(in)congruência na assistência às mulheres em situação de abortamento: o que dizem os acadêmicos sobre seus processos formativos

Autores

  • Lídia Christina Vasconcelos Borges Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Divinópolis MG , Brasil, Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Campus Centro-Oeste Dona Lindu - CCO. Divinópolis, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0002-7089-9942
  • Nathália Rezende Clemente Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Divinópolis MG , Brasil, Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Campus Centro-Oeste Dona Lindu - CCO. Divinópolis, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0002-2039-0574
  • Luciana Netto Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Divinópolis MG , Brasil, Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ, Campus Centro-Oeste Dona Lindu - CCO. Divinópolis, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0001-6573-5006

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49954

Palavras-chave:

Aborto, Capacitação Profissional, Estudantes, Ensino Superior, Percepção

Resumo

O abortamento está entre as principais causas de morte materna e se configura como um problema de saúde pública. Na assistência às mulheres nessa situação, nota-se despreparo dos profissionais de saúde, o que interfere na qualidade da assistência ao abortamento, com prejuízos para a mulher e para o profissional. OBJETIVO: analisar o preparo ético, legal, biomédico e psíquico sobre o abortamento, dos acadêmicos de Enfermagem, Medicina, Psicologia e Serviço Social das instituições de ensino superior de um município do centrooeste de Minas Gerais, Brasil. MÉTODO: em 2018, foram realizadas entrevistas com 46 acadêmicos, transcritas considerando-se as características próprias da fala e analisadas pelo conteúdo. RESULTADOS: os achados revelaram que a formação acadêmica dos profissionais de saúde para atuar na assistência integral e humanizada às mulheres em situação de abortamento abrange o preparo ético, legal, biomédico e psíquico. Os contextos acadêmicos mais favoráveis à formação desses profissionais são os que comportam a afinidade intrínseca com a temática, a aquisição de ensinamentos mediante vivências, além de haver questionamentos sobre o conhecimento adquirido, associado às limitações sociais ao tema. CONCLUSÃO: aposta-se na articulação entre educação superior e sistema de saúde e sugerem-se mudanças no processo de formação que reflitam diretamente na qualidade da assistência prestada, como reavaliação das matrizes curriculares, estímulo aos docentes e aos futuros profissionais a se capacitarem sobre a temática e ampliação da discussão do tema na sociedade, visto que os cursos são propostos em conformidade com as demandas sociais e os contextos locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2011. 60 p.

Diniz D, Medeiros M, Madeiro A. Pesquisa Nacional de Aborto 2016. Ciênc Saùde Colet. 2017[citado em 2018 nov. 13];22(2):653-60. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v22n2/1413-8123-csc-22-02-0653.pdf

Martins EF, Almeida PFB, Paixão CO, Bicalho PG, Errico LSP. Causas múltiplas de mortalidade materna relacionada ao aborto no Estado de Minas Gerais, Brasil, 2000-2011. Cad Saúde Pública. 2017[citado em 2018 dez. 21];33(1):1-11. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n1/1678-4464-csp-33-01-e00133115.pdf

Adesse L, Jannotti CB, Silva KS, Fonseca VM. Aborto e estigma: uma análise da produção científica sobre a temática. Ciênc Saùde Colet. 2016[citado em 2018 dez. 21];21(12):3819-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n12/1413-8123-csc-21-12-3819.pdf

Moreira GAR, Freitas KM, Cavalcanti LF, Vieira LJES, Silva RM. Qualificação de profissionais da saúde para atenção às mulheres em situação de violência sexual. Trab Educ Saúde. 2018[citado em 2018 dez. 21];16(3):1039-55. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v16n3/1678-1007-tes-1981-7746-sol00156.pdf

Farias RS, Cavalcanti LF. Atuação diante das situações de aborto legal na perspectiva dos profissionais de saúde do Hospital Municipal Fernando Magalhães. Ciênc Saúde Colet. 2012[citado em 2018 nov. 13];17(7):1755- 63. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n7/14.pdf

Deitos JM, Sobzinski JS. O materialismo histórico e dialético: contribuições para a análise de políticas educacionais. Impulso. 2015[citado em 2018 dez. 21];25(63):101-18. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n63p101-118

Zanolla SRS. Dialética negativa e materialismo dialético: da subjetividade decomposta à objetividade pervertida. Kriter Rev Filos. 2015[citado em 2018 nov. 13];56(132):451-71. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/kr/v56n132/0100-512X-kr-56-132-0451.pdf

