Sono e variáveis de saúde de profissionais de enfermagem nos diferentes turnos de trabalho

Autores

  • Joice Araújo Marçal Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas SP , Brasil, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Faculdade de Enfermagem. Campinas, SP – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-3622-2476
  • Bruno Fernando Moneta Moraes Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas SP , Brasil, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Faculdade de Enfermagem. Campinas, SP – Brasil. http://orcid.org/0000-0001-8590-5746
  • Sandra Soares Mendes Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas SP , Brasil, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Faculdade de Enfermagem. Campinas, SP – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-4084-6858
  • Milva Maria Figueiredo De-Martino Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas SP , Brasil, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Faculdade de Enfermagem. Campinas, SP – Brasil. http://orcid.org/0000-0002-3877-4218
  • Jaqueline Girnos Sonati Universidade de Taubaté, Departamento de Enfermagem e Nutrição, Taubaté SP , Brasil, Universidade de Taubaté – UNITAU, Departamento de Enfermagem e Nutrição. Taubaté, SP – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4045-4181

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49758

Palavras-chave:

Jornada de Trabalho em Turnos, Enfermagem, Pressão Aarterial, Sono, Índice de Massa Corporal

Resumo

Introdução: a relação entre sincronizadores e a organização temporal interna pode ser perturbada por mudanças causadas pelo trabalho em turnos, manifestando-se como distúrbios cardiovasculares, metabólicos e do sono. Objetivo: analisar o padrão de sono, características antropométricas, glicemia e pressão arterial de 88 profissionais de Enfermagem, trabalhadores de turnos diurnos e noturnos fixos. Métodos: estudo descritivo e transversal realizado em serviços públicos de pronto atendimento de um município do estado de Minas Gerais, no qual se utilizaram questionário sociodemográfico e o diário do sono. As medidas realizadas foram glicemia, pressão arterial, índice de massa corporal e circunferência da cintura. Resultados: a duração e a qualidade de sono noturno dos trabalhadores do turno da noite apresentaram-se com média estatisticamente inferior em relação aos funcionários do turno diurno. No entanto, entre as outras variáveis estudadas e turnos não houve diferença estatística significante. Conclusão: observaram-se sobrepeso e obesidade em 59,09% dos profissionais e alterações da circunferência de cintura em 70,46% deles. O conhecimento dessa realidade pode contribuir para estudos adicionais, com possíveis programas de acompanhamento periódico da saúde do trabalhador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Oliveira B, De Martino MMF. Análise das funções cognitivas e sono na equipe de enfermagem nos turnos diurno e noturno. Rev Gaúcha Enferm. 2013[citado em 2018 jul. 11];34(1):30-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n1/04.pdf

Nu SF, Chu H, Chen CH, Chung MH, Hang YSC, Liao YM, et al. A comparison of the effects of fixed and rotating shift schedules on nursing staff attention levels: a randomized trial. Biol Res Nurs. 2013[citado em 2018 jul. 12];15(4):443-50. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/1099800412445907?journalCode=brna

Rosado IVM, Russo GHA, Maia EMC. Produzir saúde suscita adoecimento? As contradições do trabalho em hospitais públicos de urgência e emergência. Ciênc Saúde Colet. 2015[citado em 2018 jul. 11];20(10):3021-32. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232015001003021&script=sci_abstract&tlng=pt

Zanuto EAC, Christofaro DGD, Fernandes RA. Sleep quality and associated factors. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2014[citado em 2018 ago. 6];16(1):27-35. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372014000100027

Marqueze EC, Ulhôa MA, Moreno CRC. Effects of irregular shifts and physical activity. Rev Saúde Pública. 2013[citado em 2018 ago. 6];47(3):497-505. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102013000300497&script=sci_abstract

Bernardo VM, Silva FC, Gonçalves E, Hernández SSS, Arancibia BAV, Silva R. Efeitos do Trabalho em Turnos na Qualidade do Sono de Policiais: Uma Revisão Sistemática. Rev Cub Med Mil. 2015[citado em 2018 ago. 6];44(3):334-45. Disponível em: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0138-65572015000300007

