Compreensão da mãe a respeito do cuidar de crianças estomizadas

Autores

  • Juliana Matos Silva Universidade de Brasília, Departamento de Enfermagem, Brasília DF , Brasil, Universidade de Brasília – UnB, Departamento de Enfermagem. Brasília, DF – Brasil. http://orcid.org/0000-0001-7458-4123
  • Manuela Costa Melo Escola Superior de Ciências da Saúde, Escola de Enfermagem, Brasília DF , Brasil, Escola Superior de Ciências da Saúde – ESCS, Escola de Enfermagem. Brasília, DF – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2018-1801
  • Ivone Kamada Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação, Brasília DF , Brasil, UnB, Programa de Pós-Graduação. Brasília, DF – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2569-8727

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49743

Palavras-chave:

Criança Hospitalizada, Estomas Cirúrgicos, Relações Profissional-Família, Cuidados de Enfermagem, Pesquisa Qualitativa, Família

Resumo

Objetivo: compreender o cuidado realizado pelos profissionais de saúde na assistência à criança estomizada. Métodos: estudo descritivo-exploratório com delineamento na investigação qualitativa interpretativa realizado em um hospital público de Brasília. População constituída por nove mães de crianças estomizadas. Realizado no período entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2016. Utilizados dados do diário de campo e do roteiro de entrevista semiestruturado e realizada análise das narrações por meio da análise de conteúdo, modalidade temática. Resultados: nas narrativas maternas prevaleceram relatos de dificuldade no manejo da estomia, por dificuldade no entendimento das orientações fornecidas pelos profissionais de saúde, sendo unânime em narrar que aprenderam mais com a prática de outras mães do que com os profissionais. Reforçaram também a falta de preparo desses profissionais em lidar na assistência dessas crianças. Considerações finais e implicações para a prática de Enfermagem: ao compreender o cuidado, foi possível concluir e apoiar a necessidade de estabelecer prioridades para esse cuidado. As evidências encontradas podem fortalecer o cuidado prestado pelos profissionais de saúde que atuam com as famílias e as crianças com estomias, não apenas nos cuidados de rotina, como também nas ações educativas para serem preparadas a lidarem com a situação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Santos VLCG, Cesaretti IURC, editores. Assistência em estomaterapia: cuidando da pessoa com estomia. São Paulo (SP): Atheneu; 2015. p.133-70.

Poletto D, Gonçalves MI, Barros MTT, Anders JC, Martins ML. Children with intestinal stoma and their families: implications for nursing care. Texto Contexto Enferm. 2011[citado em 2017 jan. 11];20(2):319-27. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000200014

Vilar A, Andrade M, Alves M. Alta de crianças com estoma: uma revisão integrativa da literatura. Rev Enferm Ref. 2013[citado em 2017 jan. 11];3(10):145-52. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/ref/vserIIIn10/serIIIn10a17.pdf

Menezes H, Góes F, Maia S, Souza A. Subjectivity in family care for the child with a stoma from the construction of his autonomy. Rev Pesqui Cuid Fundam Online. 2013[citado em 2017 jan. 11];5(2):3731-9. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2077/pdf_767

Anyanwu Lofty-John C, Mohammad A, Oyebanji T. A descriptive study of commonly used postoperative approaches to pediatric stoma care in a developing country. Ostomy Wound Manage. 2013[citado em 2017 jan. 11];59(12):32-7. Disponível em: https://www.o-wm.com/article/descriptive-study-commonly-used-postoperative-approaches-pediatric-stoma-care-developing-cou

Dabas H, Sharma KK, Joshi P, Agarwala S. Video teaching program on management of colostomy: evaluation of its impact on caregivers. J Indian Assoc Pediatr Surg. 2016[citado em 2017 jan. 11];21(2):54-6. Disponível em: 10.4103/0971-9261.176933

Stragliotto DO, Girardon-Perlini NMO, Rosa BVC, Dalmolin A, Nietsche EA, Somavilla M, et al. Implementação e avaliação de um vídeo educativo para famílias e pessoas com colostomia. Rev Estima. 2017[citado em 2018 fev. 02];15(4):191-9. Disponível em: https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/415/pdf

Streubert HJ, Carpenter DR. Qualitative Research in Nursing: advancing the humanistic imperative. Nurs Res. 2011[citado em 2017 jan. 11]; 5:62. Disponível em: https://oysconmelibrary01.files.wordpress.com/2016/09/qualitative-research-in-nursing-advancing-the-humanistic-imp.pdf

Teodoro IPP, Rebouças VCF, Thorne SE, Souza NKM, Brito LSA, Alencar AMPG. Descrição interpretativa: uma abordagem metodológica viável para a pesquisa em enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2018[citado em 2017 jan. 11];22(3):e2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n3/pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2017-0287.pdf

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated critério for reporting qualitative research (COREQ): a 32- item checklist for interviews and focus group. Int J Qual Heal Care. 2007[citado em 2017 jan. 11];19(6):349-57. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17872937

Silveira A, Neves ET, Cardoso PC. Cuidado familial das crianças com necessidades especiais de saúde: um processo (sobre) natural e de (super) proteção. Texto Contexto Enferm. 2013[citado em 2017 jan. 11];22(4):1106-14. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072013000400029

Zacarin CFL, Borges AA, Dupas G. The family’s experience of children and adolescents with gastrointestinal stomas. Ciênc Cuid Saúde. 2018[citado em 2019 jan. 19];17(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v17i2.41278

Zacarin CFL, Alvarenga WA, Souza ROD, Borges DCS, Dupas G. Vulnerabilidade da família de crianças com estomia intestinal. Rev Eletrônica Enferm. 2014[citado em 2016 dez. 15];16(2):426. Disponível em: https://doi.org/10.5216/ree.v16i2.26639

Menezes HF, Góes FGB, Souza ALS. The autonomy of the child under ostomy: challenges for nursing care. Rev Enferm UFPE on line. 2014[citado em 2017 jan. 15];8(3):632-40. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/9719/9802

Coldicutt P, Hill B. An overview of surgical stoma construction and its effects on the child and their family. Nurs Child Young People. 2013[citado em 2016 jan. 05];25(4):26-35. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23795547

Townley A, Wincentak J, Krog K, Schippke J, Kingsnorth S. Paediatric gastrostomy stoma complications and treatments: a rapid scoping review. J Clin Nurs. 2018[citado em 2016 maio 05];27(7-8):1369-80. Disponível em: https://doi.org/10.1111/jocn.14233

Publicado

20-12-2019

Como Citar

1.
Silva JM, Melo MC, Kamada I. Compreensão da mãe a respeito do cuidar de crianças estomizadas. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 20º de dezembro de 2019 [citado 27º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49743

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)