Taquette SR, Minayo MCS, Rodrigues AO. Percepção de pesquisadores médicos sobre metodologias qualitativas. Cad Saúde Pública. 2015[citado em 2018 set. 14];31(4):722-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v31n4/pt_0102-311X-csp-31-04-00722.pdf

Fontanella BJB, Luchesi BM, Saidel MGBB, Ricas J, Turato ER, Melo DG. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cad Saúde Pública. 2011[citado em 2018 dez. 21];27(2):388-94. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v27n2/20.pdf

Koch IV. A inter-ação pela linguagem. São Paulo: Contexto; 2010.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated criteria for reporting qualitative research: a 32-item checklist for interviews and focus groups. Int J Qual Heal Care. 2018[citado em 2018 nov. 13];19(6):349-57. Disponível em: https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042

Vieira LJES, Silva ACF, Moreira GAR, Cavalcanti LF, Silva RM. Protocolos na atenção à saúde de mulheres em situação de violência sexual sob a ótica de profissionais de saúde. Ciênc Saúde Colet. 2016[citado em 2018 nov. 13];21(12):3957-65. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n12/1413-8123-csc-21-12-3957.pdf

Arnemann CT, Kruse MHL, Gastaldo D, Jorge ACR, Silva AL, Margarites AGF. Práticas exitosas dos preceptores de uma residência multiprofissional: interface com a interprofissionalidade. Interface Comun Saúde Educ. 2018[citado em 2018 dez. 18];22(suppl 2):1635-46. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v22s2/1807-5762-icse-22-s2-1635.pdf

Carvalho WM, Cawahisa PT, Scheibel PC, Botelho JN, Terada RSS, Rocha NB, et al. Aceitação da utilização de metodologias ativas nos estágios no SUS por discentes da graduação e pós-graduação em Odontologia. Rev ABENO. 2016[citado em 2018 dez. 21];16(1):88-98. Disponível em: https://revabeno.emnuvens.com.br/revabeno/article/view/224/204

Hashimoto PC, Ciaccio MCM, Guerra GM. A tendência do papel do professor no processo de aprendizagem. Nursing. 2018[citado em 2018 dez. 21];21(242):2264-71. Disponível em: http://portal.fundacaojau.edu.br:8077/sif/revista_nursing/Revista Nursing_242.pdf

Martineli DCY. A formação humanista na educação profissional: estudo de caso em uma escola de ensino técnico na região de Limeira - SP. São Paulo: Centro Universitário Salesiano; 2016.

Presado MHCV, Colaço S, Rafael H, Baixinho CL, Félix I, Saraixa C, et al. Aprender com a Simulação de Alta Fidelidade. Ciênc Saúde Colet. 2017[citado em 2018 set. 14];23(1):51-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n1/1413-8123-csc-23-01-0051.pdf

Duarte AC, Almeida DV, Popim RC. A morte no cotidiano da graduação: um olhar do aluno de medicina. Interface Comun Saúde Educ. 2015[citado em 2018 dez. 21];19(55):1207-19. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v19n55/1807-5762-icse-1807-576220141093.pdf

Konrath A, Cerutti BB. Competências dos formandos em administração do Centro Universitário Univates. Estud Debate. 2015[citado em 2018 dez. 21];22(1):60-77. Disponível em: http://univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/631/621

Lima LM, Gonçalves SS, Rodrigues DP, Araújo ASC, Correia AM, Viana APS. Cuidado humanizado às mulheres em situação de abortamento: uma análise reflexiva. Rev Enferm UFPE online. 2017[citado em 2018 nov. 17];11(12):8-12. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/25126/25346

Mendes TMC, Bezerra HS, Carvalho YM, Silva LG, Souza CMCL, Andrade FB. Interação ensino-serviço-comunidade no Brasil e o que dizem os atores dos cenários de prática: uma revisão integrativa. Rev Ciência Plur. 2018[citado em 2018 dez. 21];4(1):98-116. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/14283/9823

Reis BB, Diehl L. Planejamento de carreira de formandos e recém-formando do ensino superior. Rev Carreiras Pessoas. 2017[citado em 2018 nov. 18];7(2):564- 75. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/ReCaPe/article/view/32752/22618

Publicado

08-06-2020

Como Citar

1.
Borges LCV, Clemente NR, Netto L. (in)congruência na assistência às mulheres em situação de abortamento: o que dizem os acadêmicos sobre seus processos formativos. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 8º de junho de 2020 [citado 23º de maio de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49954

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)