Implicações do uso de som e imagem na avaliação de debriefing

Autores

  • Alessandra Mazzo Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada, Ribeirão Preto SP , Brazil, Universidade de São Paulo - USP, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Ribeirão Preto, SP – Brasil http://orcid.org/0000-0001-5074-8939
  • Juliana Constantino Franzon Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada, Ribeirão Preto SP , Brazil, Universidade de São Paulo - USP, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Ribeirão Preto, SP – Brasil http://orcid.org/0000-0001-9883-9522
  • Mateus Henrique Gonçalves Meska Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada, Ribeirão Preto SP , Brazil, Universidade de São Paulo - USP, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Ribeirão Preto, SP – Brasil http://orcid.org/0000-0001-7855-5450
  • Giovanna Cristina Conti Machado Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada, Ribeirão Preto SP , Brazil, Universidade de São Paulo - USP, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Ribeirão Preto, SP – Brasil http://orcid.org/0000-0002-7906-5880
  • Verónica Rita Dias Coutinho Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Enfermagem Médico-Cirúrgica, Coimbra , Portugal, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Enfermagem Médico-Cirúrgica. Coimbra – Portugal http://orcid.org/0000-0001-8073-4562
  • Gerson Alves Pereira Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia de Bauru, Curso de Medicina, Bauru SP , Brazil, USP Faculdade de Odontologia de Bauru, Curso de Medicina. Bauru, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0003-3920-3000

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49809

Palavras-chave:

Simulação de Paciente, Mídia Audiovisual, Avaliação Educacional

Resumo

OBJETIVO: identificar a implicação da aplicação de recursos de som e imagem na avaliação de debriefing. MÉTODO: estudo quantitativo e experimental que inclui estudantes de graduação em Enfermagem com 18 anos ou mais, alocados de forma randomizada por grupo-intervenção (participação em debriefing com o uso de som e imagem) ou grupo-controle (participação em debriefing sem o uso de som e imagem), realizado em uma escola de Enfermagem do interior de São Paulo durante um workshop simulado, onde os alunos participaram de um cenário simulado de alta fidelidade. Para a coleta de dados foi utilizado o instrumento de caracterização sociodemográfica, a Escala de Experiência de Debriefing e a Avaliação de Debriefing associada à Simulação. Para análise dos dados foi utilizada estatística exploratória, com análise de frequência, porcentagem, teste de confiabilidade, análise amostral e teste de comparação de médias. RESULTADOS: participaram deste estudo 100 estudantes de graduação em Enfermagem. Apuraram-se valores elevados para a avaliação de debriefing e ressaltou-se a importância do papel do facilitador. No entanto, não se observaram resultados significativos para a avaliação de debriefing ao adicionar uma revisão de vídeo. CONCLUSÃO: estes resultados destacam a importância da reflexão durante a educação com base na simulação clínica e sugerem que a educação eficiente com simulação pode ser alcançada no debriefing mesmo quando a tecnologia de vídeo não está disponível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kolbe M, Grande B. Briefing and debriefing during simulation-based training and beyond: content, structure, attitude and setting. Best Pract Res Clin Anaesthesiol. 2015[citado em 2016 jan. 28];29(1):87-96. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1521689615000038

Grant JS, Dawkins D, Molhook L, Keltner NL, Vance DE. Comparing the effectiveness of video-assisted oral debriefing and oral debriefing alone on behaviors by undergraduate nursing students during high- fidelity simulation. Nurse Educ Pract. 2014[citado em 2016 jan. 15];14(5):479-84. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24929548.

Clepper TC. Proposing a New Debrief Checklist for Team STEPPS(r) to Improve Documentation and Clinical Debriefing. Simul Gaming. 2016[citado em 2017 mar. 25];47(6):710-9. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/1046878116667812

Kolbe M, Marty A, Seelandt J, Graden B. How to debrief teamwork interactions: using circular questions to explore and change team interaction patterns. Adv Simul. 2016[citado em 2017 mar. 25];1(29). Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1186/s41077-016-0029-7

Nyström S, Dahlberg J, Edelbring S, Hult H, Dahlgren MA. Debriefing practices in interprofessional simulation with students: a sociomaterial perspective BMC Medic Educ. 2016[citado em 2017 mar. 25];16(148):1- 8. Disponível em: https://bmcmededuc.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12909-016-0666-5?site=bmcmededuc.biomedcentral.com

