Implicações da prática clínica em atividades simuladas: satisfação e autoconfiança dos estudantes

Autores

  • Juliana Constantino Franzon Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP , Brasil, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP, Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0001-9883-9522
  • Mateus Henrique Gonçalves Meska Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP , Brasil, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP, Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0001-7855-5450
  • Cezar Kayzuka Cotta Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP , Brasil, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP, Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5274-5886
  • Giovanna Cristina Conti Machado Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP , Brasil, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP, Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0001-5590-4507
  • Alessandra Mazzo Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP , Brasil, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP, Enfermagem Fundamental. Ribeirão Preto, SP - Brasil http://orcid.org/0000-0001-5074-8939

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49980

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem, Treinamento com Simulação de Alta Fidelidade, Satisfação Pessoal

Resumo

INTRODUÇÃO: a literatura demonstra que alunos que participam de atividades simuladas com experiência clínica prévia alcançam resultados menos positivos em simulação do que aqueles sem contato prévio com o campo clínico. OBJETIVO: identificar as implicações da prática clínica na satisfação e autoconfiança do estudante com atividades clínicas simuladas em medidas de conforto e higiene ao paciente usuário de fraldas descartáveis. MÉTODO: estudo quantitativo, quase-experimental realizado em uma universidade pública do interior do estado de São Paulo, no Brasil, utilizando dois instrumentos de avaliação da satisfação e autoconfiança do estudante com as práticas clínicas simuladas, a Escala de Satisfação e Autoconfiança no Aprendizado (ESAA) e a Escala de Satisfação com as Experiências Clínicas Simuladas (ESECS). RESULTADOS: participaram do estudo 100 estudantes de graduação em Enfermagem. Alunos com experiência clínica anterior tiveram valores mais significativos no item "autoconfiança"; estudantes sem experiência clínica para o item "realismo" das escalas. CONCLUSÃO: a simulação clínica é enriquecedora do ponto de vista do aprendizado, satisfação e autoconfiança do estudante, mas não dispensa a prática clínica real dos estudantes em campo clínico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alfes CM. Evaluating the use of simulation with beginning nursing students. J Nurs Educ. 2011[citado em 2017 out. 18];50(2):89-93. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/ pubmed/21210610

Baptista RC, Martins JC, Pereira MF, Mazzo A. Simulação de Alta-Fidelidade no Curso de Enfermagem: ganhos percebidos pelos estudantes Rev Enferm Ref. 2014[citado em 2017 out 17];1(1):135-44 Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-02832014000100015

Baptista RCN, Pereira MFCR, Martins JC. A simulação no ensino de graduação em Enfermagem: evidências científicas. In: Mazzo A, Mendes IAC, Rodrigues MA. A simulação no ensino de Enfermagem. São Paulo: SOBRACEN; 2014. p.65-81.

Struksnes S, Engelien RI. Nursing students' conception of clinical skills training before and aftertheir first clinical placement: a quantitative, evaluative study. Nurse Educ Prac. 2016[citado em 2017 out. 18];(1):125-32. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26542106 DOI: 10.1016/j.nepr. 2015.10.009

Yeun EJ, Bang HY, Ryoo EN, Ha EH. Attitudes toward simulation-based learning in nursing students: an application of Q methodology. Nurse Educ Today. 2014[citado em 2017 out. 18];34(7):1062-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24629271

Leonard B, Shuhaibar E, Chen R. Nursing student perceptions of intra professional team education nursing high-fidelity simulation. J Nurs Educ. 2010[citado em 2017 out. 18];49(11):628-31. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20669872

Schlairet M.C. Simulation in an undergraduate nursing curriculum: implementation and impact evaluation. J Nurs Educ. 2011[citado em 2017 nov. 11];50(10):561-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21710961

Almeida RGS, Mendes IAC, Mazzo A, Martins JCA, Baptista RCN, Girão FB. Validação para a língua portuguesa da escala Student satisfactionand self-confidence in learning. Rev Latino-Am Enferm. 2015[citado em 2017 set. 12];23(6):1007-13. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ rlae/v23n6/pt_0104-1169-rlae-23-06-01007.pdf

