Dar não Dói, o que Dói é Resistir:

o espetáculo teatral do grupo Tá na Rua enquanto instrumento de justiça de transição

Autores

  • Ana Cândida Baêsso Moura Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Arte e Direitos Humanos, Justiça de Transição, Ditadura, Memória, Teatro

Resumo

O espetáculo teatral “Dar não Dói, o que Dói é Resistir”, uma criação coletiva do grupo de teatro de rua Tá na Rua, dirigido por Amir Haddad, foi encenado entre os anos de 2003 e 2006. O tema do espetáculo foi a ditadura militar e suas consequências, no período entre 1964 a 2002. Este artigo tem o objetivo de demonstrar como este espetáculo contribuiu com o direito à memória e à verdade, um direito da justiça de transição. Para tanto, será realizada uma pesquisa bibliográfica e documental de conteúdos produzidos sobre o espetáculo. O referencial teórico está centrado na obra de Joaquín Herrera Flores, especialmente na teoria crítica, na qual se busca compreender a arte como instrumento de luta por direitos humanos. Ao fim, espera-se demonstrar que a arte crítica, como um mecanismo extrajudicial, pode contribuir para a efetivação da justiça de transição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cândida Baêsso Moura, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda em Teorias Jurídicas Contemporâneas pela UFRJ, na linha de pesquisa de Sociedade, Direitos Humanos e Arte. Formada pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, com Especialização em Gerenciamento de Projetos no 3º Setor pela FGV, MBA Executivo no Coopead/UFRJ e Extensão em Administração Pública da Cultura/UFRGS. Desde 2017 é Coordenadora de Desenvolvimento Institucional na área de Patrimônio e Cultura na Fundação Roberto Marinho.

Referências

ABRÃO, Paulo et al. As Caravanas da Anistia um mecanismo privilegiado da Justiça de Transição brasileira. Revista Anistia Política e Justiça de Transição / Ministério da Justiça. – N. 2 (jul. / dez. 2009). – Brasília : Ministério da Justiça , 2009. Disponível em: https://www.justica.gov.br/central-de-conteudo_legado1/anistia/anexos/2010revistaanistia02.pdf. Acesso em: 28 dez. 2020

AMIR Haddad discute importância de sua função. Globo.com. 16 dez. 2009. Globo Teatro. Disponível em: http://redeglobo.globo.com/globoteatro/boca-de-cena/noticia/2013/09/amir-haddad-discute-importancia-de-sua-funcao.html. Acesso em: 04 jan. 2021.

BAGGIO, Roberta Camineiro. Justiça de transição como reconhecimento: limites e possibilidades do processo brasileiro. In: SANTOS, Boaventura de Sousa et al. (Org.). Repressão e Memória Política no contexto Ibero-brasileiro: estudos sobre Brasil, Guatemala, Moçambique, Peru e Portugal. Brasília: Ministério da Justiça, Comissão de Anistia; Portugal: Universidade de Coimbra, Centro de Estudos Sociais, 2010. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/87245/1/Repressao%20e%20Memoria%20Politica%20no%20Contexto%20Ibero-Brasileiro.pdf. Acesso em: 05 jan. 2021

BRASIL. Ministério da Justiça. Projetos de Memória e Reparação. [201-?]. Disponível em: https://www.justica.gov.br/acervo_legado/anistia/projetos. Acesso em: 31 dez. 2020

BRITO, Marcelo Sousa. O teatro que corre nas vias - 2016. 224f. il. Tese (doutorado) - Universidade Federal da Bahia, Escola de Teatro, 2016. Disponível em: file:///C:/Users/ADM/Downloads/O%20teatro%20que%20corre%20nas%20vias.pdf. Acesso em 25 nov. 2020.

GRUPO Tá na Rua. Dar não dói, o que dói é resistir. Roteiro para apresentação no Année du Brésil en France. Paris, França, 2005.

HERRERA FLORES, Joaquín. A (re)invenção dos direitos humanos. Traduzido por Carlos Roberto Diogo Garcia; Antônio Henrique Graciano Suxberger; Jefferson Aparecido Dias. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2009.

HERRERA FLORES, Joaquín. O nome do riso: breve tratado sobre arte e dignidade. Tradução de Nilo Kaway Junior. Porto Alegre: Movimento; Florianópolis: CESUSC; Florianópolis: Bernúncia, 2007.

