Transição para os cuidados paliativos: ações facilitadoras para uma comunicação centrada no cliente oncológico

Autores

  • Jeniffer Lopes Rodrigues da Silva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Mestrado em Enfermagem - PPGENF, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Mestrado em Enfermagem - PPGENF. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4117-6697
  • Isabella Ribeiro Cardozo UNIRIO, Hospital Universitário Gafrée e Guinle - HUGG, Serviço de Oncologia, Rio de Janeiro RJ , Brasil, UNIRIO, Hospital Universitário Gafrée e Guinle - HUGG, Serviço de Oncologia. Rio de Janeiro, RJ- Brasil. http://orcid.org/0000-0003-0481-7088
  • Sônia Regina de Souza UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC, Rio de Janeiro RJ , Brasil, UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC. Rio de Janeiro, RJ - Brasil http://orcid.org/0000-0002-7394-2926
  • Laísa Figueiredo Ferreira Lós de Alcântara UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC, Rio de Janeiro RJ , Brasil, UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC. Rio de Janeiro, RJ - Brasil http://orcid.org/0000-0002-2435-7616
  • Carlos Magno Carvalho da Silva UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC, Rio de Janeiro RJ , Brasil, UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC. Rio de Janeiro, RJ - Brasil http://orcid.org/0000-0002-8655-2636
  • Fátima Helena do Espírito Santo Universidade Federal Fluminense - UFF, Niterói RJ , Brasil, Universidade Federal Fluminense - UFF, Enfermagem Médico-cirúrgica. Niterói, RJ - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4611-5586
  • Marléa Crescêncio Chagas Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery - EEAN, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Escola de Enfermagem Anna Nery - EEAN. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-6122-7300
  • Ana Cristina Silva Pinto UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC, Rio de Janeiro RJ , Brasil, UNIRIO, Escola de Enfermagem Alfredo Pinto - EEAP, Departamento de Enfermagem Médico-Cirurgica-DEMC. Rio de Janeiro, RJ - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5608-2418

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49930

Palavras-chave:

Oncologia, Comunicação, Cuidados Paliativos

Resumo

Introdução: a relação interpessoal profissional-cliente se torna primordial na transição para os cuidados paliativos para que juntos possam melhorar a comunicação nesse momento e alinhar o cuidado aos desejos do cliente. Objetivo: analisar como o cliente oncológico avalia a comunicação na transição para os cuidados paliativos; identificar suas necessidades e preferências acerca dessa comunicação relacionadas ao seu prognóstico, tomada de decisão e participação familiar; e apresentar proposta de ações facilitadoras para comunicação na transição para os cuidados paliativos, a partir das necessidades e preferências mencionadas pelo cliente. Método: pesquisa convergente assistencial realizada em um hospital federal do Rio de Janeiro, com 15 clientes oncológicos. Utilizou-se a entrevista semiestruturada seguida de discussão dialogada com cada participante. Aplicada análise temática. Resultados: na avaliação dos participantes, o acolhimento, a forma atenciosa, a informação da verdade e a linguagem simples e acessível foram elementos essenciais para construir uma relação de confiança e comunicação esclarecedora sobre o momento vivido. Ainda assim, os clientes ansiavam por mais informações sobre seu tratamento e prognóstico. Apesar de a maioria referir a preferência pela verdade, participação familiar e participação ativa no tratamento, outros demonstraram a preferência pelo não saber para não sofrer, a não participação familiar e a passividade na participação do tratamento. Conclusão: será a partir da priorização das ações de escuta ativa, do acolhimento, respeito à autonomia e utilização de linguagem clara e acessível que o profissional criará vínculo necessário e obterá mais êxito em realizar uma comunicação centrada nas necessidades e preferências do cliente oncológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Sawada NO, Paiva BSR, Paiva CE, Sonobe HM, García-Caro MP, Cruz-Quintana F. Abordagem transcultural da qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer. Rev Rene. 2017[citado em 2020 abr. 01];18(3):368-75. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.2017000300012

Silva CP, Santos ATC, Silva RP, Andrade JD, Almeida LM. Significado dos cuidados paliativos para a qualidade da sobrevivência do paciente oncológico. Rev Bras Cancerol. 2016[citado em 2020 jul. 31];62(3):225-35. Disponível em: https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2016v62n3.164

World Wide Palliative Care Alliance. Global atlas of palliative care at the end of life. London: WHO; 2014.

Andrade CG, Costa SFG, Lopes MEL. Cuidados paliativos: a comunicação como estratégia de cuidado para o paciente em fase terminal. Ciênc Saúde Colet. 2013[citado em 2020 abr. 01];18(9):2523-30. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000900006

Santos FS. Cuidados paliativos: discutindo a vida, morte e o morrer. Rio de Janeiro: Atheneu; 2016.

Silva MJP, Araújo MMT. Comunicação em cuidados paliativos. In: Carvalho RT, Parsons HA. Manual de cuidados paliativos ANCP. 2ª ed. São Paulo: ANCP; 2012. 75-85p.

