Aspectos sociodemográficos e clínicos de estomizados intestinais provisórios

Autores

  • Janderson Cleiton Aguiar Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, São José do Rio Preto SP , Brazil, Enfermeiro. Mestrando. Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. São José do Rio Preto, SP - Brasil, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Adriana Pelegrini dos Santos Pereira FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral, São José do Rio Preto SP , Brazil, Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta. FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral. São José do Rio Preto, SP - Brasil, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Katia Jaira Galisteu FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral, São José do Rio Preto SP , Brazil, Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta. FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral. São José do Rio Preto, SP - Brasil, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
  • Luciano Garcia Lourenção FAMERP, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, São José do Rio Preto SP , Brazil, Enfermeiro. Doutor. Professor Adjunto. FAMERP, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. São José do Rio Preto, SP - Brasil; Professor Titular-Livre. Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Escola de Enfermagem. Rio Grande, RS - Brasil, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto; Universidade Federal do Rio Grande, Escola de Enfermagem, Rio Grande SP , Brazil, Universidade Federal do Rio Grande
  • Maria Helena Pinto FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral, São José do Rio Preto SP , Brazil, Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta. FAMERP, Curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Geral. São José do Rio Preto, SP - Brasil, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2017.49860

Palavras-chave:

Estomia, Estomas Cirúrgicos, Cuidados de Enfermagem, Perfil de Saúde

Resumo

O estudo objetivou caracterizar aspectos sociodemográficos e clínicos das pessoas com estomia intestinal provisória atendidas por um serviço de atenção ao estomizado. Trata-se de estudo transversal, de natureza quantitativa, com 117 pessoas com estomia intestinal provisória. A coleta de dados ocorreu por meio de revisão de prontuário e entrevista estruturada. Houve prevalência do sexo masculino (54,7%), idade média de 62,9 anos, 59,8% casados, 74,4% católicos, 70,9% com até oito anos de estudo, 52,9% exerciam atividade laboral remunerada; destes, 51,3% interromperam suas atividades laborais e 44,4% não retornaram, com afastamento pela previdência. Dos 57 (48,7%) que não interromperam as atividades laborais 33,3% eram aposentados, 13,6% exerciam atividade não remunerada e 1,7% era autônomo sem direito a afastamento. A maioria possuía renda familiar até dois salários mínimos (67,5%). A neoplasia predominou como causa de confecção da estomia (47,9%), seguida pelo abdome agudo (31,6%). As colostomias foram mais frequentes (75,2%); a permanência da estomia foi, em média, de 5,3 anos (tempo mínimo de seis meses e máximo 25 anos). Concluiu-se que o conhecimento das características da população atendida contribui para o planejamento da assistência conforme as reais necessidades da mesma, possibilitando mais efetividade do serviço e, consequentemente, melhora na satisfação do usuário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rocha JJR. Estomas intestinais (ileostomias e colostomias) e anastomoses intestinais Med (Ribeirão Preto). 2011[citado em 2016 maio 16];44(1):51-6. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2011/vol44n1/Simp5_Estomasintestinais.pdf

Marquis P, Marrel A, Jambon B. Quality of life in patients with stomas: the Montreux Study. Ostomy Wound Manage. 2003[citado em 2016 maio 16];49(2):48-55. Disponível em: http://www.owm.com/content/qualitylifepatientswithstomasthemontreuxstudy

Sales CA, Violin MR, Waidman MAP, Marcon SS, Silva MAP. Sentimentos de pessoas ostomizadas: compreensão existencial. Rev Esc Enferm USP. 2010[citado em 2016 maio 16];44(1):221-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n1/a31v44n1.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria nº 400, de 16 de novembro de 2009, que trata da Atenção à Saúde das Pessoas Ostomizadas. Brasília (DF): Diário Oficial da União; 2009. Seção 1: 412.

Li LT, Hicks SC, Davila JA, Kao LS, Berger RL, Arita NA, et al. Circular closure is associated with the lowest rate of surgical site infection following stoma reversal: a systematic review and multiple treatment metaanalysis. Colorectal Dis. 2014[citado em 2016 maio 16];16(6):406-16. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/codi.12556/epdf

Silva JB, Costa DR, Menezes FJC, Tavares JM, Marques AG, Escalante RD. Perfil epidemiológico e morbimortalidade dos pacientes submetidos à reconstrução de trânsito intestinal: experiência de um centro secundário do nordeste brasileiro. ABCD Arq Bras Cir Dig. 2010[citado em 2016 maio 16];23(3):1503. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abcd/v23n3/v23n3a04.pdf

Von Bahten LC, Nicoluzzi JEL, Silveira F, Nicollelli GM, Kumagai LY, Lima VZ. Morbimortalidade da reconstrução de trânsito intestinal colônica em Hospital Universitário Análise de 42 Casos. Rev Bras Coloproctol. 2006[citado em 2016 maio 16];26(2):1237. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbc/v26n2/v26n2a02.pdf