HERRERA FLORES, Joaquín. El proceso cultural: Materiales para la creatividad humana. Sevilla: Aconcagua, 2005.

HERRERA FLORES, Joaquín. Hacia una visión compleja de los derechos humanos. En: El vuelo de Anteo. Derechos Humanos y Crítica de la Razón Liberal. Bilbao: Desclée de Brouwer, 2000.

Instituto Vladimir Herzog. O que é justiça de transição. Memórias da Ditadura. [s.d.] Disponível em: http://memoriasdaditadura.org.br/justica-de-transicao/. Acesso em: 28 dez. 2020

MACHADO, Aluísio; CAVACO, Carlos do; NÓBREGA, Jorge. SAMBA ENREDO 1986: Eu quero. Império Serrano. RJ. 1986. Disponível em: https://www.letras.mus.br/imperio-serrano-rj/477555/ Acesso em: 28 nov. 2020.

MANGOLIN, Cesar; BARROS, Paula Mangolin de. O sentido político e econômico da ditadura militar no Brasil. In: Revista Crítica do Direito, São Paulo, n. 5, vol.67, dez. 2015 – mar. 2016. Disponível em: https://cesarmangolin.files.wordpress.com/2010/02/barrros-paula-mangolin-de-mangolin-cesar-o-sentido-polc3adtico-e-econc3b4mico-da-ditadura-militar-no-brasil.pdf. Acesso em: 2 nov. 2020

O DISCURSO de combate à corrupção não é sério. Cientista político e professor universitário, Cesar Mangolin, analisa o cenário político atual. 20 mar. 2016. Diário do Litoral. Disponível em: https://www.diariodolitoral.com.br/cotidiano/o-discurso-de-combate-a-corrupcao-nao-e-serio/81273/. Acesso em: 07 jan. 2021.

OLSEN, Tricia D.; PAYNE, Leigh A.; REITER, Andrew G. Equilibrando julgamentos e anistias na América Latina: Perspectivas Comparativa e Teórica. Revista Anistia Política e Justiça de Transição / Ministério da Justiça. – N. 2 (jul. / dez. 2009). – Brasília : Ministério da Justiça , 2009. Disponível em: https://www.justica.gov.br/central-de-conteudo_legado1/anistia/anexos/2010revistaanistia02.pdf. Acesso em: 28 dez. 2020

PERINI, Lígia Gomes. Dar não dói, o que dói é resistir: o grupo de teatro Tá na Rua – entre memórias, imagens e histórias. 2012. 161 f. Dissertação (mestrado). Programa de Pós Graduação em História. Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/16412/1/d.pdf. Acesso em: 20 set. 2020

PIOVESAN, Flávia. Direito Internacional dos Direitos Humanos e Lei de Anistia: O Caso Brasileiro. Revista Anistia Política e Justiça de Transição / Ministério da Justiça. – N. 2, p. 176-189, jul. / dez. 2009. Brasília: Ministério da Justiça , 2009. Disponível em: https://www.justica.gov.br/central-de-conteudo_legado1/anistia/anexos/2010revistaanistia02.pdf. Acesso em: 28 dez. 2020

SANTOS, Valmir. Tá na Rua. Enciclopédia Latino América. [200-?] Disponível em: http://latinoamericana.wiki.br/verbetes/t/ta-na-rua. Acesso em: 21/11/2020.

TURLE, Licko; Trindade, Jussara (orgs.). Tá na Rua, teatro sem arquitetura, dramaturgia sem literatura e ator sem papel. Rio de Janeiro: Instituto Tá na Rua, 2008

VALDEZ, Patricia Tappatá de. Cuando nada es suficiente: el largo camino para encarar el pasado. In: Giuseppe Tosi et al. (org.). Justiça de transição: direito à justiça, à memória e à verdade. João Pessoa: Editora da UFPB, 2014. P. 25-38.

Downloads

Publicado

2021-06-11

Como Citar

BAÊSSO MOURA, A. C. Dar não Dói, o que Dói é Resistir: : o espetáculo teatral do grupo Tá na Rua enquanto instrumento de justiça de transição. Revista de Ciências do Estado, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 1–22, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e29364. Acesso em: 21 jun. 2021.