Atendimento em saúde mental na atenção primária à saúde no período pré-reforma psiquiátrica

Autores

  • Gisele Fernandes Tarma Cordeiro Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery – EEAN, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira – Nuphebras. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5083-6373
  • Rosa Gomes dos Santos Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery – EEAN, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira – Nuphebras. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-5681-595X
  • Antonio Jose de Almeida Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery – EEAN, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira – Nuphebras. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2547-9906
  • Tânia Cristina Franco Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery – EEAN, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira – Nuphebras. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2325-4532
  • Mariângela Aparecida Gonçalves Figueiredo Universidade Federal de Juiz de Fora, Hospital Universitário, Juiz de Fora MG , Brasil, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF, Hospital Universitário – HU. Juiz de Fora, MG – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-1382-7819
  • Maria Angélica de Almeida Peres Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery – EEAN, Núcleo de Pesquisa em História da Enfermagem Brasileira – Nuphebras. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-6430-3540

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49739

Palavras-chave:

Enfermagem Psiquiátrica, Saúde Mental, História da Enfermagem, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Introdução: analisar a atenção em saúde mental na atenção primária à saúde em um município mineiro, na década de 1980. Método: estudo qualitativo, na perspectiva da história do tempo presente. Fontes: documentos escritos e orais obtidos por entrevista com seis profissionais de uma unidade básica de saúde (UBS). Utilizou-se o método indutivo que parte da postura crítica interna e externa das fontes, estabelecendo as relações com o contexto histórico-social em que estavam inseridas. Resultados: os dados resultaram em duas categorias: revelando a realidade manicomial em Juiz de Fora pela narrativa dos profissionais da unidade básica de saúde e relatos dos profissionais sobre dificuldades de compreensão da proposta da reforma e consequências na organização dos serviços e na assistência. Discussão: no período pré-reforma psiquiátrica, o processo de desospitalização determinou uma demanda de atendimento em saúde mental na UBS, a qual não foi devidamente acolhida devido ao despreparo da equipe de saúde. A lógica manicomial guiava o atendimento e não contemplou suficientemente o cuidado às pessoas com transtornos mentais, limitando-se à reprodução de prescrições médicas e encaminhamentos para serviços especializados. Conclusão: a equipe enfrentou, dentro do possível, as dificuldades encontradas e a UBS estudada foi pioneira em atendimento extra-hospitalar em saúde mental, o que mais tarde seria qualificado pela Secretaria Municipal de Saúde Mental de Juiz de Fora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andrade MC, Costa-Rosa A. The relation between madness and labour: concepts and practices in historical perspective. Gerais Rev Interinst Psicol. 2014[citado 2018 fev 27];7(1):27-41. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-82202014000100004&lng=pt

Barroso SM, Silva MA. Brazilian psychiatric reform: the way of the deinstitutionalization by the historiography. Rev SPAGESP. 2011[citado em 2018 fev. 27];12(1):66-78. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rspagesp/v12n1/v12n1a08.pdf

Amarante P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2015.

Amarante P, Torre EHG. Madness and cultural diversity: innovation and rupture in experiences of art and culture from Psychiatric Reform and the field of Mental Health in Brazil. Interface (Botucatu). 2017[citado em 2018 fev. 27];21(63):763-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v21n63/1807-5762-icse-21-63-0763.pdf

Constituição da República Federativa do Brasil (BR). Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília: República Federativa do Brasil; 1988[citado em 2018 jan. 12]. Disponível em: http://www.tse.jus.br/legislacao/codigo-eleitoral/constituicao-federal/constituicao-da-republica-federativa-do-brasil

Ministério da Saúde (BR). A construção do SUS: histórias da reforma sanitária e do processo participativo. Brasília: Ministério da Saúde; 2006[citado em 2018 jan. 12]. Disponível em: http://sms.sp.bvs.br/lildbi/docsonline/get.php?id=5444

Ministério de Saúde (BR). Lei nº 10.216, de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília: Diário Oficial da União; 2001[citado em 2018 jan. 12]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm

Delgado PGG. Psychiatric reform and democracy in Brazil. Ciênc Saúde Coletiva. 2011[citado em 2018 fev. 27];16(12):4701-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n12/19.pdf

Arbex D. Holocausto Brasileiro. São Paulo: Geração Editorial; 2013.

Marques AJS, Pitta AMF. Reabilitação psicossocial e a reforma psiquiátrica em Juiz de Fora. São Paulo: Hucitec; 1996.

Heckert U. Reforma do sistema assistencial psiquiátrico de Juiz de Fora e região. Rev Inst Histórico Geográfico Juiz de Fora. 2015;15.

Meihy JCSB, Holanda F. História oral: como fazer, como pensar. 2a ed. São Paulo: Contexto; 2013.

Padilha MICS, Borenstein MS. The methodology of historic research in the nursing. Texto Contexto Enferm. 2005[citado em 2018 fev. 27];14(4):575-84. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n4/a15v14n4.pdf

Barros JDA. A fonte histórica e seu lugar de produção. Cad Pesq Cdhis. 2012[citado em 2018 fev. 27];25(2):407-29. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/cdhis/article/download/15209/11834

Venturini E. A linha curva: o espaço e o tempo da desinstitucionalização. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2016.

Araujo FP, Sauthier M, Ferreira MA. Social representations of citizenship by inpatients: implications for hospital care. Rev Bras Enferm. 2016[citado em 2018 fev 27];69(4):625-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n4/en_0034-7167-reben-69-04-0625.pdf

Andrade APM, Maluf SW. De-institutionalization experiences in the Brazilian psychiatric reform: a gender approach. Interface (Botucatu). 2017[citado em 2018 fev. 27];21(63):811-21. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v21n63/en_1807-5762-icse-1807-576220150760.pdf

Pitta AMF. Reabilitação psicossocial no Brasil. São Paulo: Hucitec; 2016.

Wenceslau LD, Ortega F. Mental health within primary health care and Global Mental Health: international perspectives and Brazilian context. Interface (Botucatu). 2015[citado em 2018 fev. 27];19(55):1121-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v19n55/1807-5762-icse-1807-576220141152.pdf

Figueiredo MD, Campos RO. Saúde Mental health in the primary care system of Campinas, SP: network or spider’s web? Ciênc Saúde Colet. 2009[citado em 2018 fev. 27];14(1):129-38. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v14n1/a18v14n1.pdf

Zolnierek CD, Clingerman EM. A medical-surgical nurse’s perceptions of caring for a person with severe mental illness. J Am Psychiatr Nurses Assoc. 2012[citado em 2018 fev. 27];18(4):226-35. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22679265

Razzouk D. Accomodation and health costs of deinstitutionalized people with mental illness living in residential services in Brazil. Pharmacoecon Open. 2018[citado em 2018 fev. 27];3 (1):31-42. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29713951

Dutra VFD, Bossato HR, Oliveira RMP. Mediating autonomy: an essential care practice in mental health. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2017[citado em 2018 fev. 27];21(3):e20160284. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v21n3/1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2016-0284.pdf

Publicado

20-12-2019

Como Citar

1.
Cordeiro GFT, Ferreira RG dos S, Almeida AJ de, Santos TCF, Figueiredo MAG, Peres MA de A. Atendimento em saúde mental na atenção primária à saúde no período pré-reforma psiquiátrica. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 20º de dezembro de 2019 [citado 23º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49739

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.