi.org/10.1371/journal.pone.0219262. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0219262

Pinto Junior EP, Aquino R, Medina MG, Silva MGC. Efeito da Estratégia Saúde da Família nas internações por condições sensíveis à atenção primária em menores de um ano na Bahia, Brasil. Cad Saúde Pública. 2018[citado 2019 out. 21];34(2):e00133816.doi: 10.1590/0102-311X00133816 Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v34n2/1678-4464-csp-34-02-e00133816.pdf

Morimoto T, Dias da Costa JS. Análise descritiva dos gastos com internações por condições sensíveis à atenção primária. Cad Saúde Colet. 2019[citado em 2020 jan. 10];27(3):295-300. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cadsc/v27n3/1414462-Xcadsc-1414-462-X2019-00030344.pdf

Rasella D, Basu S, Hone T, Paes-Sousa R, Ocke-Reis CO. et al. Child morbidity and mortality associated with alternative policy responses to the economic crisis in Brazil: a nationwide microssimulation study. Plos Medice. 2018[citado em 2021 set 06];15(5):e1002570. Disponível em: https://journals.plos.org/plosmedicine/article?id=10.1371 /journal.pmed.1002570

Pinto F, Giovanella L. Do Programa a Estratégia Saúde da Família: expansão do acesso e redução das internações por condições sensíveis a atenção Básica (ICSAB). Ciênc Saúde Colet. 2018[citado em 2019 out. 20];23(6):1093-913.doi:10.1590/1413-81232018236.05592018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1903.pdf

Silva VLS, França GVA, Munhoz TN, Santos IS, Barros AJD, Barros FC, et al. Hospitalização nos primeiros anos de vida e desenvolvimento de transtornos psiquiátricos aos 6 e 11 anos: estudo de coorte de nascimentos no Brasil. Cad Saúde Pública. 2018[citado 2019 nov.02];34(5):e00064517. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v34n5/1678-4464-csp-34-05-e00064517.pdf

Levino A, Carvalho EF. Análise comparativa dos sistemas de saúde da tríplice fronteira: Brasil/Colômbia/Peru. Rev Panam Salud Publica. 2011[citado 2019 nov. 04];30(5):490-500. Disponível em: https://scielosp.org/article /ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/as-sets/rpsp/v30n5/v30n5a13.pdf

Souza S, Duim, E, Nampo, F.K. Determinants of neonatal mortality in the largest international border of Brazil: a case-control study. BMC Public Health. 2019[citado 2019 dez.15];19:1304. Disponível em: https:// bmcpublichealth.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12889-019-7638

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Social e Econômico. Caderno Estatístico do Município de Foz do Iguaçu 2020[citado 2020 mar. 05]. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=85850&btOk=ok

Vieira ILV, Kupek E. Impacto da vacina pneumocócica na redução das internações hospitalares por pneumonia em crianças menores de 5 anos, em Santa Catarina, 2006 a 2014. Epidemiol Serv Saúde. 2018[citado 2019 dez. 15];27(4):e2017378. doi: https://doi.org/10.5123/s1679-49742018000400012. Disponível em: https://www .scielo.br/scielo.php?pid=S223796222018-000400307 &script=sci_abstract&tlng=pt

Ferrer APS, Grisi SJFE. Avaliação do acesso à atenção primária à saúde de crianças e adolescentes hospitalizados devido a condições evitáveis. Rev Assoc Med Bras. 2016[citado 2019 dez.19]; 62(6):513-23. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ramb/v62n6/0104-4230-ramb-62-6-0513.pdf

Araujo EMND, Costa GMC, Pedraza DF. Internações por condições sensíveis à atenção primária em crianças menores de cinco anos: estudo transversal. Sao Paulo Med J. 2017[acessado em 2019 nov. 10];135(3):270-76. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sp-mj/v135n3/1806-9460-spmj-135-03-00270.pdf

Fausto MCR, Rizzoto MLF, Giovanella L, Seidl H, Bousquat A. et al. O futuro da Atenção Primária à Saúde no Brasil. Saúde em Debate. 2018[citado em 2021 set.06];42(suppl):12-17. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/bSpRGvzf54nJ4pQjMy7PY3r/?lang=pt

Seta MH, Ocké-Reis CO, Ramos ALP. Programa Previne Brasil: o ápice das ameças à Atenção Primária à Saúde? Ciênc. saúde coletiva. 2021[citado em 2021 set. 06];26(suppl 2). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232021269.2.01072020

Ferreira JBB, Borges MJG, Santos LL, Forster AC. Internações hospitalares por condições sensíveis ao atendimento ambulatorial em uma região de saúde do Estado de São Paulo, Brasil, 2008-2010. Epidemiol Serv Saúde. 2014[citado 2019 nov. 10]; 23(1):45-56. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br /scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000100005

Mendes-da-Silva A, Gonçalves-Pinho M, Freitas A, Azevedo I. Trends in hospitalization for acute bronchiolitis in Portugal: 2000–2015. Pulmonology. 2019[citado 2019 nov.15];25(3):154-61. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S253104371-8300783

Bont L, Checchia PA, Fauroux B, et al. Defining the Epidemiology and Burden of Severe Respiratory Syncytial Virus Infection Among Infants and Children in Western Countries. Infect Dis Ther. 2016[citado 2019 nov.15];5(3):271-98. doi: 10.1007 / s40121-016-0123-0, disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s40121-016-0123-0

Souza DK, Peixoto SV. Estudo descritivo sobre a evolução dos gastos com internações hospitalares por condições sensíveis à atenção primária no Brasil, 2000-2013. Epidemiol Serv Saúde. 2017[citado 2019 nov. 20];26(2):285-94. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222017000200285

Balieiro PCS, Silva LCF, Sampaio VS, Monte EX, Pereira EMSP. et al. Fatores associados à mortalidade por causas inespecíficas e mal definidas no Estado do Amazonas Brasil, de 2006 a 2012. Cien. Saúde Coletiva, 2020[citado 2021 set 06];25(1):339-352. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232020251.27182017

Rodrigues-bastos, R. M, Campos EMS, Ribeiro LC, Firmino RUR, Bustamante-Teixeira MT. Internações por condições sensíveis à atenção primária em município do sudeste do Brasil. Rev Assoc Med Bras. 2013[citado em 209 nov.15];59(2):120-27. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302013000200010

Zaslavsky R, Goulart BNG, Ziegelmann PK. Cross-Border healthcare and prognosis of HIV infection in the triple border Brazil-Paraguai-Argentina. Cad Saúde Pública. 2019[citado em 2019 dez.10];35(9):e00184918.doi:10.1590/0102-311X00184918. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2019001105004

Arquivos adicionais

Publicado

08-04-2022

Como Citar

1.
Souza AC, Ferreira H, Contiero AP, Silva RMM, Zilly A, Furtado MC de C, Ferrari RP. Morbidade hospitalar de crianças menores de cinco anos em um município brasileiro de fronteira. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 8º de abril de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/38662

Edição

Seção

Pesquisa