Almeida KLS, Garcia DM. Use of communication strategies in palliative care in Brazil: integrative review. Cogitare Enferm. 2015[citado em 2020 abr. 01];20(4):720-7. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v20i4.39509

Borges MM, Santos Junior R. A comunicação na transição para os cuidados paliativos: artigo de revisão. Rev Bras Educ Méd. 2014[citado em 2020 jul. 31];38(2):275-82. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022014000200015

Brighton LJ, Bristowe K. Communication in palliative care: talking about the end of life, before the end of life. Postgrad Med J. 2016[citado em 2020 abr. 01];92(1090):466-70. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1136/postgradmedj-2015-133368

Galvão MIZ. Comunicação interpessoal em cuidados paliativos: um estudo à luz da teoria de Peplau [dissertação]. Brasília (BR): Universidade de Brasília; 2016.

Peplau HE. Interpersonal relations in nursing: a conceptual frame of reference for psychodynamic nursing. New York: Springer Publishing; 1991.

Trentini M, Paim L, Silva DMGV. Pesquisa convergente-assistencial: delineamento provocador de mudanças nas práticas de saúde. 3ª ed. Porto Alegre: Moriá Editora; 2014.

Freire MSS, Nery IS, Silva GRF, Luz MHB, Rodrigues IDCV, Santos LNM. Nursing care for women with breast cancer based on the theory of interpersonal relations. Rev Enferm UFPE on line. 2013[citado em 2020 abr. 01];7(esp):7209-14. Disponível em http://dx.doi.org/10.5205/reuol.4767-42136-1-ED.0712esp201333

Santos LNM, Pedrosa JIS, Rodrigues IDCV, Freire MSS, Silva GRF, Luz MHBA. Interpersonal relations in the family health strategy: effects on nursing care quality. Rev Enferm UFPE on line. 2014[citado em 2020 abr. 01];8(1):155-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5205/reuol.4843-39594-1-SM.0801201421

Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes RC. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 2015.

Stefanelli MC, Carvalho EC. A comunicação nos diferentes contextos da Enfermagem. Barueri: Manole; 2012.

Gomes ALZ, Othero MB. Cuidados paliativos. Estud Av. 2016[citado em 2020 abr. 01];30(88):155-6. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142016.30880011

Caponero R. A comunicação médico-paciente no tratamento oncológico: um guia para profissionais de saúde, portadores de câncer e seus familiares. São Paulo: MG Editores; 2015.

Abreu CBB, Fortes PAC. Questões éticas referentes às preferências do paciente em cuidados paliativos. Rev Bioét. 2014[citado em 2020 abr. 01];22(2):299-308. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/1983-80422014222011

Carey M, Lambert S, Smits R, Paul C, Sanson-Fisher R, Clinton-Mcharg T. The unfulfilled promise: a systematic review of interventions to reduce the unmet supportive care needs of cancer patients. Support Care Cancer. 2012[citado em 2020 abr. 01];20(2)207-19. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1007/s00520-011-1327-1

Coelho CBT, Yankaskas JR. New concepts in palliative care in the intensive care unit. Rev Bras Ter Intensiva. 2017[citado em 2020 abr. 01];29(2):222-30. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/0103-507x.20170031

Oostendorp LJM, Ottevanger PB, Van de Wouw AJ, Honkoop AH, Los M, Van der Graaf WT, et al. Patients’ preferences for information about the benefits and risks of second-line palliative chemotherapy and their oncologist’s awareness of these preferences. J Cancer Educ. 2016[citado em 2020 abr. 01];31(3):443-8. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1007/s13187-015-0845-9

Brom L, Pasman HR, Widdershoven GA, Van der Vorst MJDL, Reijneveld JC, Postma TJ et al. Patients’ preferences for participation in treatment decisionmaking at the end of life: qualitative interviews with advanced cancer patients. PLos ONE. 2014[citado em 2020 abr. 01];9(6):e100435. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0100435

Pessini L. Bioética e cuidados paliativos. In: Pimenta CAM, Mota DDCF, Cruz DALM. Dor e cuidados paliativos: Enfermagem, medicina e psicologia. Barueri: Manole; 2006. p.45-66.

Öhlén J, Carlsson G, Jepsen A, Lindberg I, Friberg F. Enabling sense-making for patients receiving outpatient palliative treatment: a participatory action research driven model for person-centered communication. Palliat Support Care. 2016[citado em 2020 abr. 01];14(3):212-24. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1017/S1478951515000814

Publicado

11-11-2020

Como Citar

1.
Silva JLR da, Cardozo IR, Souza SR de, Alcântara LFFL de, Silva CMC da, Santo FH do E, Chagas MC, Pinto ACS. Transição para os cuidados paliativos: ações facilitadoras para uma comunicação centrada no cliente oncológico. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 11º de novembro de 2020 [citado 26º de maio de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49930

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.