Análise crítica dos vídeos sobre punção venosa periférica com cateter disponibilizados no youtube

Autores

  • Karema da Conceição Pereira Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre RS , Brazil, Enfermeira. Mestranda. Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA. Porto Alegre, RS - Brasil., Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Ana Luísa Petersen Cogo Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre RS , Brazil, Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Porto Alegre, RS - Brasil., Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ana Paula Scheffer Schell da Silva UFCSPA, Departamento de Enfermagem, Porto Alegre RS , Brazil, Enfermeira. Doutora. Professora Adjunta. UFCSPA, Departamento de Enfermagem. Porto Alegre, RS - Brasil., Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2016.50006

Palavras-chave:

Enfermagem, Tecnologia Educacional, Cateterismo Periférico, Filmes e Vídeos Educativos, Internet

Resumo

Objetivo: esta pesquisa teve como objetivo caracterizar o conteúdo de vídeos de punção venosa periférica com cateter plástico sobre agulha compartilhados no site YouTube.

Métodos: estudo quantitativo, exploratório-descritivo realizado no site YouTube. Foram selecionados 81 vídeos em julho de 2014 que apresentavam a execução do procedimento de punção venosa periférica com cateter plástico sobre agulha isoladamente ou associado à terapia intravenosa, disponíveis em português. Os dados foram coletados em visita ao site por meio de download. A seguir, os vídeos foram codificados e organizados no software Microsoft Excel para serem analisados pela estatística descritiva.

Resultados: os vídeos caracterizaram-se por terem sido produzidos, na sua maioria, por pessoas físicas (97,53%) e totalizaram 964.041 visualizações, resultando na média de 12.203 visualizações por vídeo, mostrando significativa demanda de usuários. A realização da demonstração do procedimento foi realizada como registro não sistematizado de aula prática (74,07%) e executado em humanos (91,35%).

Conclusão: concluiu-se que, pelas inconsistências de conteúdo e inadequações na produção do material digital, muitos vídeos não podem ser indicados para fins educativos. Sugerem-se, para estudos futuros, investigações acerca das formas como os usuários se apropriam desse conhecimento e investimento na produção de materiais digitais de qualidade para que o estudante possa ter fontes confiáveis de consulta na internet.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Youtube.com. Estatísticas: 2016. [citado em 2016 mar. 16]. Disponível em: https://www.youtube.com/yt/press/pt-BR/statistics.html

Pellon M, Nome S, Arán A. Relação entre estilos de aprendizagem e rendimento acadêmico dos estudantes do quinto ano de medicina. Rev Bras Oftalmol. 2013[citado em 2016 abr. 16];72(3):181-4. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72802013000300008

Cogo ALP, Pedro ENP, Silva APSS, Alves EATD, Valli GP. Utilização de tecnologias educacionais digitais no ensino de enfermagem. Ciênc Enferm. 2013[citado em 2016 abr. 16];19(3):21-9. Disponível em: http://www.scielo.cl/pdf/cienf/v19n3/art_03.pdf

Salvador PTCO, Martins CCF, Alves KYA, Costa TD, Santos VEP. Análise de vídeos do Youtube sobre eventos adversos em saúde. REME - Rev Min Enferm. 2014[citado em 2016 abr. 16];18(4):830-7. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/966

Rabee R, Najim M, Sherwani Y, Ahmed M, Ashraf M, Al-Jibury O, et al. YouTube in medica education: a student's perspective. Med Educ Online. 2015[citado em 2016 abr. 16];20. Disponível em: http://med-ed-online.net/index.php/meo/article/view/29507

Nason GJ, Kelly P, Kelly ME, Burke MJ, Aslam A, Giri SK, et al. YouTube as and educational tool regarding male urethral cathererization. Scand J Urol. 2015[citado em 2016 abr. 16];49(2):189-92. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25363608

Costa PB, Prado C, Oliveira LFT, Peres HHC, Massarollo MCKB, Fernandes MFP, et al. Fluência digital e uso de ambientes virtuais: caracterização de alunos de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2011[citado em 2016 abr. 16];45(esp):1589-94. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342011000700008

Clifton A, Mann C. Can YouTube enhance student nurse learning? Nurse Educ Today. 2011[citado em 2016 abr. 16];31(4):311-3. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21036430

Lynn P. Manual de habilidades de enfermagem de Taylor. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Silva APSS, Cogo ALP. Aprendizagem de punção venosa com objeto educacional digital no curso de graduação em enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. 2007[citado em 2016 abr. 16];28(2):187-92. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/3162

Tobar F, Yalour MR. Como fazer teses em saúde pública conselhos e ideias para formular projetos e redigir teses e informes de pesquisa. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2001.