Lelonqvist EK, Eriksson K, Merejota R. Evidence of clinical competence by simulation, a hermeneutical observational study. Nurse Educ Today. 2015[citado em 2017 out. 18];38:88-92. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26763209

Cremonini V, Ferri PG, Artioli G, Sarli L, Piccioni E, Rubbi I. Nursing students’ experiences of and satisfaction with the clinical learning environment: the role of educational models in the simulation laboratory and in clinical practice. Acta Biomed. 2015[citado em 2017 out. 23];86(3):194-204. Disponível em: http://www.academia.edu/28000219/Nursing_students_experiences_of_and_ satisfaction_with_the_clinical_learning_environment_the_role_of_educational_models_in_the_simulation_laboratory_and_in_clinical_practice

Dutra HS, Reis VN. Experimental and quasi-experimental study designs: definitions and challenges in nursing research. Rev Enferm UFPE online. 2016[citado em 2017 set. 23];10(6):2230-41. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/11238/12840

Lelonqvist EK, Eriksson K, Merejota R. Evidence of clinical competence by simulation, a hermeneutical observational study. Nurse Educ Today. 2015[citado em 2017 out. 18];38:88-92. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26763209

Coluci MZO, Alexandre NMC, Milani D. Construção de instrumentos de medida na área da saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2015[citado em 2019 jun. 23];20(3):925-36. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2015.v20n3/925-936/pt

Lubbers J, Rossman C. Satisfaction and self-confidence with nursing clinical simulation: Novice learners, medium-fidelity, and community settings. Nurse Educ Today. 2017[citado em 2017 dez. 21];48:140-4. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27810632. DOI: 10.1016/j.nedt .2016.10.010

Khalaila R. Simulation in nursing education: an evaluation of student's outcomes at their first clinical practice combined with simulation. Nurse Educ Today. 2014[citado em 2017 nov. 11];34(2):252-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24060462

Baptista RCN, Martins JCA, Pereira MFCR, Mazzo A. Students' satisfaction with simulated clinical experiences: validation of an assessment scale. Rev. Latino-Am Enferm. 2014[citado em 2017 out. 28];22(5):709-15. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692014000500709

Alves LAF, Santana RF. Percepções da equipe de Enfermagem sobre a utilização de fraldas geriátricas na hospitalização. Ciênc Cuid Saúde. 2013[citado em 2017 set. 12];12(1):19-25. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/14814

Meira MDD, Kurcgant P. Educação em Enfermagem: avaliação da formação por egressos, empregadores e docentes Rev Bras Enferm. 2016[citado em 2017 ago. 13];69(1):16-22. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672016000100016

Fabri RP, Mazzo A, Martins JCA, Fonseca AD, Pedersoli CE, Miranda FBG, et al. Construção de um roteiro teórico-prático para simulação clínica. Rev Esc Enferm USP. 2017[citado em 2017 ago. 18];51:1-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v51/pt_1980-220X-reeusp-51-e03218.pdf

McRae ME, Chan A, Hulett R, Lee AJ, Coleman B. The effectiveness of and satisfaction with high-fidelity simulation to teach cardiac surgical resuscitation skills to nurses. Intensive Crit Care Nurs. 2017[citado em 2017 nov. 12];40:64-9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/ 28254248

Nanji KC, Baca K, Raemer DB. The effect of an olfactory and visual cue on realism and engagement in a health care simulation experience. Simul Healthc. 2013[citado em 2017 dez. 15];8(3):143-7. Disponível em: https://doi.org/10.1097/SIH.0b013e31827d27f9

Publicado

30-03-2020

Como Citar

1.
Franzon JC, Meska MHG, Cotta CK, Machado GCC, Mazzo A. Implicações da prática clínica em atividades simuladas: satisfação e autoconfiança dos estudantes. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 30º de março de 2020 [citado 26º de maio de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49980

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.