Vasconcelos HCA, Fragoso LVC, Marinho NBP, Araújo MFM, Freitas RWJF, Zanetti ML, et al. Correlação entre indicadores antropométricos e a qualidade do sono de universitários brasileiros. Rev Esc Enferm USP. 2013[citado em 2018 ago. 6];47(4):852-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v47n4/0080-6234-reeusp-47-4-0852.pdf

Neves GSML, Giorelli AS, Florido P, Gomes MM. Transtornos do sono: visão geral. Rev Bras Neurol. 2013[citado em 2018 ago. 6];49(2):57-71. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0101-8469/2013/v49n2/a3749.pdf

Sociedade Brasileira de Cardiologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010[citado em 2018 ago. 6];95(1 Supl 1):1-51. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2010/Diretriz_hipertensao_associados.asp

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde; Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde; 2011[citado em 2019 jan 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia: Pocket Book 2011-2013[citado em 2014 nov 27]. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/pocketbook/2011-2013/Livro_Pockt_Book_Completo_interativa.pdf

World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a World Health Organization Consultation. Geneva: World Health Organization; 2000.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. Brasília: Ministério da Saúde; 2014[citado em 2019 jan 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_doenca_cronica_obesidade_cab38.pdf

Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: 2014-2015. São Paulo: AC Farmacêutica; 2015.

Fundação Casa de Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Perfil da Enfermagem no Brasil[citado em 2018 jan 16]. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/27325

Huth JJ, Eliades A, Handwork C, Englehart JL, Messenger J. Shift worked, quality of sleep, and elevated body mass index in pediatric nurses. J Pediatr Nurs. 2013[citado em 2018 jan 16];28(6):e64-e73. Disponível em: https://www.pediatricnursing.org/article/S0882-5963(13)00095-X/fulltext

Coelho MP, Pinto OO, Mota MC, Crispim AP. Prejuízos nutricionais e distúrbios no padrão de sono de trabalhadores da Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2014[citado em 2018 jan 16];67(5):832-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n5/0034-7167-reben-67-05-0832.pdf

Reis FF, Braga ALS. Night work and its impacts on the health of the nursing team: an integrative review. J Nurs UFPE on line. 2015[citado em 2018 jan 16];9(3):7133-44. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10444/11254

Freire CB, Dias RF, Schwingel PA, França EET, Andrade FMD, Costa EC, et al. Qualidade de vida e atividade física em profissionais de terapia intensiva do sub médio São Francisco. Rev Bras Enferm. 2015[citado em 2018 jan 16];68(1):26-31. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v68n1/0034-7167-reben-68-01-0026.pdf

Silva RM, Beck CLC, Magnago TSBS, Carmagnani MIS, Tavares JP, Prestes FC. Trabalho noturno e a repercussão na saúde dos enfermeiros. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2011[citado em 2018 jan 16];15(2):270-6. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452011000200008

Mendes SS, De Martino MMF. Trabalho em turnos: estado geral de saúde relacionado ao sono em trabalhadores de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2012[citado em 2018 jan 16];46(6):1471-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n6/26.pdf

Moreno E, De Martino MM, Costa RF. Prevalência de síndrome metabólica em metalúrgicos de diferentes turnos de trabalho. Acta Paul Enferm. 2015[citado em 2018 jan 16]; 28(4):388-94. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v28n4/1982-0194-ape-28-04-0388.pdf

Freitas ES, Canuto R, Henn RL, Olinto BA, Macagnan JBA, Pattussi MP, et al. Alteração no comportamento alimentar de trabalhadores de turnos de um frigorífico do sul do Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2015[citado em 2018 jan 16];20(8):2401-10. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n8/1413-8123-csc-20-08-2401.pdf

Sato AT, Barros JO, Jardim TA, Ratier APP, Lancman S. Processo de envelhecimento e trabalho: estudo de caso no setor de engenharia de manutenção de um hospital público do município de São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2017[citado em 2018 jan 16];33(10):e00140316. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n10/1678-4464-csp-33-10-e00140316.pdf

Publicado

20-12-2019

Como Citar

1.
Marçal JA, Moraes BFM, Mendes SS, De-Martino MMF, Sonati JG. Sono e variáveis de saúde de profissionais de enfermagem nos diferentes turnos de trabalho. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 20º de dezembro de 2019 [citado 23º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49758

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)