Fragoso S, Recuero R, Amaral A. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina; 2011.

Potter PA, Perry AG, Hall AM, Stockert PA. Fundamentos de enfermagem. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2013.

Holland A, Smith F, McCrossan G, Adamson E, Watt S, Penny K. Online vídeo in clinical skills education of oral medication administration for undergraduate student nurses: a mixed methods, prospective cohort study. Nurse Educ Today. 2013[citado em 2016 abr. 16];33(6):663-70. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22341996

Cogo ALP, Perry G, Santos MB. Produção de material digital para o ensino de enfermagem. Rev Renote. 2015[citado em 2016 abr. 16];13(2). Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/61460/36342

Silva EV, Castro LLC, Cymrot R. Tratamento farmacológico da obesidade em páginas da internet brasileira: análise dos critérios tecnológicos de qualidade. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2014[citado em 2016 abr. 16];29(2):161-7. Disponível em: http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/Cien_Farm/article/viewFile/459/430

Silva APSS, Cogo ALP. Aprendizagem de punção venosa com objeto educacional digital no Curso de Graduação em Enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. 2007[citado em 2016 abr. 16];28(2):187-92. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/3162

Conselho Regional de Enfermagem do Estado de São Paulo. Parecer nº 12/2009. Treinamento de técnicas injetáveis em alunos na formação profissional. São Paulo; 2009. [Citado em 2016 abr. 16]. Disponível em: http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/parecer_coren_sp_2009_12.pdf

Cirelli MA, Figueiredo RM, Zem-Mascarenhas SH. Adesão às precauções padrão no acesso vascular periférico. Rev Latino-Am Enferm. 2007[citado em 2016 abr. 16];15(3):512-4. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rlae/article/view/2464

Santos TCR, Roseira CE, Passos IPBD, Figueiredo RM. O uso de luvas pela equipe de enfermagem: da proteção ao risco de transmissão. Rev Enferm UFPE Online. 2013 [citado em 2016 abr. 16];7(11):6438-45. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/4343

O'Grady NP, Alexander M, Burns LA, Dellinger P, Garland J, Heard SO, et al. Guideline for the prevention of intravascular catheter-related infections. The Healthcare Infection Control Practices Advisory Committee - Center for Disease Control and Prevention. Clin Infect Dis. 2011 [citado em 2016 abr. 16];52(9):e162-93. Disponível em: http://cid.oxfordjournals.org/content/52/9/e162.long

Bomfim TS, Silva MJL, Santos PJ, Aguiar RG, Silveira NA, Oliveira AMB. Educação em saúde na prevenção de acidentes ocupacionais com materiais biológicos: um relato de experiência. Cad Educ Saúde Fisio. 2014[citado em 2016 abr. 16];1(1). Disponível em: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.php/cadernos-educacao-saude-fisioterapia/article/view/163

Smith-Temple J, Johnson JY. Nurses' guide to clinical procedures. 6th ed. Philadelphia: Lippincott; 2009.

Tourinho FSV, Medeiros KS, Salvador PTCO, Castro GLT, Santos VEP. Análise de vídeos do YouTube sobre suporte básico de vida e reanimação cardiopulmonar. Rev Col Bras Cir. 2012[citado em 2016 abr. 16];39(4):335-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v39n4/15.pdf

Chiavone FBT, Ferreira LL, Salvador PTCO, Rodrigues CCFM, Alves KYA, Santos VEP. Analysis of YouTube videos about urinary catheterization technique of male delay. Invest Educ Enferm. 2016[citado em 2016 abr. 16];34(1):171-9. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/1052/105244267018.pdf

Publicado

04-05-2017

Como Citar

1.
Pereira K da C, Cogo ALP, Silva APSS da. Análise crítica dos vídeos sobre punção venosa periférica com cateter disponibilizados no youtube. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 4º de maio de 2017 [citado 24º de junho de 2024];20(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50006

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)