Coutinho VRD, Martins A, Carlos J, Pereira R, Carneiro, MF. Construção e Validação da Escala de Avaliação do Debriefing associado à Simulação (EADaS). Rev Enferm Ref. 2014[citado em 2017 mar. 25];4(2):41-50. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=388239972005

Ha E. Attitudes toward Video-Assisted Debriefing after simulation in undergraduate nursing students: an application of Q methodology. Nurse Educ Today. 2014[citado em 2017 mar. 25];(34)6:978-84. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24467864

Kuehster CR, Hall CD. Simulation: Learning from mistakes while building communication and teamwork. J Nurses Staff Dev. 2010[citado em 2017 mar. 25];26(3):123-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20508427

Almeida RGS, Mazzo A, Martins JCM, Coutinho VRD, Jorge, BV, Mendes IAC. Validation to Portuguese of the Debriefing Experience Scale. Rev Bras Enferm. 2016[citado em 2016 ago. 19];69(4):705-11. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672016000400705 DOI: 10.1590/0034-7167.2016690413i

Grant JS, Davis LL. Focus on quantitative methods. Selection and use of content expert for instrument development. Res Nurs Health. 1997[citado em 2016 jun. 17];20:269-74. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9179180

Coutinho VRD, Martins JCA, Pereira F. Structured debriefing in nursing simulation: students' perceptions. J Nurs Educ Pract. 2016[citado em 2017 fev. 13];6(9):127-34. Disponível em: http://www.sciedu.ca/journal/index.php/jnep/article/view/8878/5824

Mukaka MM. Statistics Corner: a guide to appropriate uso of correlation coefficient in medical research. Malawi Med J. 2012[citado em 2017 jun. 16];24(3):69-71. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3576830/

Jeffries P, Rizzolo. Designing and implementing models for the innovative use of simulation to teach nursing care of ill adults and children: a national, multi-site, multimethod study (NLN). 2006[citado em 2016 ago. 16];147-59. Disponível em: http://www.nln.org/docs/default-source/professionaldevelopment-programs/read-the-nln-laerdal-project-summary-report-pdf.pdf?sfvrsn=0

Lasater K. Clinical judgment development: Using simulation to create an assessment rubric. J Nurs Educ. 2007[citado em 2016 ago. 16];46(11):496-503. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18019107

Savoldelli GL, Naik VN, Park J, Joo HS, Chow, Hamstra SJ. Value of Debriefing during Simulated Crisis Management: oral versus Video-assisted Oral Feedback. Anesthesiology. 2006[citado em 2017 jan. 12];105(2):279-85. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16871061

McDonnell LK, Jobe KK, Dismukes RKEY. Facilitating LOS debriefings: A training manual. National Aeronautics and Space Administration. Mach, 1997. Disponível em: https://ntrs.nasa.gov/search.jsp?R=19970015346

Martins JCA, Mazzo A, Baptista RCN, Coutinho VRD, Godoy S, Mendes IACM, et al. A experiência clínica simulada no ensino de Enfermagem: retrospectiva histórica. Acta Paul Enferm. 2012[citado em 2016 ago. 16];25(4):619-25. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/3070/307023889017/

Sawyer T, Sierocka-Castaneda A, Chan D, Berg B, Lustik M, Thompson M. The effectiveness of video-assisted debriefing versus oral debriefing alone at improving neonatal resuscitation performance: a randomized trial. Simul Healthc. 2012[ citado em 2017 jun. 16];7(4): 213-21. Disponível em: https://journals.lww.com/simulationinhealthcare/Abstract/2012/08000/ The_Effectiveness_of_Video_Assisted_Debriefing.2.aspx.

Borges MC, Miranda CH, Santana RC, Bollela VR. Avaliação formativa e feedback como ferramenta de aprendizado na formação de profissionais da saúde. Medicina (Ribeirão Preto). 2014[citado em 2016 ago. 16];47(3): 324-31. Disponível em: https://www.periodicos.usp.br/rmrp/article/view/86685.

Publicado

09-05-2019

Como Citar

1.
Mazzo A, Franzon JC, Meska MHG, Machado GCC, Coutinho VRD, Pereira GA. Implicações do uso de som e imagem na avaliação de debriefing. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 9º de maio de 2019 [citado 27º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49809

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)