Salome GM, Almeida SA. Association of sociodemographic and clinical factors with the selfimage and selfesteem of individuals with intestinal stoma. J Coloproctol. 2014[citado em 2016 maio 16];34(3):15966. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jcol/v34n3/22379363jcol34030159.pdf

Barbosa MH, Dal Poggetto MT, Barichello E, Cunha DF, Silva R, Alves PIC, et al. Aspectos clínicos e epidemiológicos de estomizados intestinais de um município de minas gerais. Rev Enferm Atenção Saúde. 2014[citado em 2016 maio 16];3(1):6473. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/931/663

Sousa CF, Brito DC, Branco MZPC. Depois da colostomia... vivências das pessoas portadoras. Enferm Foco. 2012[citado em 2016 maio 16];3(1):125. Disponível em: http://revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/213/134

Coelho AR, Santos FS, Dal Poggetto MY. A estomia mudando a vida: enfrentar para viver. REME - Rev Min Enferm. 2013[citado em 2016 maio 16];17(2):25867. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/649

Paula MAB, Takahashi RF, Paula PR. Os significados da sexualidade para a pessoa com estoma intestinal definitivo. Rev Bras Coloproctol. 2009[citado em 2016 maio 16];29(1):7782. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbc/v29n1/v29n1a11.pdf

Silva SM, Melo CCL, Almeida SB, Queiroz HF, Soares AF. Complicações das operações de reconstrução do trânsito intestinal. Rev Bras Coloproctol. 2006[citado em 2016 maio 16];26(1):247. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbc/v26n1/v26n1a02.pdf

Melotti LF, Bueno IM, Silveira GV, Silva MEN, Fedosse E. Characterization of patients with ostomy treated at a public municipal and regional reference center. J Coloproctol. 2013[citado em 2016 maio 16];33(2):704. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jcol/v33n2/22379363jcol3302070.pdf

Souza APMA, Santos IBC, Soares MJGO, Santana IO. Perfil clínico epidemiológico de los pacientes atendidos y censados en el Centro Paraibano de Ostomizados João Pessoa, Brasil. Gerokomos. 2010[citado em 2016 maio 16];21(4):18390. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/geroko/v21n4/helcos2.pdf

Menezes LCG, Guedes MVC, Oliveira RM, Oliveira SKP, Meneses LST, Castro ME. Prática de autocuidado de estomizados: contribuições da Teoria de Orem. Rev RENE. 2013[citado em 2016 maio 16];14(2):301-10. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/235/pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População por religião (população presente e residente). [citado em 2016 dez. 18]. Disponível em: http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=POP60&t=populacaoreligiaopopulacaopresenteresidente.

Mauricio VC, Souza NVDO, Lisboa MTL. O enfermeiro e sua participação no processo de reabilitação da pessoa com estoma. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2013[citado em 2016 maio 16];17(3):416-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v17n3/14148145ean17030416.pdf

Presidência da República (BR). Decreto nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial da União. 13 dez. 2004. Seção 1:5.

Presidência da República (BR). Portaria nº 12.738, de 30 de novembro de 2012. Altera a Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998, para tornar obrigatório o fornecimento de bolsas de colostomia, ileostomia e urostomia, de coletor de urina e de sonda vesical pelos planos privados de assistência à saúde. Diário Oficial da União. 03 dez. 2012. Seção 1:2.

Agencia Nacional de Saúde Suplementar. Dados e indicadores do setor. ANS TABNET. [citado em 2016 maio 16]. Disponível em: http://www.ans.gov.br/anstabnet/cgibin/dh?dados/tabnet_pl.def

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2016: incidência de câncer no Brasil Rio de Janeiro: INCA; 2015.

Secretaria da Segurança Pública (SP). Comunicado Lei 9.155/95. Resolução 161/01. Indicadores da criminalidade do Estado de São Paulo. Estatísticas Trimestrais. Diário Oficial do Estado de São Paulo. 25 mai. 1995. Seção 1:1.

Sobral HAC, Carvalho RB, Salem JB, Sarmanho L, Albuquerque IC, Formiga GJS. Fechamento de colostomias: com ou sem estudo do cólon? Rev Bras Coloproctol. 2008[citado em 2016 maio 16];28(3):33437. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbc/v28n3/a11v28n3.pdf

Publicado

09-11-2017

Como Citar

1.
Aguiar JC, Pereira AP dos S, Galisteu KJ, Lourenção LG, Pinto MH. Aspectos sociodemográficos e clínicos de estomizados intestinais provisórios. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 9º de novembro de 2017 [citado 19º de julho de 2024];21(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49860

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)